Atlético-MG e Fluminense empatam em jogo movimentado no Independência

Galo completa seu quarto jogo sem vitória, enquanto o Tricolor perde a chance de entrar no G-4

Atlético-MG e Fluminense empatam em jogo movimentado no Independência
Foto: Nelson Perez/Fluminense F.C.
Atlético-MG
1 1
Fluminense
Atlético-MG: Victor, Marcos Rocha, Tiago, Gabriel e Lucas Cândido; Leandro Donizete (Pablo, aos 23 do 2º), Rafael Carioca, Júnior Urso e Patric (João Figueiredo, aos 38 do 2º); Robinho (Hyuri, aos 23 do 2º) e Carlos.
Fluminense: Diego Cavalieri, Jonathan, Gum, Henrique e Giovanni; Edson, Douglas, Gustavo Scarpa (Marcos Júnior, aos 42 do 2º) e Cícero; Richarlison (Osvaldo, aos 10 do 2º) e Fred (Magno Alves, aos 42 do 2º).
Placar: Tiago a 1 min e Gustavo Scarpa aos 30 min do primeiro tempo
ÁRBITRO: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA/SP).
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro, realizado no estádio do Independência, em Belo Horizonte (MG).

Nesta quarta-feira (1º), pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, Atlético-MG e Fluminense ficaram apenas no empate, em Belo Horizonte. Tiago e Gustavo Scarpa marcaram os gols do jogo. O resultado não muda a posição de ambos na tabela de classificação. O Galo permanece na 11ª colocação, com seis pontos, e o Flu fica em sexto, com oito.

O empate retrata o momento ruim do Atlético-MG, que segue sem vencer sob o comando de Marcelo Oliveira. Até o momento, foram quatro jogos, com três empates e uma derrota. A última e única vitória do Galo no Brasileirão foi na estreia, ainda com Diego Aguirre no cargo, contra o Santos.

O Atlético-MG volta a campo no próximo domingo (5), quando vai até Recife encarar o Sport, às 16h. Antes, no sábado (4), às 20h30, o Fluminense visita a Chapecoense.

Atlético marca no primeiro minuto, mas Flu reage e empata

O jogo começou movimentado no Independência. O Atlético-MG fez valer o seu mando de campo e abriu o placar logo no primeiro minuto. Patrick cruzou na área e o zagueiro Tiago, constantemente criticado pela torcida, cabeceou para colocar o Galo em vantagem. Mais desligado, o Tricolor era facilmente envolvido pelo ataque atleticano.

Também de bola parada, o Fluminense conseguiu responder. Aos dez, Gustavo Scarpa cobrou a falta, e Cícero, sem marcação, desviou de cabeça para fora. Apesar disso, o Tricolor não conseguia chegar no campo de ataque trocando passes e insistia nos lançamentos longos, buscando o Fred. Com a bola no chão, Scarpa arriscou de fora da área, mas parou em Victor.

Embalado no início, o Atlético-MG não conseguiu manter o ritmo durante os 45 minutos e também se complicava na saída de bola. Em um erro de Victor, Fred a roubou e tocou para Edson, que serviu Richarlison. O jovem atacante demorou a chutar e foi desarmado. Aos 30, o empate do Flu: Cícero deu belo passe para Gustavo Scarpa, que finalizou. A bola desviou na defesa e enganou o goleiro do Atlético.

Dois minutos após o gol, por pouco o Fluminense não conseguiu a virada. Fred recebeu em boas condições na entrada da área e chutou, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. Nos minutos finais da primeira etapa, o Atlético acordou e ensaiou uma pressão sobre o Tricolor, mas sem êxito.  

Segundo tempo movimentado e com chances, mas sem gols

Na volta para o segundo tempo, o Atlético começou mais presente no campo de ataque. Marcos Rocha cruzou para o meio da área, Carlos desviou de cabeça e a bola passa rente à trave direita de Cavalieri. Por conta dos desfalques, o Galo sofria muito com a falta de criatividade. Também, arriscava pouco o chute de fora da área. Mesmo caso do Fluminense, que ainda insistia nos lançamentos longos.

A partir da metade da etapa final, o jogo mostrava-se bastante equilibrado. O Atlético-MG ia mais ao ataque e o Flu conseguia se sobressair nos contra-ataques, principalmente com Osvaldo, que entrara na vaga de Richarlison. Aos 22, Lucas Cândido tentou de longe, mas parou em Cavalieri.

Nos 15 minutos finais, o Fluminense não mostrava força para ir ao ataque e se limitava na defesa. O Atlético, por sua vez, aproveitava e explorava os chutes de longa distância, além da bola área, um dos pontos fortes do Galo no Independência. Aos 30, Gabriel ganhou no alto e cabeceou por cima do travessão. Aos 35, o Fluminense acordou e conseguiu levar perigo ao Atlético. Giovanni cruzou rasteiro para Osvaldo, que pegou de primeira, mas Victor defendeu.

Nos minutos finais, Galo e Flu foram com tudo em busca do gol.  Aos 43, Junior Urso desviou de cabeça perto da marca do pênalti, mas mandou por cima. Depois, o time carioca respondeu com Magno Alves, que limpou o marcador e, com Victor já caído, chutou mal. No último lance, ainda teve tempo para Carlos subir sozinho e cabecear a esquerda de Cavalieri. Tudo igual no Independência.