Golaço de Otero contra Coritiba não deve concorrer ao Prêmio Puskás; entenda

Meia venezuelano marcou dois gols e comandou vitória do Galo sobre o Coxa, no Independência

Golaço de Otero contra Coritiba não deve concorrer ao Prêmio Puskás; entenda
Otero extravasa após fazer uma pintura no Horto (Foto: Pedro Vilela/Getty Images)

O meia Otero foi o grande protagonista da vitória do Atlético-MG sobre o Coritiba, por 3 a 0, na noite deste domingo (19), pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Conhecido por marcar belos gols de longa distância, o venezuelano foi às redes duas vezes e sacudiu a torcida alvinegra presente na Arena Independência.

O segundo, inclusive, é digno de Prêmio Puskás: tabelou com Fred e, um pouco depois da linha do meio-campo, no lado direito, arriscou um chute de raríssima felicidade, encobrindo o goleiro Wilson. Até o social media do Atlético brincou, no Twitter, pedindo que o gol esteja entre os mais bonitos desta temporada.

No entanto, o gol antológico de Otero pode ficar de fora da lista do próximo Prêmio Puskás. É que o tento do meia não está dentro do prazo estabelecido pela Fifa. Para a última premiação, a entidade considerou gols marcados apenas no período de 20 de novembro de 20162 de julho de 2017, e os dez finalistas foram escolhidos por um colegiado da entidade.

Sendo assim, o gol de Otero não deve ser validado pela Fifa por causa de apenas um dia, uma vez que o jogo contra o Coritiba aconteceu dia 19 de novembro.

O atual vencedor da consagração é o atacante francês Olivier Giroud, do Arsenal, por seu "gol escorpião" em cima do Crystal Palace, no Emirates Stadium, pela Premier League.

Dois brasileiros já conquistaram o Prêmio Puskás. O primeiro foi Neymar, em 2011, com uma pintura contra o Flamengo no revés por 5 a 4 do Santos, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro. Wendell Lira foi o segundo agraciado, em 2015, por ser autor de um lindo tento de bicicleta na vitória por 2 a 1 do Goianésia diante do Atlético-GO, no Serra Dourada.

Outro atleticano desprezado pela Fifa

O golaço do meia Cazares contra o Grêmio, em dezembro do ano passado, em Porto Alegre/RS, pelo segundo jogo da final da Copa do Brasil, também ficou de fora do último Prêmio Puskás. Na ocasião, o equatoriano marcou um gol antes do meio-campo.