Diego Giaretta marca, Vila Nova supera São Raimundo-RR e se classifica na Copa do Brasil

Único tento da partida aconteceu ainda no primeiro tempo, em cobrança de falta

Diego Giaretta marca, Vila Nova supera São Raimundo-RR e se classifica na Copa do Brasil
Foto: Divulgação/Vila Nova FC
São Raimundo-RR
0 1
Vila Nova
São Raimundo-RR: Diego; Luan, Sérgio Vinícius, Kelvin, André; Belão, Nilsão, Emerson, Ribinha; Ygor, Raí. Técnico:
Vila Nova: Mateus Pasinato; Maguinho, Brunão, Diego Giaretta, Leo Rodrigues; Geovane, Fagner, Dudu, Reis; Mateus Anderson, Ramon.
Placar: 0-1, Diego Giaretta, min. 55.
INCIDENCIAS: Partida válida pela primeira fase da Copa do Brasil 2018, realizada no estádio Ribeirão, em Boa Vista/RR. Público pagante: 532. Renda: R$ 10780,00.

Em um campo nada regular, de qualidade altamente questionável, o Vila Nova honrou seu favoritismo e se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil 2018. No estádio Ribeirão, em Boa Vista/RR, o Tigrão superou o São Raimundo por 1 a 0. O gol único foi marcado por Diego Giaretta, de falta, aos 10 minutos da segunda etapa. Na próxima fase, o Vila encara o Joinville-SC, na próxima quinta-feira (15), a partir das 19h15, em Goiânia.

Primeiro tempo: domínio vilanovense, mas nem tanto

Demonstrando maior qualidade e imposição tática, o Tigrão partiu para cima logo de cara. Logo nos cinco primeiros minutos, dois escanteios. No primeiro, aos dois, corte da defesa. No segundo, aos quatro, Giaretta ganhou o rebote, porém mandou para fora. Depois de ficar atordoado, o time da casa, sem ritmo de jogo (fez apenas uma partida no ano), tentou mostrar que também podia oferecer riscos.

Aos 14', a primeira chance do Mundão. Cobrança de falta, que Luã mandou pertinho da meta do Tigrão. Animado e percebendo que podia arriscar, a equipe roraimense ia chegando, de bola parada em bola parada. No minuto 20, Fagner, em mais uma falta, acertou a barreira. Aí, vem o contragolpe. Reis, aos 21', em jogada individual, quase ganhou da defesa, que deu o bote rápido. 

Com a bola no chão e acalmando o jogo, o Vila foi retomando as ações. Aos 24', escanteio, que Mateus Anderson completou para fora. A trilha do sucesso do time goiano era pelas laterais. Reis e Mateus Anderson enlouqueciam a defesa adversária. Mas, quem criou perigo foi o Mundão. Aos 28', Ribinha fez o mais difícil. Driblou o marcador, porém mandou a bola longe, literalmente. Fora do estádio. Lance digno de peladinha do fim de semana com os amigos.

Perto do fim da primeira etapa, o Vila protagonizou um bombardeio ao gol do São Raimundo. Aos 37', escanteio que Giaretta mandou no gol. Sobra de bola dada pelo goleiro Diego e veio chute de tudo quanto é lado. Após o lance, o arqueiro do time da casa veio ao solo. Na última grande chance, aos 43', falta próxima da meia-lua para o Mundão, que Luã mandou próxima ao gol.

Segundo tempo: Giaretta preciso e abafa da equipe da casa

A falta de entrosamento era notória no São Raimundo, todavia a vontade compensava. Na base da garra, os donos da casa construíam suas jogadas. Só que vontade não é tudo e quem tem qualidade, consegue. Aos 10 minutos, o gol do Vila. Falta na meia-lua. Na rodinha, decidindo quem bateria, Geovane, Reis e Giaretta. Depois do concílio, o zagueiro, de esquerda, mandou forte, no ângulo, sem chance de defesa. 1 a 0 Vila.

Sofrer o gol deixou o Mundão fora do eixo. Somente quatro minutos depois, em uma finalização despretensiosa de Raí, o time de Roraima voltou a atacar. E era na base do desespero, sem organização, que o São Raimundo tentava empatar para, posteriormente, buscar a virada. O destempero levava ao excesso de tentativas de jogada individual, como a de Emerson, aos 25', que conseguiu abrir espaço, mas nada de tocar a bola. A galera não gostou e teceu-lhe palavras de puro afeto.

O nervosismo chegou à comissão técnica. No minuto 27, o treinador Chiquinho Viana foi advertido pelo árbitro, pois reclamava demais. Tentando cavar faltas desesperadamente, o São Raimundo ia, a grosso modo, abafando e pressionando. Ao Vila, coube esperar e cadenciar o jogo. Aos 41', o segundo lance digno de pelada. Romanelli arriscou do meio da rua e mandou no meio da rua, para trás dos muros do estádio. No toque, de leve, o Tigrão foi abaixando a bola do adversário e superou até mesmo os cinco minutos de acréscimo para confirmar sua classificação.