Victor se mostra confiante para jogo diante do líder Palmeiras: "Sabemos da nossa capacidade"

Goleiro fala sobre a necessidade de pontuar fora de casa e o reencontro com técnico Cuca, comandante do Galo no título da Libertadores de 2013

Victor se mostra confiante para jogo diante do líder Palmeiras: "Sabemos da nossa capacidade"
Victor está confiante em um bom jogo do Atlético no Allianz Parque (Foto: Bruno Cantini/Atlético Mineiro)

Um dos grandes nomes do Atlético Mineiro em sua história recente, o goleiro Victor está bastante confiante para a partida contra o Palmeiras, neste domingo (24), às 11h, no Allianz Parque, em São Paulo. O duelo marcará a 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, a três do encerramento do primeiro turno da competição. 

O goleiro ressaltou a importância do jogo frente ao atual líder do campeonato, mas deixou bem claro que o objetivo do Atlético é buscar os pontos mesmo contra os adversários mais qualificados. A três pontos do G-4 e a nove da liderança, o time mineiro está na oitava colocação do Brasileiro e mira vôos mais altos no decorrer da competição.

"A gente espera um jogo difícil, complicado. O Palmeiras é o líder da competição, mas a gente também sabe da nossa capacidade, sabe aquilo que a nossa equipe pode render e fazer. E, se a gente almeja algo grande dentro da competição, tem que somar pontos em todos os jogos, independente de campo ou adversário", disse. 

Próximo de completar três anos, o título da Libertadores do Galo também foi, de maneira indireta, citado pelo goleiro atleticano. Um dos grandes nomes do time naquela competição, especialmente pelos pênaltis defendidos em fases cruciais do torneio, Victor falou do reencontro com Cuca, técnico alvinegro naquele triunfo.

"O jogo tem, também, o reencontro com o Cuca, um treinador que temos um carinho enorme, mas a gente sabe a importância do jogo pelo que pode representar para nós na tabela de classificação", completou.

Contra o Palmeiras, o Atlético tentará a primeira vitória fora de Minas Gerais neste Brasileirão. Em seis jogos fora do estado, foram quatro empates e duas derrotas. O jejum ainda é maior quando estendido à edição do Brasileirão do ano passado: desde novembro de 2015, em jogo contra o Figueirense, com vitória por 1 a 0, o Galo não sabe o que é triunfar fora do território mineiro nesta competição nacional. Victor também falou sobre esse tabu.

"A gente tem que saber o que pode fazer e buscar pontos também jogando fora de casa, porque é o que precisamos na nossa atual campanha", explicou.