Sub17: Brasil vence Níger, confirma liderança do grupo e deve encarar Honduras nas oitavas

Invicta, Seleção Brasileira avança ao mata-mata; principal referência da equipe, Lincoln deixa sua marca mais uma vez

Sub17: Brasil vence Níger, confirma liderança do grupo e deve encarar Honduras nas oitavas
(Foto: Boris Streubel - FIFA/FIFA via Getty Images)
Níger
0 2
Brasil
Níger: Lawali; Wa Massamba, Mahaman, Idrissa (Amadou, min. 79), Sofiane; Amoustapha (Boubacar, min. 51), Tinni (Abdourahmane, min. 47), Ibrahim, Aboubacar, Soumana; Namata.
Brasil: Gabriel Brazão; Wesley, Vitão, Lucas Halter, Weverson (Luan Candido, min. 82); Marcos Antônio, Bobsin, Vitinho (Helinho, min. 45+2), Paulinho (Nestor, min. 74); Lincoln, Brenner. Técnico: Carlos Amadeu.
Placar: 0-1, min. 4, Lincoln. 0-2, min. 34, Brenner.
ÁRBITRO: Robert Madden (ESC). Cartões amarelos: Djibrilla Ibrahim (min. 32)
INCIDENCIAS: Partida válida pela terceira rodada do Mundial Sub-17, realizada em Goa, na Índia.

Na manhã desta sexta-feira (13), a Seleção Brasileira entrou em campo pela terceira rodada do Mundial Sub-17, realizado em Goa, na Índia. O adversário foi a seleção de Níger, terceira colocada do grupo com três pontos somados. 

Com a Seleção já classificada às oitavas, o treinador Carlos Amadeu optou por poupar um dos principais jogadores de sua equipe. O meia Alan, pendurado por cartão amarelo, foi preservado e começou a partida entre os reservas. Em seu lugar, Paulinho saiu e jogando e teve boa atuação, até sair lesionado nos acréscimos da primeira etapa.

Ciente de sua superioridade técnica, o selecionado brasileiro não jogou o seu melhor futebol, e ainda assim não teve dificuldades para superar os africanos: 2 a 0, gols de LincolnBrenner. Com a vitória, a equipe verde a amarela garantiu a primeira posição do grupo D, com nove pontos em três partidas. Artilheiro do Brasil, Lincoln chegou aos três gols em três partidas.

O próximo compromisso do Brasil será na próxima quarta-feira (18), às 12h30. Apesar de não haver ainda uma definição oficial do chaveamento, é bastante provável que Honduras esteja no caminho da Seleção Brasileira. Esta partida já vale pelas oitavas de final da competição. Níger avançou como um dos melhores terceiros colocados, e enfrentará Gana nas oitavas.

Dupla 'mágica' ataca novamente

(Foto: Boris Streubel - FIFA/FIFA via Getty Images)

Apesar da pouca idade, os meninos brasileiros entraram campo mostrando bastante maturidade. Já classificados mas visando um chaveamento tranquilo, a Seleção Brasileira trabalhou bastante a posse de bola nos minutos iniciais, sem afobar ou precipitar as investidas ao ataque.

Quase naturalmente e sem forçar muito, os comandados de Carlos Amadeu abriram o placar aos 4'. Em bela jogada trabalhada, Marco Antônio lançou Paulinho pela direita. O camisa 7 avançou e cruzou rasteiro com perfeição, achando Lincoln livre, quase na altura da pequena área. Com o goleiro já batido, o centroavante rubro-negro só teve o trabalho de completar para as redes: 1 a 0

Dois minutos depois, aos 6', a Seleção Brasileira quase ampliou o marcador em cobrança de escanteio. Brenner cruzou bem e Lincoln desviou de cabeça, mas viu a bola explodir no travessão. Aos 21', Wesley finalizou firme, mas parou em boa defesa do goleiro Lawali. Aos 23', Vitinho teve chance de ampliar, mas finalizou pra fora. 

Níger oferecia pouca resistência e não assustava o goleiro Gabriel Brazão, praticamente uma testemunha da partida durante a primeira etapa. Aos 34', o Brasil chegou ao seu segundo gol. Em cobrança de falta da altura da intermediária, Brenner contou com desvio crucial na barreira, mudando completamente a trajetória da bola e matando o goleiro Lawali: 2 a 0.

2T morno, Brasil administra vitória

(Foto:Boris Streubel - FIFA/FIFA via Getty Images) 

O segundo tempo se desenrolou em ritmo bastante cadenciado. Com vantagem confortável no placar e sofrendo com o forte calor, a equipe brasileira passou a administrar o resultado. Percebendo o momento, a Seleção de Níger passou a se aventurar mais ao ataque, mas esbarrava em suas evidentes limitações técnicas.

Aos 9', Wa Massamba obrigou Brazão a fazer sua primeira defesa na partida, sem maiores dificuldades. Aos 17', o goleiro do Cruzeiro foi testado mais uma vez, dessa vez espalmando para escanteio um chutaço do mesmo Wa Massamba. Esta foi a melhor chance de ataque criada por Níger na partida.

Já na reta final da partida, aos 39', o camisa 8 de Níger, Sofiane, tentou cruzamento despretensioso, mas a bola acabou descaindo rapidamente e indo em direção ao gol. Atento, Brazão fez mais uma boa defesa, impedindo qualquer tentativa de reação dos adversários.

A melhor chance do Brasil no segundo tempo veio só aos 44'. Vindo do banco de reservas, Nestor deu belo passe para a infiltração de Wesley, pela direita. O lateral invadiu a área e preferiu finalizar, mas viu a bola 'beijar' a rede pelo lado de fora.

Futebol Brasileiro