Victor justifica defesa de pênaltis contra Juventude: "Foi no feeling"

Goleiro pegou duas cobranças, que ajudaram o Atlético-MG a se classificar para as semifinais da Copa do Brasil

Victor justifica defesa de pênaltis contra Juventude: "Foi no feeling"
Foto: Bruno Cantini/Atlético

Não é nenhuma novidade que o goleiro Victor já operou diversos milagres enquanto goleiro do Atlético-MG. Na noite da última quarta-feira, o apelido "São Victor" se fez presente e o camisa 1 operou dois milagres, ou melhor, duas defesas nas cobranças de pênalti do Juventude, que levaram o Galo às semifinais da Copa do Brasil.

A última vez que o Atlético esteve envolvido em disputas por pênaltis foi na Copa Libertadores da América de 2013, onde Victor pegou dois pênaltis, um contra o Newell's Old Boys (ARG), nas semifinais, e um contra o Olímpia (PAR) na decisão, que levou o Galo à conquista do torneio. Além destes, nenhum torcedor esquece a defesa do pênalti batido por Riascos, contra o Tijuana (MEX), nos últimos minutos da partida.

Victor comemora com Cazares a classificação do Atlético (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)
Victor comemora com Cazares a classificação do Atlético
(Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Victor admitiu, em entrevista ao canal Fox Sports, que tinha poucas informações sobre os batedores do Juventude, e que as defesas nas cobranças de Wallacer e Roberson foram no "feeling do momento".

"Não tinha muita informação dos batedores do Juventude. Eu tinha apenas duas cobranças do Roberson. Foi mais no feeling do momento, consegui achar o canto, explodir no tempo certo e fazer as defesas", declarou.

Sobre o jogo, Victor chegou a fazer defesas importantes, mas disse que a classificação poderia ter acontecido ainda nos 90 minutos, não fosse a boa atuação do goleiro Elias, do Juventude.

"Poderíamos ter feito o gol no tempo regulamentar, perdemos algumas oportunidades, o Elias foi um monstro também. Fico feliz de, no momento certo, pode ajudar e garantir a classificação", finalizou.