Em jogo truncado, Atlético-MG empata com Inter e avança à segunda final da história

Galo valoriza vantagem conquistada fora de casa, fica no empate diante do Colorado e segue vivo rumo ao bicampeonato; gaúchos focam agora na briga contra o rebaixamento

Em jogo truncado, Atlético-MG empata com Inter e avança à segunda final da história
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG
Atlético-MG
2 2
Internacional
Atlético-MG: Victor; Carlos César, Gabriel, Erazo e Fábio Santos; Leandro Donizete, Júnior Urso e Otero (Rafael Carioca, min. 86); Robinho (Clayton, min. 95), Lucas Pratto e Luan (Cazares, min. 59). Técnico: Marcelo Oliveira
Internacional: Danilo Fernandes; Ceará, Alan Costa, Ernando e Artur; Rodrigo Dourado, Fabinho, William, Anderson (Andrigo, min. 75) e Valdívia (Eduardo Sasha, min. 66); Aylon (Ariel, min. 75). Técnico: Celso Roth
Placar: 0-1, min. 26, Aylon; 1-1, min. 45, Robinho; 1-2, min. 45+3, Anderson; 2-2, min. 60, Lucas Pratto
ÁRBITRO: Jaílson Macedo de Freitas (BA). Cartões amarelos: Aylon (min. 21), Ceará (min. 35), Eduardo Sasha (intervalo), Valdívia (min. 50), Luan (min. 55), Rafael Carioca (min. 88), Artur (min. 93) e Ariel (min. 93). Cartão vermelho: Paulão (min. 94).
INCIDENCIAS: Partida de volta válida pelas semifinais da Copa do Brasil 2016, realizada no Estádio Independência, em Belo Horizonte, Minas Gerais

Um jogo eletrizante do início ao fim. Assim podemos definir o empate por 2 a 2 de Atlético-MG Internacional, nesta quarta-feira (2), pela volta das semifinais da Copa do Brasil 2016. Como havia ganho a ida por 2 a 1, fora de casa, o Galo levou a classificação ante a sua torcida no estádio Independência, em Belo Horizonte, com gols assinalados por Robinho Lucas PrattoAylon Anderson descontaram a favor do Colorado.

Com sua vaga na decisão garantida diante do Grêmio, que eliminou o Cruzeiro, os atleticanos chegam à segunda final em toda a história. A primeira foi em 2014, quando foram campeões justamente sobre seus maiores rivais, a Raposa, com o técnico Marcelo Oliveira estando sob o comando dos cruzeirenses.

As times voltam a campo, pela 34ª rodada do Brasileirão, no próximo domingo (6). Os mineiros vão a Curitiba encarar o Coritiba no Couto Pereira às 19h30 (de Brasília), enquanto que os gaúchos vão visitar o líder Palmeiras, no Allianz Parque, mais cedo, às 17h (de Brasília), em São Paulo.

Internacional se impõe e abre vantagem no primeiro tempo

Diferentemente do que é tradicionalmente esperado quando joga no Horto, o Atlético-MG não impôs pressão nos minutos iniciais. A troca de passes entre as equipes, envolvendo lances aéreos e com a cabeça, dificultavam com que a bola rolasse no gramado, deixando a partida bem truncada.

O primeiro lance perigoso do duelo veio com o Internacional, aos 11 minutos. Na jogada, Valdívia recebeu na intermediária e chutou bem forte, mas Victor se esticou todo para defender, evitando assim o gol da equipe visitante, que conseguiu encontrar espaços no setor direito do ataque. A forte chuva que caiu, antes mesmo da bola rolar, deixou efeito negativo durante o jogo, já que o gramado ficou escorregadio e vários jogadores caíam conforme corriam ou entravam para disputar a bola.

O Galo ainda conseguiu pressionar por alguns minutos, mas quem se deu melhor foi o Colorado, que balançou as redes aos 26 minutos. No lance, Valdívia acionou Anderson, que se atentou à movimentação de Aylon para ficar com a bola. Com isso, o centroavante apenas teve o trabalho de deslocar o goleiro para abrir o marcador.

Inter é mais eficaz e sai em vantagem no intervalo (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)
Inter é mais eficaz e sai em vantagem no intervalo (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

O gol sofrido fez tanto o time quanto a torcida acordarem no jogo, já que uma boa chance atleticana foi criada com Pratto, que foi servido na área e emendeu para a meta, todavia a bola explodiu na trave. Na defesa e, com menor posse de bola, o Colorado era mais perigoso. Se pouco agrediram, os gaúchos davam sustos cada vez que chegavam à zona ofensiva.

Mesmo com má atuação, o alvinegro conseguiu encontrar o empate nos acréscimos. Após falha de Ceará no meio-campo, Luan recuperou a posse e deixou Pratto livre para realizar jogada individual. Com a pelota, o argentino encontrou Robinho, que somente deslocou Danilo Fernandes e igualou o marcador. Mal deu tempo, entretanto, para a comemoração. Desta vez, Victor falhou e adiantou a bola após recuo na pequena área. Esperto, Anderson tomou e completou para a meta mineira, garantindo vantagem colorada na ida ao intervalo.

Galo arranca empate e fica com a vaga na decisão

Na etapa final, os times voltaram sem mexidas, todavia com a mesma vontade da inicial. E foi com essa determinação que o Inter quase vai às redes pela terceira vez, perdendo a chance de praticamente selar a vaga. Artur recebeu na esquerda e tentou levantar na pequena área, mas a bola foi direto para o gol e quase saiu do alcance de Victor.

Apesar de estar incentivando a equipe, a torcida do Galo viu a equipe gaúcha levar perigo mais uma vez, porém através da bola parada. De longe, Valdívia bateu colocado, a pelota desviou na barreira e fugiu à trajetória esperada, caindo no lado oposto ao camisa 1 atleticano, que apenas a observou sair pela linha de fundo.

Galo aproveita eficiência e garante classificação à decisão (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)
Galo aproveita eficiência e garante classificação à decisão (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

Como quem não faz, leva, os alvinegros foram para cima e acharam o empate, fazendo seus torcedores irem ao delírio no Independência. O experiente Robinho, ao contrário do primeiro gol, agora serviu Lucas Pratto, que tocou mandando fora do ângulo protegido pelo arqueiro do Colorado.

Superiores em campo, os mineiros criaram duas grandes chances de ir às redes na terceira vez, entretanto ficaram em brilhantes defesas de Danilo Fernandes. Na primeira, o lateral-direito Carlos César teve espaço para arrematar e deu uma bomba. A bola quicou na pequena área e obrigou o goleiro a colocar à lateral. Dois minutos depois, foi o venezuelano Otero que soltou o pé e parou em cima de Danilo, após fazer um milagre.