Com primeiro tempo avassalador, Atlético-MG vence Chapecoense e encosta na liderança

Jogando em casa, galo decidiu o jogo na primeira etapa; Chape marcou no fim seu gol de honra

Com primeiro tempo avassalador, Atlético-MG vence Chapecoense e encosta na liderança
Foto: Bruno Cantini / Atlético Mineiro
Atlético Mineiro
3 1
Chapecoense
Atlético Mineiro: Victor; Carlos César, Leonardo Silva, Erazo e Fábio Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete e Maicosuel (Min. 35'2ºT Carlos), Lucas Pratto(Min. 26'2ºT Luan) (Min. 39'2ºT Clayton), Fred e Robinho. Técnico: Marcelo Oiveira.
Chapecoense: Danilo; Gimenez., Thiego, Filipe Machado e Dener Assunção; Gil, Josimar e Cleber Santana; Hyoran (Min. 36'2ºT Bruno Rangel), Kempes (Min. 25'2ºT Martinuccio) e Tiaguinho Min 00' 2ºT Lucas Gomes). Técnico: Caio Junior.
ÁRBITRO: Árbitro: Pericles Bassols (Fifa/PE) Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson Nascimento Leite (PE)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 19º rodada do Campeonato Brasileiro da Serie A. Realizada no Estádio Independência - MG

Nesta segunda-feira (8), o Atlético-MG bate a Chapecoense, por 3 a 1, no Independência, pela última rodada do primeiro turno do Brasileirão. Embalado por uma sequência de quatro vitórias seguidas, o Galo queria vencer para voltar ao G-4 e não desgrudar do pelotão da frente na competição. Já a Chapecoense buscava surpreender e arrancar pontos dos mineiros fora de casa.

Jogando sob seus domínios, o Atlético controlava a partida. Com toques rápidos e jogadas de infiltração, a equipe mineira criou chances de perigo definiu a partida na primeira etapa. A chape, por sua vez, apostava nos contra-ataques. Também com uma equipe rápida, o time catarinense - que no começo do jogo atacava por uma bola -, conseguiu seu gol de honra no fim. Carlos César, Robinho e Maicosuel marcaram para o Galo, enquanto Bruno Rangel descontou para o time catarinense.

Com 11 pontos de diferença entre os dois times, a Chapecoense vai em busca de recuperação na próxima rodada, contra o Internacional, na Arena Condá. O Atlético, por sua vez, vai até a Vila Belmiro encarar o Santos, em duelo de postulantes na briga pelo título brasileiro.

Com jogadas de velocidade no ataque, Galo pressiona e abre 2 a 0 no primeiro tempo

A primeira chance real aconteceu aos 13 minutos. Avançando pela esquerda, o meia atacante Hyoran cruzou para área, Kempes subiu mais que a zaga do galo e cabeceou pelo lado da rede, assustando o gol de Victor. Aos 15, novamente a Chape estava no ataque, Hyoran tocou para Cleber Santana, que da entrada da área arriscou o chute, Victor fez boa defesa. A resposta do galo surgiu em um lance muito parecido, Robinho da entrada da área tentou a finalização, mas a bola foi por cima do gol.

Com apenas 20 minutos saiu o primeiro gol da partida. Em jogava coletiva, Robinho lançou Maicosuel na direita, que evitou a saída de bola e rolou para Fábio Santos, o lateral executou com perfeição o cruzamento, Fred ganhou no alto da defesa e escorou para o meio da área, Lucas Pratto furou, mas Carlos César estava lá pra mandar pro fundo da rede. Era o galo na frente do placar (1-0). Aos 30 minutos a Chapecoense teve um gol bem anulado. Cleber Santana levantou a bola na área e o zagueiro Thiego, impedido, mandou para o funda da rede. Atento, o bandeira assinalou impedimento no lance.

Mesmo vencendo a partida, o galo continuava em cima do adversário. Aos 38 minutos, em boa tabela pela direita, Fabio Santos cruzou para Lucas Pratto que só precisou escorar, mas Danilinho, com o reflexo apurado, fez uma bela defesa evitando o que seria o segundo gol do Atlético. Em jogada confusa o time mineiro marcou o segundo gol. Aos 42 minutos, Carlos Cesar avança pela direita e cruza na área, Pratto cabeceia para o meio, na confusão Fabio Santos rola para Robinho, o atacante chutou no canto e saiu para a comemoração.

Jogando no contra-ataque, Chapecoense pouco assustava. Galo aproveitou para matar a partida

 Na segunda etapa o galo passou a priorizar o toque de bola para assim controlar a partida. Porém, o time mineiro não abdicou do ataque. Para a Chapecoense, restava sair pro jogo e continuar apostando na velocidade do meia atacante Hyoran pelo lado esquerdo ofensivo. Foi com ele que a Chape deu o primeiro susto no time da casa. Aos 5 minutos, o meia avançou pela esquerda, coortou para o meio e arriscou chute no canto. A bola quicou antes de chegar em Victor e o goleiro foi obrigado a mandar para escanteio no jeito que veio. Com 12 minutos, novamente Hyoran. Agora o atacante recebeu dentro da área. Livre, tentou colocar a bola no ângulo. Victor foi bucar fazendo boa defesa.

Na metade da segunda etapa, com a vantagem no placar, o Atlético procurava controlar as jogadas no meio campo. Sem ter alternativa, a Chape continuava apostando nos contra ataques tentando um gol para por fogo no jogo. Aos 33 minutos o galo matou o jogo. Outra vez em jogada coletiva, Robinho tocou de letra para Luan, o meia atacante ajeitou para Maicosuel avançar, entrar na área e finalizar no ângulo do goleiro Danilo. Era o terceiro gol do galo.

Após o terceiro gol, já com o jogo resolvido, o Atlético botou o pé no freio. A chapecoense tentava criar jogadas pelo lado direito. Deu Certo, conseguiu marcar seu gol de honra. Aos 45 minutos, o lateral Gil recebeu na direita, passou de Erazo e fez o cruzamento, oportunista, Bruno Rangel se antecipou ao zagueiro e cabeceou sem chances para o goleiro Victor. 3 a 1. Mas não dava tempo pra mais nada, aos 48 minutos o árbitro encerrou a partida e o Atlético Mineiro selou sua quinta vitória seguida no Campeonato Brasileiro.