Brasil vence com gol no fim e atrapalha Juventude na briga pelo acesso

Lincom marca aos 40' do segundo tempo e garante triunfo do Xavante em Pelotas

Brasil vence com gol no fim e atrapalha Juventude na briga pelo acesso
Jogadores do Brasil comemoram com Lincom o gol da vitória (Foto: Carlos Insaurriaga/GE Brasil)
Brasil
1 0
Juventude
Brasil: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Evaldo, Marlon; Leandro Leite (Nem), Itaqui, Juninho (Misael), Rafinha (Calyson); Marcinho e Lincom | Técnico Clemer
Juventude: Matheus Cavichioli; Tinga, Domingues, Micael, Mateus Santana; Bruninho (Maurício), Lucas, Leílson; Wesley Natã (Yuri Mamute), Yago (Juninho Silva) e Tiago Marques | Técnico Gilmar Dal Pozzo
Placar: 1-0, 40' 2T, Lincom
ÁRBITRO: Dyorgines Jose Padovani de Andrade, auxiliado por Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antonio Zanotti | Cartões Amarelos: Itaqui ; Lucas e Wesley Natã
INCIDENCIAS: Partida válida pela 28° rodada da Série B do Campeonato Brasileiro

Novamente, o Brasil levou a melhor no clássico contra o Juventude pela Série B. Na noite desta terça-feira (03), o Xavante conquistou a vitória com gol de Lincom aos 39' do segundo tempo e garantiu o 11° triunfo na competição.

Agora com 37 pontos ganhos, o time de Clemer afasta-se em seis pontos do Z-4 e fica na nona colocação, ao mesmo tempo prejudicando seu rival, que perde espaço na luta pelo G-4 e segue na sexta posição com 45 pontos, ainda podendo perder posição para o Oeste nessa rodada.

Em um grande evento de segunda-feira, na próxima rodada, a equipe pelotense irá encarar o líder Internacional no Beira-Rio, no último dos seis clássicos gaúchos da Série B 2017. Já o Juventude receberá o Londrina (10°), finalista da Primeira Liga no Estádio Alfredo Jaconi, na sexta-feira (13). 

Juventude joga melhor e quase abre o placar

Nos primeiros minutos de partida, o Brasil começou a abafar, como é de costume quando joga no Estádio Bento Freitas. Junto com o calor da torcida, o Xavante jogou com vários cruzamentos na área do Jaconero, mas que não resultaram em nada.

A partir dos 17', porém, o jogo mudou: a primeira chegada do Juventude veio quando Wesley Natã achou Tiago Marques, que bateu cruzado para bela defesa de Pitol.

Mesmo com a marcação alta do time visitante, a equipe de Clemer não se intimidou e partiu para o ataque, quase abrindo o placar em falta cobrada por Itaqui, que mandou no ângulo para uma defesa espetacular de Matheus Cavichioli.

No fim, aos 41', Yago recebeu lançamento na área e tocou na saída de Marcelo Pitol. A bola foi entrando lentamente e Itaqui se jogou em cima da linha para evitar o tento. No contra ataque, Marcinho arrancou e se perdeu com a bola, que sobrou para Juninho bater forte e errar o alvo, na última chance da primeira etapa.

Brasil pressiona, marca no fim e leva vitória

Percebendo que necessitava de maior marcação no setor de meio, o técnico Clemer fez mudanças táticas e conseguiu fazer o Brasil do começo do jogo voltar: marcação alta e pressão na saída de bola do time caxiense.

Logo a tática surtiu efeito: aos 12', Éder Sciola quase marcou um golaço em uma sobra na intermediária, pegando firme para outra grande defesa do destaque do jogo, Matheus Cavichioli.

Depois do lance, o Xavante relaxou e viu o Papo pressionar com alguns lances seguidos na área. Em um deles, Tinga cobrou lateral forte na área e viu o artilheiro do time, Tiago Marques cabecear para fora.

Vendo a pressão de estar aos 28' e sem o resultado, o time do Brasil ligou a quinta marcha e foi com tudo para frente, encurralando o Juventude e chegando muito pelas laterais. Em uma jogada de CalysonNem recebeu passe e finalizou na mão do goleiro visitante.

Um minuto depois, uma grande chance para o time da casa: bem como a finalização de Yago no primeiro tempo, Calyson teve boa chance e fez a bola passar de Matheus Cavichioli, mas viu o zagueiro Micael salvar no momento decisivo, em cima da linha.

Pressionando muito, o Rubro Negro acabaria marcando seu gol aos 40', quando Itaqui cobrou falta na cabeça de Lincom, o único dos três jogadores xavantes que não estava impedido no lance. Ele cabeceou para o chão, no canto direito, diante de um imóvel Matheus, que apenas lamentou o gol sofrido.

Sem poder de criação, o Juventude até esboçou uma reação, mas não conseguiu assustar o time de Clemer, que comemorou a segunda vitória sobre o rival na Série B, distanciando-se do Z-4 e aliviando seu torcedor.