Em situações opostas, Botafogo e Fluminense disputam último clássico do ano no Rio

Temporada de clássicos no futebol carioca é encerrada; enquanto Glorioso busca se fortalecer na briga pelo G-4, Tricolor das Laranjeiras tenta se afastar ainda mais da zona de rebaixamento

Em situações opostas, Botafogo e Fluminense disputam último clássico do ano no Rio
FOTO: Vitor Silva/SS Press/Botafogo
Botafogo
Fluminense
Botafogo: GATITO FERNÁNDEZ; ARNALDO, JOEL CARLI, IGOR RABELLO E VICTOR LUÍS; MATHEUS FERNANDES, RODRIGO LINDOSO, BRUNO SILVA E MARCOS VINICIUS; PIMPÃO E RENNER. TÉCNICO: JAIR VENTURA.
Fluminense: DIEGO CAVALIERI; LUCAS, RENATO CHAVE, GUM E MARLON; RICHARD, DOUGLAS, SORNOZA, GUSTAVO SCARPA; MARCOS JUNIOR (WELLINGTON SILVA) E HENRIQUE DOURADO. TÉCNICO: ABEL BRAGA.
ÁRBITRO: LUIZ FLÁVIO DE OLIVEIRA (SP), AUXILIADO POR DANILO RICARDO SIMON MANIS (SP) E MIGUEL CAETANO RIBEIRO DA COSTA (SP)
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 32ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2017, A SER DISPUTADA NO ESTÁDIO NILTON SANTOS, NO RIO DE JANEIRO, NA NOITE DESTE SÁBADO (04)

Em partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A, o Botafogo recebe o Fluminense neste sábado (4) no Estádio Nilton Santos, às 19h (de Brasília). O Glorioso é o sexto colocado com 48 pontos e 13 vitórias no campeonato. O Fluminense por sua vez, tem quatro vitórias a menos que o rival carioca, soma nove, e tem 39 pontos na competição, ocupando a 14ª posição.

Após empatar em 0 a 0 com o Atlético-MG no último domingo (29), o Alvinegro vai em busca da vitória no clássico para se firmar ainda mais na briga pelo G-4, buscando se classificar de maneira direta para a fase de grupos da Libertadores 2018. O Tricolor, que também vem de um empate a última rodada, contra o Bahia por 1 a 1, precisa da vitória para aumentar a distância para o primeiro colocado da zona de rebaixamento, que atualmente é de quatro pontos.

No primeiro turno, o Botafogo levou a melhor em um confronto disputado e com boa atuação dos goleiros. O artilheiro Roger foi o autor do único gol da partida, que decretou a vitória do Glorioso.

Botafogo tem “desfalque” para clássico

Após receber o terceiro amarelo no último domingo (29), no confronto diante do Atlético-MG em Belo Horizonte, o meia João Paulo desfalca o Botafogo frente ao Fluminense. Ao que tudo indica, Marcos Vinicius deve ser o escolhido de Jair Ventura para suprir a ausência de João.

Rodrigo Lindoso falou após o treino dessa quinta-feira, e reiterou a qualidade do elenco: “ (João Paulo) É um dos jogadores que mais fez jogos no ano, sabemos da importância dele, mas temos que valorizar quem entra em campo. Uma das nossas virtudes é essa. Mantemos o nível da equipe mesmo com as alterações. Acredito que a mudança maior fica para o pessoal da frente. (Marcos Vinicius) É um cara com bom passe e um diferencial. Um ponto forte com a volta do Marcos Vinicius ao time é o ganho de qualidade no terço final”, comentou.

Lindoso também falou sobre a busca pela vaga na Libertadores: “Falamos do G-4 pelo fato de jogarmos na pré-Libertadores esse ano. Sabemos o quanto sofremos e foi difícil, com muita gente da imprensa falando que não conseguiríamos passar. O nosso grupo mostrou que esse ano seria diferente e o foco agora está nesse objetivo. Nunca projetamos objetivos para três ou quatro jogos e sim sempre para o próximo jogo”, destacou o volante, mostrando o interesse principal do grupo: terminar a competição no G-4.

Fluminense retoma foco apenas para Brasileiro

Após sofrer dura eliminação na Sul-Americana diante do Flamengo, o Fluminense volta todas suas atenções para o Campeonato Brasileiro, e busca se afastar de vez da zona de rebaixamento.

Marcos Júnior falou sobre a situação do Tricolor no Campeonato Brasileiro: “O grupo é muito bom. Estou aqui desde 2012, cansei de pegar jogador maluco. Tem muito jogador jovem, só alguns experientes. Mas esse elenco não merece passar por isso. Tem muita coisa que acontece que a gente não pode falar. A gente sabe das dificuldades, a diretoria também. É levantar a cabeça. Temos que entrar focados, porque só a gente pode sair dessa situação”, destacou.

O atacante também pediu o apoio da torcida: “Nossa torcida é bonita, não pode deixar estádio vazio assim. Na situação que estamos eles ficam meio desanimados. Até entendo, também sou torcedor. Mas eles têm que abraçar a gente. Não adianta ficar vaiando, não tem outro caminho, tem que apoiar do começo ao fim. Deixa para vaiar quando acabar o jogo. Eu posso ser vaiado, não ligo, tenho cabeça fria. Quanto mais me vaiarem, com mais vontade vou jogar”, finalizou.