América-MG e Bahia empatam sem gols em jogo movimentado e deixa vaga na terceira fase em aberto

Partida teve oportunidades de gol para as duas equipes e a vantagem de ambos para o segundo confronto é mínima

América-MG e Bahia empatam sem gols em jogo movimentado e deixa vaga na terceira fase em aberto
(Foto: Mourão Panda/América Mineiro)
América-MG
0 0
Bahia
América-MG: Fernando Leal; Artur, Alison e Sueliton; Jonas (Tiago Luís – 35’/1ºT), Leandro Guerreiro, Claudinei e Danilo Barcelos; Osman, Rafael Bastos (Sávio – 34’/2ºT) e Victor Rangel (Borges – 21’/2ºT). Técnico: Givanildo Oliveira.
Bahia: Marcelo Lomba; Tinga, Lucas Fonseca (Robson – 22’/2ºT), Éder e João Paulo Gomes; Feijão, Paulo Roberto, Danilo Pires e Luisinho (Henrique – 30’/2ºT); Thiago Ribeiro e Zé Roberto (Gustavo Blanco – 14’/2ºT). Técnico: Doriva.
ÁRBITRO: Bruno Arleu de Araújo (Aspirante FIFA/RJ), auxiliado por Luiz Cláudio Regazone (Aspirante FIFA/RJ) e Diogo Carvalho Silva (RJ) | Cartão amarelo: Osman (AMG - 33'/2ºT)
INCIDENCIAS: Primeiro confronto entre as equipes válido pela segunda fase da Copa do Brasil 2016. Jogo realizado na noite desta quarta-feira (11), na Arena Independência, em Belo Horizonte/MG.

O jogo foi franco, cheio de lances de perigo, mas faltou o principal: a bola na rede. Em jogo realizado na noite desta quarta-feira (11), na Arena Independência, em Belo Horizonte, América-MG e Bahia se enfrentaram pela primeira partida da segunda fase da Copa do Brasil 2016. O confronto terminou empatado sem gols.

Com o resultado, novo zero no placar leva a disputa às penalidades máximas. Empate com gols classifica a equipe mineira. Só a vitória interessa ao Esquadrão de Aço. O segundo e decisivo duelo entre as equipes será disputado às 21h45 da próxima quarta-feira (18), na Arena Fonte Nova, em Salvador/BA.

Primeiro tempo equilibrado, com chances para ambos

O América-MG começou o primeiro tempo no ataque, com o objetivo de fazer valer o mando de campo e conseguir um bom resultado diante do seu torcedor. Mas o jogo ficou travado e as equipes conseguiam chegar à meta adversária por meio dos lances de bola parada, principalmente nas cobranças de falta.

As reais chances de gol demoraram a acontecer e vieram apenas na metade final. Aos 25 minutos, os donos da casa chegaram bem. Rafael Bastos deixou a bola para Osman e o atacante arriscou com a perna esquerda. O goleiro Marcelo Lomba encaixou bem e fez a defesa. O Bahia respondeu com muito mais perigo.

Aos 41 minutos, Danilo Pires avançou com a pelota pelo lado direito de ataque, passou por um marcador, driblou outro e acionou Zé Roberto. O atacante bateu forte para o gol e a bola explodiu no travessão. Aos 44, o Tricolor perdeu a melhor oportunidade em toda a partida. Depois de bola cruzada no lado direito, Zé Roberto se enrolou com a bola e perdeu o gol embaixo da trave.

Equipes têm novas chances mas falham na pontaria

O América estava ciente de que o Bahia poderia aproveitar qualquer vacilo para marcar e ter boa vantagem para o segundo confronto. Por isso, o Coelho foi ao ataque para acertar a pontaria e balançar as redes. Aos dois minutos, Victor Rangel recebeu excelente passe de frente para o gol, mas furou na hora de definir o lance. Na jogada seguinte, dois chutes de perigo. Primeiro, Osman chutou e Marcelo Lomba espalmou. Segundo, Rafael Bastos encheu o pé e o goleiro tricolor fez outra boa defesa.

O Bahia logo respondeu. Aos cinco minutos, Thiago Ribeiro recebe lançamento em profundidade, bateu de esquerda e Fernando Leal defendeu. No rebote, Luisinho finalizou e a defesa americana desviou. O Esquadrão de Aço voltou a levar perigo à meta mineira aos 13 minutos. Em boa jogada de ataque, Luisinho ajeitou e bateu para o gol. Artur apareceu para desviar e evitou o gol baiano. Os visitantes eram melhores na etapa complementar no quesito ofensividade. Aos 28 minutos, Gustavo Blanco recebeu ótimo lançamento de Danilo Pires. O atacante entrou na área e bateu na saída do goleiro Fernando Leal, mas a bola foi para fora.

O América-MG voltou a responder com perigo após sofrer pressão. Aos 38 minutos, Danilo cobrou falta colocado e a bola acertou o travessão defendido por Marcelo Lomba. A partir daí, as equipes buscaram o ataque com o objetivo de tirar o zero do placar e obter vantagem maior em relação ao oponente, mas os ataques eram imprecisos e as defesas levavam a melhor. Dessa forma, o gol não saiu em Belo Horizonte.