Atlético encara América e bom retrospecto do rival visando conquistar título do Mineiro

Galo precisa reverter vantagem conquistada pelo Coelho após vitória por 2 a 1 no primeiro confronto

Atlético encara América e bom retrospecto do rival visando conquistar título do Mineiro
Foto: Bruno Cantini/Atlético MG
Atlético-MG
América-MG
Atlético-MG: VICTOR; MARCOS ROCHA, LEONARDO SILVA, ERAZO, DOUGLAS SANTOS; RAFAEL CARIOCA, LEANDRO DONIZETE, JÚNIOR URSO; CARLOS, ROBINHO, LUCAS PRATTO. TÉCNICO: DIEGO AGUIRRE.
América-MG: JOÃO RICARDO; ARTUR, ALISON, SUELITON, BRYAN; LEANDRO GUERREIRO, CLAUDINEI, OSMAN, TIAGO LUÍS; RAFAEL BASTOS, VICTOR RANGEL. TÉCNICO: GIVANILDO OLIVEIRA.
ÁRBITRO: WILTON PEREIRA SAMPAIO (GO), AUXILIADO POR ALESSANDRO ÁLVARO ROCHA DE MATOS (BA) E CARLOS BERKENBROCK (SC).
INCIDENCIAS: PARTIDA DE VOLTA DA FINAL DO CAMPEONATO MINEIRO 2016. JOGO A SER REALIZADO NESTE DOMINGO (8), ÀS 16H, NO ESTÁDIO MINEIRÃO, EM BELO HORIZONTE/MG.

Atlético-MG e América-MG voltam a campo neste domingo (8), às 16h, no Mineirão, para o jogo de volta da final do Campeonato Mineiro. Depois de não fazer valer a vantagem por ter feito melhor campanha na primeira-fase, o Galo tem que vencer para conquistar seu 44º título. O América, com vantagem no marcador, conta com o retrospecto favorável – dois empates e uma vitória – diante da equipe alvinegra nesta temporada para voltar a conquistar o título estadual depois de 15 anos.

No jogo de ida, na Arena Independência, o Coelho venceu o Galo por 2 a 1, com dois gols de Danilo Fernandes. Lucas Pratto descontou para o Atlético nos acréscimos da etapa complementar. A equipe comandada por Givanildo Oliveira viveu uma situação semelhante na semifinal quando venceu o Cruzeiro no primeiro jogo, invertendo a vantagem do time celeste, e segurou o empate no segundo confronto, justamente no Mineirão, palco do jogo deste domingo.

Entre as duas partidas da final do Mineiro, o Galo, de forma dramática, bateu o Racing e se classificou para as quartas de finais da Copa Libertadores da América. Em entrevista coletiva logo após a classificação, o técnico Diego Aguirre frisou o foco total para o confronto diante do América, além de exaltar que seus jogadores são ganhadores nos momentos decisivos.

Os técnicos não revelaram os titulares que começam jogando. Aguirre nem sequer divulgou a lista de relacionados para a partida. Todo esse mistério é para não deixar brechas para o adversário, afinal vai ser um jogo de casa cheia, diferente da primeira partida. Na sexta-feira (6), o Atlético divulgou que todos os ingressos nas bilheterias haviam esgotado, restando somente para sócio torcedor e torcida americana. No total, são cerca de 60 mil entradas para a finalíssima.

Com casa cheia, o decisivo Atlético vai em busca do bicampeonato

O Galo precisa vencer para conquistar seu objetivo, situação parecida com a vivida pela equipe no meio da semana. O técnico Diego Aguirre destacou que o feito pela Copa Libertadores contribui para o confronto da final. “Acho que foi muito importante para domingo ter ganhado na quarta-feira porque, se estivéssemos ficado fora da Libertadores, estaríamos muito tristes. O time mostrou o mais importante que um time deve ter: raça, atitude e vontade. Isso foi o que os jogadores deram dentro de campo”, analisou.

Para a partida final do estadual, Aguirre fez mistério e não divulgou a lista de relacionados para o confronto. A dúvida é em relação ao meia Dátolo, que ficou fora dos dois últimos jogos devido a uma lesão muscular. O Atlético possui algumas peças ofensivas para preencher a lacuna deixada pelo argentino. No primeiro jogo, Aguirre promoveu o retorno de Patric. Já no meio da semana, foi a vez de Carlos entrar como titular. Das duas alterações, Carlos rendeu mais, pois foi dele o primeiro gol diante do Racing.

LEIA MAIS: Relembrando: Em 1999, Atlético bate América e conquista Campeonato Mineiro

Quem foi poupado no fim de semana passado, mas jogou na quarta-feira, foi o volante Júnior Urso. Pela necessidade da vitória e a promessa de força máxima, Urso é o provável titular neste domingo. Além disso, Aguirre tem boas opções para o setor ofensivo como Clayton, Hyuri, Patric e Cazares, recuperado de uma inflamação na perna que o tirou da partida pela Libertadores.

Depois da vitória diante do Racing, o técnico atleticano afirmou a firmeza que sente no time nos momentos decisivos. Aguirre reforçou o desejo de faturar o estadual, mesmo com o placar favorável ao time americano. “É verdade que eles têm uma vantagem, mas também temos confiança que podemos ganhar o jogo. Precisamos de um gol de diferença, temos 90 minutos para conseguir e acho que é possível. Temos que trabalhar muito também para defender, não tomar gol e estar 100% pronto psicologicamente para esse jogo. Queremos ganhar esse titulo e vamos dar tudo para que possa acontecer”, destacou.

Com baixas importantes, América-MG conta com a volta de Victor Rangel

O time americano vai ao Mineirão em busca da sua 16ª conquista do Campeonato Mineiro e uma igualdade no placar é suficiente para a torcida festejar o feito depois de 15 anos. Para a partida, o técnico Givanildo Oliveira não vai contar com três jogadores vetados pelo departamento médico. O zagueiro Adalberto, o meia Tony, que ainda não se recuperou de uma lesão muscular que o tirou do primeiro confronto, e o lateral Pablo, que se lesionou no segundo tempo do jogo de ida.

O atacante Victor Rangel, cortado da primeira final, e o lateral Jonas, recuperado de uma lesão, foram relacionados pelo técnico. O meia Tiago Luís, que foi substituído no início do jogo de domingo devido a um mal-estar, ficou em repouso no início da semana, voltou aos treinos normalmente e também está entre os 23 disponíveis para o jogo. Danilo Fernandes, que substituiu Tiago e anotou dois gols, garante o empenho para levantar o troféu. “Nós vamos fazer de tudo e mais um pouco no domingo para alcançarmos nosso objetivo”, disse.

LEIA MAIS: Relembrando: em 1993, América goleou Atlético-MG e encaminhou 14º título estadual

O zagueiro Artur, que entrou no lugar do lateral Pablo, é um dos postulantes à titularidade neste domingo. Ele destacou que é importante estar atento para não errar. “Quem entrar, deve entrar concentrado, sabendo da importância do jogo, da responsabilidade que é. Evitar ao máximo os erros, porque clássico é um tipo de jogo que é resolvido em detalhes. Temos que suportar a pressão do Atlético, o que vai ser normal”, declarou.

Mesmo sem algumas das peças fundamentais na campanha do Coelho, Givanildo vai escalar força máxima, demonstrando confiança no grupo. “Queria eu ter todo mundo inteiro, mas tem alguns que não vão ter condições de jogo. Vamos procurar armar o time da melhor maneira com aqueles jogadores que nós temos e que fazem parte do grupo. Por fazer parte do grupo, eles têm que entrar e corresponder”, enfatiza.

Um dos assuntos na pauta do treinador foi o fato de ter que jogar no Mineirão tomado pela torcida do Galo. “É difícil, complicado. Vai ser muita pressão com a torcida do Atlético empurrando. Mas torcida não entra em campo. É importante? Claro que é. Mas o América também tem sua torcida. Não é imensa, mas é apaixonada e fiel e vai estar lá”, afirmou.