Brasil de Pelotas vence ABC, engata sequência positiva e garante permanência na Série B

Xavante chega a 48 pontos com três vitórias consecutivas e cumpre objetivo de ficar na Série B para temporada 2018

Brasil de Pelotas vence ABC, engata sequência positiva e garante permanência na Série B
Rafinha foi autor do primeiro gol xavante (Foto: Gustavo Pereira / G.E. Brasil / VAVEL Brasil)
Brasil de Pelotas
3 0
ABC
Brasil de Pelotas: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Teco e Marlon; Leandro Leite, Itaqui e Itaqui; Rafinha, Misael e Lincom (Cassiano). Técnico: Clemer
ABC: Edson; Arez, Tonhão, Danrlei e Daniel Nazaré; Jardel, Erivelton, Berguinho; Dalberto, Mateus e Fessin (Adriano Pardal). Técnico: Ranielle Ribeiro
Placar: 1-0, Rafinha. 2-0, Marlon. 3-0, Cassiano.
ÁRBITRO: Sávio Pereira Sampaio, auxiliado por Luciano Benevides de Sousa e Ciro Chaban Junqueira.
INCIDENCIAS: Partida válida pela 36ª rodada da Série B do Brasileiro, disputada no estádio Bento Freitas, em Pelotas

O Brasil de Pelotas fica na Série B em 2018. O Xavante chegou a flertar nas proximidades da zona do rebaixamento, mas o time engatou três vitórias consecutivas no momento certo e, com o técnico Clemer no comando, chegou aos sonhados 48 pontos para definir sua permanência. A vitória derradeira veio em cima do lanterna e já rebaixado ABC, nesta terça-feira (14). Mais uma vez o estádio Bento Freitas esteve lotado e o apoio do torcedor serviu de combustível para o resultado positivo do rubro-negro, clube mais ao Sul da B.

O Xavante chega a 48 pontos e fica na parte de cima da tabela, na 9ª colocação. O ABC, alvinegro potiguar, não teve bom destino na temporada 2017 e vai ficando com a lanterna. São 31 pontos na última colocação do campeonato. No próximo sábado, o Brasil joga contra o Boa Esporte em Varginha e o ABC recebe o Oeste em Natal. As partidas são às 17h30 pelo horário de Brasília.

Rafinha abre placar muito cedo, mas ABC incomoda

Após muito incentivo das arquibancadas desde o aquecimento dos atletas, a bola rolou a partir das 20h30. Não demorou para a redonda encontrar o caminho do gol. O centroavante Lincom recebeu aos 5 minutos, entregou para Rafinha e o meio-campista chutou forte para abrir o placar: 1 a 0.

Aos 13 minutos, o ABC respondeu com Erivelton, que arriscou o chute e mandou na trave de Marcelo Pitol. O estádio Bento Freitas queria mais, mas quem atacava era o descompromissado e já rebaixado ABC. Aos 16', Daniel Nazaré acertou chute de primeira e a bola passou perto do alvo mais uma vez.

Aos 20', o Brasil no ataque com os zagueiros em busca do gol no jogo aéreo. Cruzamento partiu e Teco antecipou ao goleiro para finalizar, mas errou a meta adversária, em grande chance. Nova oportunidade somente aos 29. Ares chegou para cruzar do fundo de campo após boa tabela, mas Leandro Leite chegou na hora H para livrar o Brasil do perigo.

O goleiro Marcelo Pitol precisou aparecer aos 33 minutos. Dalberto mandou o chute de muito longe, procurava o ângulo, mas o arqueiro xavante espalmou. Pitol ainda salvou em chute de Daniel e cruzamento fechado feito por Berguinho, mostrando que ganhar do lanterna não seria missão tão dada e facilitada assim. Somente no último giro do primeiro tempo, o lateral-esquerdo Marlon, de volta à equipe, cruzou e Lincom perdeu grande oportunidade de sacramentar a vantagem. A partida foi ao intervalo com 1 a 0 ao Xavante.

Bento Freitas lotado (Divulgação / G.E. Brasil)

Marlon amplia e Brasil garante festa

Na arrancada do segundo tempo, chances do Brasil. Calyson errou o alvo em chute fraco aos 3 minutos. No giro seguinte do cronômetro, o atacante Lincom recebeu bola alta, como ele gosta, mas cabeceou pela linha de fundo.

No ABC, entrou Adriano Pardal e saiu Fessin. No Brasil, Clemer trocou o time com Cassiano no lugar de Lincom. E logo houve a ampliação do placar. O lateral-esquerdo Marlon voltava de suspensão por cartão amarelo e quis logo cavar o seu nome no time. Contestado durante a temporada, foi dele o segundo gol. Aos 18', Misael colocou na esquerda para entrada de Marlon, que chutou, a bola pegou na trave e beijou as redes: 2 a 0.

Aos 25', Eder Sciola, outro lateral que de contestado virou destaque, mas isso de jogos e mais jogos, colocou para Cassiano fazer o terceiro gol: 3 a 0. Terceiro de Cassiano nos últimos dois jogos. Misael teve a chance do quarto, mas chutou em cima do arqueiro Edson, que garantiu a defesa. Não hove mais chances claras em um jogo que se arrastou até seu final aos 47 minutos. O Brasil festejou com seu torcedor nas arquibancadas.