Em jogo marcado por lesões, Ponte segura Atletico-MG e leva vantagem para Campinas

Equipes alvinegras apenas empatam por 1 a 1; decisão fica para dia 21 de setembro, no Moisés Lucarelli

Em jogo marcado por lesões, Ponte segura Atletico-MG e leva vantagem para Campinas
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG
Atlético-MG
1 1
Ponte Preta
Atlético-MG: Uilson; Marcos Rocha (Carlos César, min. 41/1º), Leonardo Silva, Ronaldo, Douglas Santos; Rafael Carioca, Donizete; Carlos (Clayton, min. 26/2º), Robinho, Otero (Maicosuel, min. 1/2º); Pratto. Técnico: Marcelo Oliveira.
Ponte Preta: Aranha; Nino Paraíba, Douglas Grolli, Fábio Ferreira, Reinaldo; João Vitor, Maycon (Abuda, min. 14/2º); Rhayner, Thiago Galhardo (Matheus Jesus, min. 38/2º), Clayson (Wellington Paulista, min. 30/2º); Roger. Técnico: Eduardo Baptista.
Placar: 0-1, min. 37/1º, Roger. 1-, min. 19/2º, Robinho.
ÁRBITRO: Anderson Daronco (Fifa/RS). Cartões amarelos: Galhardo (min. 25/1º), Maycon (min. 26/1º), João Vitor (min. 42/1º), Reinaldo (min. 24/2º), Douglas Grolli (min. 28/2º), Rhayner (min. 34/2º), Pratto (min. 41/2º). Cartões vermelhos: Douglas Grolli (min. 49/2º).
INCIDENCIAS: Partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil 2016, realizada na Arena Independência, em Belo Horizonte/MG. Público: 15.493.

O Atlético-MG parou na eficiente aplicação defensiva da Ponte Preta, na noite desta quarta-feira (24), no Mineirão, e apenas empatou por 1 a 1, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Roger abriu o placar para a Macaca ao fim da primeira etapa, e Robinho igualou o marcador no segundo tempo.

A partida ficou marcada pelo alto número de lesões. Antes mesmo de o jogo começar, o goleiro titular do Atlético, Victor, sentiu dores lombares e acabou vetado. Já durante o duelo, o time mineiro perdeu o lateral-direito Marcos Rocha, com dores na coxa direita, ainda no primeiro tempo, e o meio-campista Rafael Carioca, no segundo. A Ponte, por sua vez, ficou sem o volante Maycon.

Agora, as duas equipes se encontram novamente no dia 21 (quarta-feira) de setembro, às 19h30, para o jogo de volta, no Moisés Lucarelli, em Campinas. O time paulista joga por um empate sem gols; os mineiros precisam de uma vitória simples para a classificação. Outro placar em 1 a 1 leva a partida para as penalidades máximas.

Antes do combate da volta, porém, Galo e Macaca têm compromisso pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. No sábado (27), às 16h, a Ponte recebe o Corinthians, enquanto o Atlético entra em campo no domingo (28), às 16h, para medir forças com o Grêmio, em Porto Alegre.

Atlético sofre com compactação da Ponte

Antes de a partida começar, a torcida do Atlético teve um momento para se preocupar. O goleiro Victor sentiu dores lombares durante o aquecimento e deu oportunidade a Uilson, arqueiro que ganhou a medalha de ouro com a Seleção Brasileira Olímpica na Olimpíada Rio 2016.

Passado o incidente, o Atlético assustou a Ponte Preta nos minutos inicias do primeiro tempo. A equipe paulista saiu jogando errado, Robinho ficou com a bola e tocou para Carlos, que driblou o goleiro e mandou por cima gol. Em seguida, Douglas Santos e Otero fizeram boa jogada na beirada do campo, Robinho deixou para Donizete e o volante arriscou, mas Aranha defendeu.

O jogo esfriou depois que o Atlético parou de trocar passes curtos e optou pela ligação direita. Com isso, a Ponte Preta, que apostava num 4-4-2 bem compacto quando não tinha posse da bola, fechava duas linhas de quatro no campo defensivo e dificultava a troca de passe e infiltração do ataque atleticano.

A partida esquentou nos últimos cinco minutos da primeira etapa. Primeiro, Marcos Rocha sentiu uma fisgada na coxa direita e deu lugar a Carlos César. Depois, a Ponte Preta se abriu e foi coroada com o gol. Clayson errou o chute de fora da área e a bola sobrou para o atacante Roger, livre na área, superar Uilson. O meia Rhayner ainda arriscou uma finalização de longa distância antes do fim do primeiro tempo.

Robinho marca, Atlético fica sem Carioca e partida termina empatada

Para os 45 minutos finais, o treinador do Atlético, Marcelo Oliveira, trocou o venezuelano Otero por Maicosuel. Houve alteração também no posicionamento na linha de três meias: Carlos passou a atuar pelo esquerdo, enquanto Maicosuel assumiu o flanco direito; Robinho seguiu como o armador do time.

Logo aos nove minutos da segunda etapa, Robinho deu ótimo passe para Carlos, o atacante tirou a marcação da Macaca e finalizou na trave; a bola voltou nas mãos de Aranha. Porém, dez minutos depois, o Galo conseguiu chegar ao empate. Maicosuel desenhou a jogada pelo meio, passou por dois adversários, e tocou para Robinho, que dominou e arrematou rasteio no canto direito de Aranha.

Após o gol do Atlético, ambos os times sofreram com lesões. A Ponte Preta perdeu o volante Maycon, que deixou o campo no carrinho-maca. Já o Galo teve de terminar o embate com dez jogadores, uma vez que Rafael Carioca torceu o tornozelo esquerdo após disputar uma bola no alto com Abuda, que havia entrado no lugar de Maycon.

O jogo também ficou bastante pegado. Não à toa, terminou com oito cartões aplicados aos jogadores. A última grande chance de gol do duelo saiu dos pés de Robinho, um dos atletas mais participativos do Atlético. Ele recebeu de Lucas Pratto, tirou de Douglas Grolli e bateu de canhota para fora, assustando o gol de Aranha. No entanto, acabou não sendo o bastante para dar o triunfo ao Galo.