Marcelo Oliveira lamenta desfalques e pede reforços após derrota do Atlético-MG

Apesar do revés diante do Grêmio, no Independência, treinador alvinegro garante estar tranquilo e volta a colocar o Galo como um dos candidatos ao título Brasileiro

Marcelo Oliveira lamenta desfalques e pede reforços após derrota do Atlético-MG
Marcelo pede um lateral-esquerdo e um atacante de área para fechar elenco (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Foi uma noite em que nada deu certo para o Atlético-MG. O time claramente sentiu falta dos nove desfalques e acabou tropeçando diante do Grêmio, dentro do Independência, por 3 a 0, nesta quinta-feira (26), no encerramento da 3ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar do revés, o técnico alvinegro, Marcelo Oliveira, segue confiando na capacidade do time na busca do título nacional.

"O jogo começou equilibrado, cinco finalizações de cada lado no primeiro tempo. Mas, sempre que o Grêmio chegou, chegou muito forte e conseguiu os gols. Até 2 a 0 eu achava que a gente estava firme, na perspectiva de reagir, e o terceiro gol, no final do primeiro tempo, um lateral nosso, que gerou um gol deles, aí foi muita coisa errada no mesmo lance. Isso deu ao Grêmio a oportunidade de ficar atrás, de tocar a bola. Se tivéssemos aqui com todo o time do Atlético-MG, que com todo o elenco à disposição é uma equipe candidata [ao título], tenho certeza disso, seria um jogo importante, difícil, equilibrado, e teríamos muito mais chances. Mas o Grêmio nos envolveu e soube, nos contra-ataques, chegar. Foi uma noite em que as coisas não aconteceram da forma como a gente queria. Não muda em nada o meu ânimo, a minha vontade, e o saber que nós vamos chegar. Tenho certeza, na medida em que os jogadores forem voltando, e vamos conseguir pontos com esse time aí também", disse o treinador.

Marcelo Oliveira lamentou a ausência de seus principais jogadores, como Lucas Pratto, Leonardo Silva, Cazares, Erazo, Dátolo e Robinho e ressaltou a dificuldade de trabalhar com um time improvisado. Além disso, o técnico pediu tempo para implementar seu trabalho no Atlético, uma vez que o duelo contra o Grêmio foi apenas a segunda partida no comando do Galo.

"Acontece que qualquer time do Brasil e do mundo que perder nove jogadores vai sentir. Pode sentir pouco ou mais, quando o adversário é muito bom e você comete erros. O Atlético-MG está sem nove, e isso faz diferença, contra um adversário que aproveitou bem as improvisações. A troca de comando é adaptada com o tempo. O Atlético-MG já tem uma base, os jogadores já sabem o que fazer em campo. Não esperávamos perder, esperávamos um jogo mais duro, errar muito. É difícil quando você tem que improvisar tanto", declarou o profissional.

O treinador falou também sobre os desejados reforços. Antes da partida desta quinta, o presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, confirmou a volta do meio-campo Maicosuel, emprestado ao Al Sharjah-EAU. Assim, Marcelo Oliveira agora pede um lateral-esquerdo e um centroavante, uma vez que Lucas Pratto deverá se transferir para o futebol chinês em um futuro próximo.

"Quando se fala em reforços, em um elenco considerado bom, pode soar estranho. Mas, temos jogadores na seleção, lesionados, isso acumulou. Não tínhamos um jogador de pé esquerdo pelo lado, no setor defensivo, e um atacante. Além de a gente ter apenas três zagueiros, se um machuca, temos que recorrer à base. Vamos conversar internamente. Acho que dois jogadores nos serviriam bem", concluiu.