Duas décadas depois, América-MG pode voltar a conquistar taça da Série B; rememore título de 1997

Coelho tem a chance de alcançar seu segundo troféu da competição nacional neste sábado (25), no Independência

Duas décadas depois, América-MG pode voltar a conquistar taça da Série B; rememore título de 1997
Arte: Isabelly Morais/VAVEL Brasil

O América-MG pode ser campeão da Série B do Campeonato Brasileiro neste sábado (25), caso vença o CRB, na Arena Independência, a partir de 17h30. A equipe mineira pode conquistar seu segundo título a nível nacional após 20 anos, já que levantou o troféu da segunda divisão de 1997.

O dia 7 de dezembro de 1997 foi inesquecível para o torcedor americano. Mais de 12 mil pessoas foram à Arena Independência para assistir a vitória por 1 a 0 em cima do Vila Nova-GO, com gol de Celso ainda na etapa inicial de partida.

A campanha do Coelho naquele ano foi impressionante. Invicto durante toda a competição (12 vitórias e um empate em 13 jogos), o América-MG ainda possuía o melhor ataque e a defesa menos vazada  da Série B. Foram 45 gols marcados e apenas 25 tomados.

+ De volta à elite: relembre todos os acessos do América-MG e campanhas na Série A

O campeonato fora dividido em cinco chaves com 25 clubes em cada. Para avançar de fase, o regulamento determinava as classificações dos três primeiros melhores de cada grupo e o quarto melhor geral. Após essa fase, outra divisão seria feita para conhecer as equipes do quadrangular final. Campeão e vice-campeão do torneio ascenderiam à elite do futebol no ano seguinte.

Na primeira rodada, o América-MG estreou com uma derrota por 2 a 1 para o CRB, em Alagoas. O Coelho reagiu em casa e venceu o Vila Nova-GO e Sergipe, mas tropeçou novamente fora de casa contra o Náutico, também derrotado por 2 a 1. 

Apesar dos tropeços, a campanha no Independência garantiu a equipe alviverde na próxima fase do campeonato. Em oito jogos, foram quatro vitórias e 12 pontos como mandante e três derrotas e um empate como visitante.

As 16 equipes classificadas para a próxima fase formavam oito grupos com dois participantes. Os vencedores formavam dois grupos com quatro equipes que estariam no quadrangular final. 

No primeiro jogo da fase, o time mineiro venceu o Desportiva-ES por 2 a 1 e espantou a má fase fora de casa. Além disso, o Coelho manteve o 100% de aproveitamento em casa e completou cinco partidas sem sofrer gols em seus domínios.

Na terceira fase da competição, o América-MG compôs o Grupo B junto do Vila Nova-GOJoinville e Tuna Luso. Os dois melhores colocados ganhavam a vaga no quadrangular final. 

O Coelho manteve a escrita. Venceu todas as partidas em casa e aplicou a maior goleada da competição: 5 a 0 sobre o Tuna Luso. Fora de casa, a equipe também mostrou amadurecimento. Foram quatro pontos conquistados em uma vitória, um empate e uma derrota. A equipe mineira avançou de fase com 13 pontos somados. 

O quadrangular final foi composto por América-MG, Vila Nova-GO, Ponte Preta e Náutico. Na estreia, o Coelho venceu a equipe goiana por 2 a 0. Na segunda rodada, o América-MG garantiu a liderança do grupo em vitória sobre o Náutico, também pelo mesmo placar. Na 3ª e 4ª do primeiro turno, o América-MG enfrentou a Ponte Preta em duas partidas. No Independência as equipes empataram por 0 a 0 e em Campinas, o Coelho tropeçou e perdeu a liderança da competição.

O jogo do ano aconteceu em Recife. A equipe mineira precisava vencer o Náutico para conseguir o acesso à elite. Em jogo disputado, o Coelho venceu por 2 a 0 e precisava de apenas uma vitória simples contra a equipe goiana para levantar o troféu.

Na fase final da Série B, o Coelho enfrentou o Vila Nova-GO. Em um Independência lotado, a equipe americana confirmou as expectativas e venceu a partida pelo placar mínimo. O triunfo garantiu o título nacional do América-MG e uma grande festa na Arena Independência.

Comparação com 2017

Importante na conquista do primeiro título americano, o zagueiro Wellington Paulo ressaltou as semelhanças do time de 1997 com a equipe atual.

"Em 97, o time começou meio desacreditado, como foi esse ano também. Com a chegada dos atletas mais experientes no início, isso foi dando mescla. Você chega com desconfiança, chega um pouco desacreditado por todos. E dentro foi ganhando corpo, como aconteceu agora. O time fica em busca do título da metade da competição para frente e vai subindo. O América teve o crescimento certo no momento certo da competição. Muito parecido com esse ano", contou.