Roger exalta atuação do Atlético-MG no RJ: "O gol aos 47 não pode apagar a nossa produção coletiva"

Apesar do gol de empate sofrido no fim, desempenho da equipe atleticano convenceu o treinador

Roger exalta atuação do Atlético-MG no RJ: "O gol aos 47 não pode apagar a nossa produção coletiva"
Roger se mostra satisfeito com performance coletiva do Atlético no Rio de Janeiro (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Roger Machado, técnico do Atlético-MG, lamentou o empate em 1 a 1 com o Botafogo, nesse domingo (10), no Rio de Janeiro, pelo Campeonato Brasileiro. Apesar do resultado, contudo, o treinador ficou satisfeito com a atuação coletiva de sua equipe.

O Atlético abriu o placar no primeiro tempo com Marlone. No início da segunda etapa, Rafael Moura perdeu um pênalti, defendido por Jefferson. Nos acréscimos, após várias chances desperdiçadas pelo ataque atleticano, o atacante Roger marcou e deixou o duelo empatado.

O que vimos em campo foi um domínio nos dois tempos do jogo, com direito a penalidade defendida pelo Jefferson, que fez um grande jogo e foi o responsável maior por deixar o Botafogo vivo até o final da partida, quando conseguiu a penalidade. Criamos muitas chances, saímos na frente e tivemos oportunidades de aumentar o placar depois da penalidade desperdiçada”, analisou Roger.

O treinador comentou duas grandes chances desperdiçadas na reta final do confronto, uma de Cazares e outra de Robinho.

Roger esbraveja à beira do campo (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)
Roger esbraveja à beira do campo (Foto: Bruno Cantini/Atlético)

No lance do Robinho, foi uma grande defesa do Jefferson. No lance do Cazares, talvez um passe para o Fred, mas a tentativa de se desvencilhar do zagueiro empurrou a bola para na direção do Jefferson e deu condição para ele defender. São oportunidades preciosas que a gente não deve desperdiçar. Foi uma atuação compatível com resultado de vitória. Um ponto fora de casa poderíamos estar comemorando como um grande resultado, mas, em função do contexto, obviamente, a gente queria muito mais”, observou.

+ Roger enfatiza jogo coletivo e minimiza rótulo de 'time raçudo': "Muito simplista"

Por fim, o comandante fez uma reflexão envolvendo resultado e desempenho.

“É melhor sofrer um revés jogando bem e criando muito do que achar um gol no final em uma partida que você não joga bem” - Roger Machado

O resultado é que a gente lamenta, em função das circunstâncias. Não tivemos apenas mais uma situação de gol, criamos um volume grande de oportunidades. Esses dois pontos eram importantíssimos. Dos últimos 15 pontos que disputamos, conseguimos 11 nessa arrancada, e a vitória nos colocaria de volta na zona de classificação, mas quarta-feira tem de novo. É melhor sofrer um revés jogando bem e criando muito do que achar um gol no final em uma partida que você não joga bem. Hoje, foi o resultado apenas. Não poso deixar de valorizar o empenho e a qualidade de jogo do meu time. As tomadas de decisão a gente corrige, mostra, cobra, mas fizemos um grande jogo. O gol aos 47 não pode apagar a nossa produção coletiva”, findou.

O Atlético voltará a campo na quarta-feira (12), às 19h30, para encarar o Santos, na Arena Independência, em jogo válido pela 13ª rodada do Brasileirão.

Atlético MG