Com solidez e trabalho elogiável, América-MG volta a vencer Série B após duas décadas

Coelho bateu CRB, por 1 a 0, e faturou o bicampeonato da competição

Com solidez e trabalho elogiável, América-MG volta a vencer Série B após duas décadas
Fotomontagem: Isabelly Morais/VAVEL Brasil

Dez dias após a primeira divisão do Campeonato Brasileiro tomar os tons alvinegros do Corinthians, a Série B da competição nacional decidiu fazer o mesmo. A cor, no entanto, foi o verde do América-MG, que se sagrou bicampeão brasileiro da segundona depois de 20 anos, com uma vitória sobre o CRB, neste sábado (25), por 1 a 0.

A receita alviverde teve ingredientes que merecem atenção. Um comando técnico mantido por muito tempo, mescla de forças jovens e outras mais experientes, além de consistência nas atuações foram alguns dos aspectos da tônica do Coelha na Série B de 2017. Isso tudo em uma campanha sólida na atual edição do campeonato, com um belo "sprint" nas rodadas finais para cima do Internacional. 

Copa do Brasil e Campeonato Mineiro

O ano americano começou com uma eliminação precoce na Copa do Brasil, uma vez que o Coelho caiu nos pênaltis para o modesto Murici, do estado de Alagoas.  A queda alviverde se deu ainda na segunda fase da competição e, se tivesse avançado, enfrentaria o Cruzeiro na etapa seguinte. Com o fim da linha na Copa do Brasil para o América, o foco do clube se voltou todo para o Campeonato Mineiro.

No estadual, outra queda. O Coelho entrou no torneio regional de 2017 defendendo o título, já que levou a edição de 2016 após bater o Atlético-MG na decisão. Terceiro colocado da fase classificatória, o América enfrentou o Cruzeiro na semifinal, mas, depois de empatar em 1 a 1 na partida de ida, foi derrotado por 2 a 0 no jogo de volta e perdeu a chance de emendar o bicampeonato mineiro. 

O América foi eliminado pelo Murici na Copa do Brasil de 2017 (Foto: Carlos Cruz/América-MG)

Glória na Série B do Brasileiro

As frustrações na Copa do Brasil e no estadual marcaram o começo de temporada do Coelho, mas muito ainda estava por vir. No dia 12 de maio, o time alviverde estreou no Campeonato Brasileiro com um empate sem gols com o Náutico. Pelo Coelho, jogaram João Ricardo, Alex Silva, Rafael Lima, Messias, Ernandes, Juninho, Gustavo Blanco, Gérson Magrão, Ruy (Renan Oliveira), Matheusinho (Felipe Amorim) e Pilar (Hugo Cabral). Dessa escalação, já deixaram o Coelho o lateral Alex Silva e o volante Gustavo Blanco, ambos com destino ao Atlético, além de Pilar, que está com a Sub-20. 

Em 1º de julho, o América bateu o Brasil de Pelotas por 3 a 0, pela 11ª rodada, e entrou no G-4 da Série B do Brasileiro. Na ocasião, o Coelho vinha de dois empates e três vitórias consecutivas, já dando os primeiros passos para estabelecer seu bom momento. Desde então, o time alviverde não largou mais o grupo de acesso à elite, mesmo vendo por vezes a sua permanência do G-4 ser ameaçada - sua maior proximidade do quinto colocado foi de dois pontos. 

Com uma vitória sobre o Brasil de Pelotas, o América chegou ao G-4 da Série B na 11ª rodada para não mais sair (Foto: Divulgação) 

O América chegou a emplacar uma sequência invicta surpreendente: 12 rodadas sem perder. Da sétima à 18ª, foram oito vitórias e quatro empates, o que acabou possibilitando a chegada do time mineiro à liderança. O Coelho ficou na ponta da 16ª à 21ª rodada, aparecendo de novo na primeira colocação na 23ª. Com a ascensão do Internacional, os mineiros perderam o lugar mais alto da tabela, mas retomaram em um momento crucial.

No dia 11 de novembro, pela 35ª rodada, o Internacional empatou em 1 a 1 com o Vila Nova no Beira-Rio. Ainda na região  Sul, mas em Santa Catarina, o América visitou o Figueirense e arrancou uma vitória por 2 a 1 longe de Belo Horizonte, o que colocou o Coelho novamente na ponta da tabela da Série B.  Mais que isso: o triunfo contra o Figueira assegurou ao time alviverde o acesso à Série A do Brasileiro, sendo, com isso, o primeiro clube a garantir vaga na divisão. 

Experiência e juventude

Um dos setores do América que mais contrastou experiência e juventude foi a zaga do Coelho. Aos 31 anos, o zagueiro e capitão Rafael Lima teve ao seu lado o jovem Messias, de 23 anos, que veio da base alviverde. Esse dueto, titular da equipe, cooperou para os bons números da defesa da equipe, que é a menos vazada da Série B: 25 gols sofridos. 

Outras peças novas incorporaram o elenco do América neste ano, como o zagueiro Roger, o volante Zé Ricardo e o meia Matheusinho. Essas forças tiveram o apoio de nomes já rodados no futebol brasileiro, como os meias Gérson Magrão, Renan Oliveira, Ruy, o lateral Ceará, os atacantes Bill, Edno e Luan, entre outros. 

Renan Oliveira (esq) e Luan são dois dos atletas mais rodados do grupo (Foto: Mourão Panda/América-MG)

Trabalho assegurado

No Brasil, o cargo de treinador de futebol apresenta um caráter bastante rotativo. Os números referentes a trocas de técnicos no contexto do nosso futebol são surpreendentes. Numa temporada em que o rival Atlético-MG, por exemplo, já está com o terceiro comandante do ano, o caso do América merece ainda mais destaque: Enderson Moreira treina o Coelho desde meados de 2016 e é o mais longevo de todas as divisões do Brasileiro.

"Eu tive muita convicção mesmo que esse elenco faria o América-MG retornar à Série A. Eu tinha isso muito presente comigo, no dia de trabalho você vai entendendo a forma de trabalho que eles se interagem entre eles. A forma como eles se portam após as vitórias, as derrotas. Nada nunca foi demais. Eles nunca ficaram empolgados por causa de uma vitória, de uma boa atuação em cima de um adversário. E nunca ficaram em baixa por causa de resultados ruins. Eu acreditei muito nesse grupo", pontuou Enderson.

Enderson é o técnico mais longevo do país (Foto: Mourão Panda/América-MG)

O treinador alviverde chegou a ser rebaixado com a equipe, que já estava em situação complicada na chegada do profissional, mas o respaldo da diretoria alviverde o manteve no clube. Agora, retornar à elite com o time. Em 2017, devido à boa campanha do América com Enderson, algumas propostas surgiram para o treinador.

A Chapecoense, por exemplo, fez uma proposta ao técnico do Coelho em dois momentos, quando demitiu Vágner Mancini e Vinicius Eutrópio. A Ponte Preta e Atlético-GO também foram outros clubes que "cresceram os olhos" sobre Enderson, mas nada tirou o profissional do time. Desde 2016, ele comandou o América em 80 partidas, com 32 vitórias, 23 empates e 25 derrotas. 

Elenco campeão da Série B 

Goleiros: João Ricardo, Fernando Leal, Glauco, Glaycon e Jory
Laterais: Ceará, Norberto, Giovanni e Pará
Zagueiros: Rafael Lima, Messias, Renato Justi, Roger e Lima
Volantes: Juninho, Ernandes, Zé Ricardo, David, Christian, Jataí, Willian Oliveira, Renato Bruno, Neto Moura
Meias: Matheusinho, Gersón Magrão, Ruy e Renan Oliveira
Atacantes: Bill, Luan, Edno, Felipe Amorim, Hugo Almeida, Hugo Cabral, Mike e Rubens