Carioca revela choro no vestiário e responsabiliza jogadores por má fase do Atlético-MG

"É como se tivesse perdendo um filho", resume o meio-campista; jogador endossa palavra de presidente: Libertadores 2018 virou obrigação

Carioca revela choro no vestiário e responsabiliza jogadores por má fase do Atlético-MG
Rafael Carioca foi um dos melhores em campo diante do Jorge Wilstermann (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Um dia após a eliminação da Copa Libertadores para o Jorge Wilstermann, o volante Rafael Carioca revelou nesta quinta-feira (10) que os jogadores foram às lágrimas no vestiário por não terem conseguido levar o Atlético-MG às quartas de final da competição.

"Vocês aqui fora não sabem o que passa no vestiário. Jogador chorando, sem chão. É como se tivesse perdendo um filho. Era a oportunidade de fazer história e conquistar mais um título pelo Atlético. Você não tem muito o que falar. Vai ser porrada de tudo quanto é jeito. Vamos juntar os cacos, se agarrar na família e partir para outra", disse o atleta, em entrevista coletiva, na Cidade do Galo.

Apesar da eliminação, Rafael Carioca foi um dos melhores em campo contra o Jorge Wilstermann. Segundo dados do Footstats, o camisa 5 acertou 100 passes no jogo (errou apenas três), com índice de 97,1% de aproveitamento. O êxito em entregar a bola nos pés de um companheiro levou Carioca a bateu o recorde de passes de um jogador atleticano no ano, em uma única partida.

Antes criticado, o meio-campista quer ver o time melhorar nos próximos jogos para se recuperar no Campeonato Brasileiro e entrar ao G-6. "A porrada faz com que você cresça. Eu tenho muita personalidade. O jogador tem que saber lidar com a crítica, tem que melhorar. Eu coloquei na cabeça que tinha que melhorar, mas não adianta eu melhorar e a equipe não. Vamos tentar melhorar para tentar entrar G-6 e disputar a Libertadores no ano que vem", pontuou.

Carioca também saiu em defesa do treinador Rogério Micale. O sucessor de Roger Machado assumiu o comandado do Atlético há 15 dias. De acordo com o volante, os jogadores são os principais culpados pelo momento turbulento que a equipe atravessa na temporada.

"O Micale pegou um trabalho em andamento. A responsabilidade tem que ser, na visão de nós jogadores, nossa mesmo, pelo elenco que temos. O presidente montou um time para ser campeão. Na minha visão, ele não tem culpa. O resultado quem faz somos nós, dentro de campo. Quando não acontece, a responsabilidade é nossa. O Micale pegou o trabalho em andamento e está tentando ajustar algumas coisas", justificou.

'Libertadores é obrigação'

Rafael Carioca endossou a declaração do presidente atleticano, Daniel Nepomuceno. Em entrevista coletiva pós-eliminação, o cartola afirmou que a classificação do Galo para a próxima edição da Libertadores virou obrigação.

"Não tem mais desculpas. A gente vai jogar só uma vez por semana. Vai dar tempo de quem tá cansado se recuperar. Rebaixamento não passa pela nossa cabeça. Passa a briga pela Libertadores. É a obrigação por tudo que foi planejado, pelo elenco que temos. O Campeonato Mineiro é pouco pelo que foi montado. Na minha visão, vamos ser favorecidos por jogar uma vez por semana", concluiu.


Share on Facebook