Cazares reconhece influência em recuperação do Atlético-MG: “Jogadores confiam em mim”

Destaque do Galo no Brasileirão, meia acredita que sua presença em campo faz o time alvinegro aumentar de rendimento

Cazares reconhece influência em recuperação do Atlético-MG: “Jogadores confiam em mim”
Cazares tem sido o dono da bola nos últimos jogos do Atlético (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

O retorno de Cazares ao Atlético-MG depois de disputar a Copa América Centenário, nos Estados Unidos, com a Seleção Equatoriana foi um divisor de águas para o time alvinegro. Quando retornou a Belo Horizonte/MG, o Galo acumulava sete jogos sem vitória. Com ele em campo, porém, a equipe mineira se recuperou no Campeonato Brasileiro e já soma dois triunfos seguidos, contra Ponte Preta e Corinthians.

A influência do camisa 11 nos jogos do Atlético é tanta que ele balançou as redes em todas as partidas que disputou na competição. Cativando a massa atleticana, Cazares reconhece que suas atuações têm impacto direto no fluir do jogo do Galo.

Acredito que os jogadores têm confiança em mim. A verdade é que se não estou bem, creio que o jogo não vai sair. Os jogadores acreditam que eu posso ajudar a manter a calma, ajudar a dar ritmo ao jogo e manter a posse de bola. A verdade é que trato de fazer o melhor, ajudar e dar bons passes para frente e fazer os gols”, afirmou o atleta, em entrevista coletiva na Cidade do Galo.

Logo em seguida, porém, Cazares desconversou sobre sua importância no desempenho da equipe e deu méritos a seus companheiros pelo reencontro do Atlético com as vitórias no Brasileirão. “Não creio que é porque eu voltei, ou o Erazo [que as vitórias vieram]. A verdade é que o time está completo e aí as coisas saem melhor. O time ajudou. Se Fred não fizesse o gol, não ganharíamos na quarta-feira [contra o Corinthians]. A verdade é que o time está bem, está muito compacto e vamos buscar mais vitórias para subir na tabela”, avaliou.

Cazares marcou nas três vitórias – Santos, Ponte Preta e Corinthians – que o Atlético conquistou até o momento no Campeonato Brasileiro. Apesar da pontaria calibrada, o equatoriano revelou que prefere dar assistências a fazer gols e ainda brincou sobre a situação do atacante Lucas Pratto, que se recupera de contusão.

Enviei uma mensagem para o Pratto, pedindo que ele volte rápido, porque é ele que tem que fazer o gol. Tenho que dar a bola para ele fazer o gol. Mas estou contente. Graças a Deus, venho marcando a cada partida e espero seguir fazendo gol. Mas isso não é o meu estilo, fazer gol. Meu estilo é dar assistências para os atacantes marcarem, mas sigo fazendo gols. A verdade é que tenho sempre que estar com fome e manter essa calma para seguir convertendo”, findou.