América vence Coritiba de virada e respira no Z-4

Coxa abre o placar, com Kléber, mas Adalberto e Borges garantem primeira vitória do América sob comando de Sérgio Vieira

América vence Coritiba de virada e respira no Z-4
(Foto: Divulgação/América-MG)
América-MG
2 1
Coritiba
América-MG: João Ricardo; Hélder, Artur, Adalberto, Danilo Barcelos, Leandro Guerreiro, Juninho, Ernandes, Eduardo (min. 22, Alan Mineiro, 2ºT), Osman (min. 36, Sávio, 2ºT), Borges (min. 29, Victor Rangel, 2ºT)
Coritiba: Wilson; Dodô, Rafael Marques, Juninho, Carlinhos, Edinho, João Paulo (min. 17, Leandro, 2ºT), Ruy (min. 32, Ortega, 2ºT), Juan, Felipe Amorim (min 20, Vinicius, 2ºT), Kleber
Placar: 0-1, min. 49, Kléber; 1-1, min. 54, Adalberto; 2-1, min. 57, Borges.
ÁRBITRO: Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ), auxiliado por Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Luiz Claudio Regazone (RJ). Cartões amarelos: João Paulo, Carlinhos, Juninho (COR)
INCIDENCIAS: Partida válida pela nona rodada do Campeonato Brasileiro 2016, duelada no Estádio Independência, neste sábado (18), às 21h, em Belo Horizonte, para um público de 796 torcedores.

Na noite deste sábado (18), o América venceu o Coritiba por 2 a 1, no Estádio Independência, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Coelho soma oito pontos, saindo, momentaneamente, da lanterna da zona de rebaixamento da competição, e indo para 18º posição (se Sport e Atlético-MG vencerem suas partidas, o América volta à última posição), enquanto o Coritiba, também com oito pontos, ocupa a 16º colocação, primeira fora do Z-4 (se Cruzeiro empatar ou vencer, ou Atlético-MG vencer, o Coxa termina a rodada no Z-4).

Após realizarem um primeiro tempo com a cara do placar de 0 a 0, as equipes voltaram mais animadas para a etapa final, construindo o placar de 2 a 1 nos últimos 45 minutos. O Coritiba abriu o placar, com Kléber, aos 4min, e o América chegou ao empate com Adalberto, aos 9min. Borges virou o jogo, aos 12min, consagrando a primeira vitória do América sob comando do técnico Sérgio Vieira, que perdeu as duas últimas partidas pelo placar de 3 a 1, fora de casa, para Internacional e Botafogo. Já no Coxa, a derrota pode custar caro, pois o time depende de alguns resultados para não terminar a rodada na zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, América e Coritiba enfrentam dois times que vêm se alternando na liderança do campeonato. Enquanto o Coelho visita o Palmeiras, na terça-feira (21), às 21h30min, na Arena Palmeiras, o Coritiba recebe o Internacional, no Couto Pereira, na quinta-feira (23), às 21h30min.

Com poucas chances criadas, equipes não conseguem abrir o placar no primeiro tempo

O placar no Independência permaneceu zerado durante todo o primeiro tempo. Com defesas bem estruturadas, América e Coritiba apostaram na marcação e viram seus goleiros tendo pouco trabalho.

A rede balançou, aos 9min, mas o gol foi anulado. No lance, Danilo cruzou para Osman, o zagueiro Juninho conseguiu fazer o corte, mas Hélder pegou o rebote e cabeceou para Borges, que finalizou para o gol. O atacante estava impedido e o gol não foi validado. As duas equipes seguiam sem muito criar, onde as defesas se destacavam mais que os ataques, que atuavam sem muito efetividade. Por conta disso, na etapa inicial, as equipes insistiram nas bolas longas, tentando fazer conexões diretas.

Na primeira finalização do Coxa no jogo, aos 23min, Juan chutou de fora da área, mas a bola passou longe do gol. Dois minutos depois, Carlinhos recebeu cartão amarelo, depois que perdeu o tempo da bola e cometeu uma falta dura em Osman (os jogadores do Coritiba, João Paulo e Juninho, também foram amarelados e não enfrentam o Internacional, na próxima rodada, pois estavam pendurados). No desenrolar do lance, no mesmo minuto, Carlinhos ainda interceptou um ataque do América, com um puxão na camisa de Osman, e por pouco não foi expulso.

Aos 27min, o América perdeu uma grande chance de abir o placar. Eduardo partiu em contra-ataque, abriu o jogo na esquerda com Danilo, que cruzou na área, mas João Paulo conseguiu fazer o corte. No rebote, Eduardo finalizou à esquerda do gol de Wilson. Em resposta, o Coritiba exigiu muito de João Ricardo. Dodô cruzou na cabeça de Juan, que finalizou para uma atuação que demandou muito reflexo do goleiro americano. No último lance de perigo da etapa inicial, Danilo deu uma caneta em Dodô e finalizou para o gol, mas a bola saiu pela linha de fundo.

Coritiba abre o placar mas o América consegue virar, em segundo tempo bem mais movimentado

Se no primeiro tempo as equipes não marcaram, fazendo por merecer o placar de 0 a 0, na etapa final, América e Coritiba tiveram atuações bem mais satisfatórias. Kléber, Adalberto e Borges foram os responsáveis pelas alterações no placar.

Logo aos dois minutos do segundo tempo, após envolvente troca de passes, Borges ficou de cara com Wilson e, no limite, tentou tocar para o gol, mas o goleiro conseguiu se antecipar bem e impediu o gol do atacante. Se Wilson levou a melhor de um lado, do outro, aos 4min, João Ricardo ficou pelo caminho de Kléber. Ruy tocou para Kléber, que, entrando na grande área, limpou a jogada, se livrou de João Ricardo e marcou o primeiro gol da noite no Independência.

Sem se intimidar após ver o Coxa abrir o placar em sua casa, o América insistiu até alcançar o empate. Aos 9min, Danilo cobrou falta, a bola explodiu no peito do goleiro Wilson e sobrou para o zagueiro americano, Adalberto, que empatou a partida. O autor do gol de empate, três minutos depois, fez um longo lançamento, o atacante Borges dominou a bola, e, num toque sutil, encobriu o goleiro Wilson, virando o placar para o América.

O Coelho ainda teve uma grande chance de ampliar o placar, com Borges, depois que o atacante recebeu um cruzamento de Osman e cabeceou com muito perigo para o gol. O jogo seguia bastante movimentado, e, aos 21min, Juan fez uma cobrança de falta que explodiu na junção das duas traves do gol de João Ricardo. Um minuto depois, o atacante Kléber pediu pênalti, depois de trombar em Hélder e cair na pequena área. Com o placar desfavorável, o Coxa partiu para o ataque e viu o América se fechar completamente. A pressão da equipe treinada por Pachequinho não conseguiu reverter o resultado e o Coelho conquistou a segunda vitória em casa.