Campeão brasileiro pelo Atlético em 1971, uruguaio Cincunegui morre aos 76 anos

Ex-lateral-esquerdo ajudou o Galo a conquistar o primeiro título brasileiro da história do clube e é um considerado um dos maiores jogadores da agremiação em todos os tempos na posição

Campeão brasileiro pelo Atlético em 1971, uruguaio Cincunegui morre aos 76 anos
Foto: AtléticoxCruzeiroraridades.blogspot

Um dos maiores laterais da história do Atlético-MG e da Seleção Uruguaia nos deixou no final da noite desta quinta-feira (13). Cincunegui faleceu aos 76 anos em decorrência de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e outros problemas de saúde, como infecção urinária e em um dos pulmões, que o levaram a internação em um hospital de Montevidéu, capital do Uruguai, nesta semana. 

Cincunegui primeiro em pé da direita para esquerda. Foto: Anotandofutbol.blogspot.com

Hector Carlos Cincunegui de Los Santos nasceu em Montevidéu, no Uruguai, em 28 de julho de 1940. Começou a carreira em 1958, defendendo as cores do Danúbio. Seis anos mais tarde, transferiu-se para o Nacional, onde teve uma passagem brilhante pelo clube uruguaio, conquistando o campeonato nacional em 1966, e sendo vice-campeão da Copa Libertadores da América, no ano seguinte. 

Em 1968, Cincunegui foi contratado pelo Atlético, que pagou pelo passe do lateral-esquerdo 40 mil dólares (cerca de 160 mil cruzeiros). Rapidamente, o uruguaio ganhou o coração da torcida atleticana. Com a camisa do Galo, travou duelos inesquecíveis com o ponta-direita Natal, até o camisa 7 cruzeirense ser vendido ao Corinthians.

Cincunegui último em pé, da direita para esquerda. Foto: Blog Tardes de Pacaembu

Cincunegui foi campeão mineiro em 1970, quebrando um jejum de cinco anos seguidos do Cruzeiro. No ano seguinte, integrou o elenco que levou o Atlético a conquista do título brasileiro. O lateral-esquerdo participou ativamente da conquista, figurando em várias partidas da equipe atleticana como titular. 

A permanência de Cincunegui no Galo foi até 1973, quando foi negociado junto ao Náutico. O jogador ainda conquistou as Taças Belo Horizonte, em 1971 e 1972. Após encerrar a carreira, voltou para Montevidéu trabalhando em várias equipes. 

Em 2006, Cincunegui sofreu um AVC após retornar de uma partida do Danúbio pelo Campeonato Uruguaio. O Acidente Vascular Cerebral o deixou com várias limitações físicas. Tempos depois, chegou a ter uma breve recuperação. 

Seleção Uruguaia

A bela passagem de Cincunegui pelo Nacional o credenciou a ser convocado para defender o Uruguai na Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra. Em 1970, mesmo depois de muitos esforços, não foi convocado para disputar o mundial no México.