Goleiro João Ricardo brilha, pega pênalti de Robinho e América bate Atlético no Horto

Eficiente, Coelho supera Galo no Independência e abre vantagem na primeira decisão do Campeonato Mineiro

Goleiro João Ricardo brilha, pega pênalti de Robinho e América bate Atlético no Horto
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG
América-MG
2 1
Atlético-MG
América-MG: João Ricardo, Pablo (Artur, min. 42/2º), Sueliton, Alison e Bryan, Claudinei, Leandro Guerreiro, Rafael Bastos (Ernandes, min. 33/2º) e Tiago Luís (Danilo, min. 18/1º); Osman e Borges. Treinador: Givanildo Oliveira.
Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Léo Silva, Erazo e Douglas Santos (Carlos César, min. 20/2º); Rafael Carioca e Leandro Donizete; Hyuri, Robinho e Patric (Lucas Pratto, min. 1/2º); Clayton (Cazares, min. 6/2º). Treinador: Diego Aguirre.
Placar: 1-0, min. 33/1º, Danilo. 2-0, min. 5/2º, Danilo. 2-1, min. 48/2º, Lucas Pratto.
ÁRBITRO: Dewson Fernando Freitas (Fifa-PA). Cartões amarelos: Alison (min. 24/2º).
INCIDENCIAS: Partida de ida da final do Campeonato Mineiro, realizada na Arena Independência, em Belo Horizonte/MG.

Assim como fez contra o Cruzeiro nas semifinais, o América não deu bola para o favoritismo do adversário e abriu vantagem para conquistar o sonhado Campeonato Mineiro. Na tarde deste domingo (1º), o Coelho contou com ótima atuação do goleiro João Ricardo para bater o Atlético, por 2 a 1, e inflamar a torcida alviverde no Independência.

Quando o América estava à frente com dois gols de vantagem, ambos marcados pelo meia Danilo, o arqueiro alviverde pegou um pênalti cobrado por Robinho. No entanto, não conseguiu evitar um gol salvador de Lucas Pratto aos 48 minutos do segundo tempo.

Agora, ambas as equipes voltam a se enfrentar no domingo (8), no Mineirão, às 16h, no jogo que vai decidir quem leva o troféu do Mineiro. O Coelho joga por um empate, enquanto uma vitória simples dá o título ao Atlético.

Antes, porém, o Galo entrará em campo contra o Racing na quarta-feira (4), às 21h45, no Independência, para o jogo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores da América. A partida de ida, na Argentina, terminou 0 a 0.

Atlético chega pouco e América abre o placar com golaço

América e Atlético, que entraram em campo com alguns desfalques, pouco criaram chances efetivas de gols nos instantes iniciais do primeiro tempo. A partida ficou travada no meio-campo e os atacantes Borges (Coelho) e Clayton (Galo) quase não tocaram na bola.

O América chegou pela primeira vez aos 20 minutos, quando Claudinei arriscou da intermediária e obrigou Victor a espalmar pela linha de fundo. Com dificuldades para chegar à meta do goleiro João Ricardo, o Atlético tentava nas finalizações de longa distância abrir o placar.

Porém, foi o América quem fez a torcida soltar o grito de gol no Independência. O meia Danilo, que havia substituído Tiago Luís após o atleta passar mal em campo, recebeu passe de Pablo na ponta esquerda, levou para a perna direita e soltou uma pancada, sem chances para Victor.

A equipe americana ganhou confiança no jogo e quase aumentou o marcador depois de vacilo de Marcos Rocha. O lateral atleticano errou a saída de bola, Bryan ficou com a bola e arrematou forte, rasteiro, mas Victor, com os pés, mandou para a linha de fundo. A resposta do Galo veio com Hyuri, que iria fazer um belo gol de cobertura não fosse o zagueiro Sueliton para tirar para escanteio.

Ataque atleticano para em João Ricardo, mas Pratto alivia a torcida nos acréscimos

América e Atlético retornaram do intervalo, e o treinador do time alvinegro, Diego Aguirre, realizou uma mexida: saiu Patric, que retornava de lesão, para a entrada de Lucas Pratto. Entretanto, mal deu tempo do camisa 9 encostar na bola antes que o Coelho marcasse o segundo gol.

Em um lance bem semelhante ao primeiro gol, Pablo explorou o espaço na intermediária atleticana e abriu para Danilo na esquerda: o meia dominou, fuzilou de canhota e, com desvio de Marcos Rocha na trajetória da bola, superou novamente o arqueiro Victor.

Em busca de diminuir o prejuízo, Aguirre não perdeu tempo e realizou mais uma alteração. Assim, Clayton deixou a partida; Cazares entrou. Aos 20 minutos, o comandante foi forçado a fazer a terceira mudança, uma vez que Douglas Santos sentiu uma possível lesão e não aguentou retornar: Carlos César em campo.

À metade do segundo tempo, o Atlético chegou por duas vezes com perigo. Primeiro, Hyuri iniciou uma jogada na ponta direita que foi finalizada por Pratto na área, obrigado João Ricardo a sujar o uniforme. Depois, Robinho achou Hyuri às costas da defesa e meia-atacante chutou a bola no peito do arqueiro americano.

O Atlético usava bastante a faixa direita do ataque para tentar furar a concentrada defesa do América. Robinho, aos 27 minutos, colocou a bola na cabeça de Hyuri, que novamente pôs João Ricardo para trabalhar. Robinho, apagado no primeiro tempo, era o atleta mais ativo do Galo na etapa derradeira. Em jogada iniciada pelo camisa 7, Pratto deixou Hyuri em condições de diminuir, mas o meia chegou à bola atrasado.

Nos minutos finais de jogo foram marcados por grande emoção. Capitão do América, Leandro Guerreiro interceptou com a mão um chute de Carlos César e o árbitro apontou para a marca da cal. Robinho pediu a bola para Lucas Pratto e foi para cobrança, mas bateu mal e consagrou João Ricardo. Contudo, Lucas Pratto recebeu assistência de Hyuri aos 48 minutos e diminuiu a vantagem do Coelho para o segundo jogo, no próximo domingo (8), no Mineirão.