Na estreia da Copa do Brasil, Atlético-MG precisará viajar longo caminho para encarar 'xará'

3537 km separam o Galo de seu primeiro adversário, o Atlético Acreano; alvinegro caiu na chave 8 da competição, que tem Figueirense e Brasiliense, algozes de edições passadas

Na estreia da Copa do Brasil, Atlético-MG precisará viajar longo caminho para encarar 'xará'
Campeão em 2014, Galo busca o bicampeonato (Foto: Bruno Cantini/Atletico-MG)

A competição mais democrática do país deu seu primeiro passo. Na tarde desta sexta-feira (15), na sede da CBF, no Rio de Janeiro, foi realizado o sorteio do chaveamento e dos primeiros jogos da Copa do Brasil 2018. O Atlético-MG, campeão em 2014, estreia diante do Atlético Acreano, na capital Rio Branco, em jogo único. A data do confronto ainda será definida.

O alvinegro caiu na chave 8 e, caso passe pelo xará, enfrenta o vencedor do confronto entre Floresta-CE e Botafogo-PB, também fora de casa. O chaveamento atleticano conta ainda com os duelos de Treze-PB X Figueirense e Brasiliense X Oeste. Brasiliense e Figueirense são algozes alvinegros de edições anteriores da Copa do Brasil.

Em 2002, com direito a um retumbante 3 a 0, no Mineirão, o Brasiliense fazia história. Naquele ano, o clube chegou à final do torneio, perdendo o título para o Corinthians. Já o Figueirense acabou com o sonho do bicampeonato atleticano em 2015, buscando uma virada heroica no fim da segunda partida, em Florianópolis.

O primeiro adversário: é Atlético, é Galo, porém é azul

Fundado no dia 27 de abril de 1952, por comerciantes libaneses com o nome de Beiruth, o Atlético Acreano tem como mascote o Galo Carijó. Atual bicampeão do estado, o Alviceleste de Rio Branco tem, ao todo, oito títulos do Campeonato Acreano. Em competições nacionais, seus melhores desempenhos foram nesta temporada. Na Copa Verde, o clube chegou até as semifinais, sendo eliminado pelo Clube do Remo, do Pará. Na Série D do Campeonato Brasileiro, ficou na terceira colocação.

Esta será a edição da Copa do Brasil com a maior premiação da história. A contar-se o desempenho, desde a primeira fase até chegar em um eventual título, o vencedor receberá a bagatela de 68,7 milhões de reais. Os valores por fase são: 4 milhões para os participantes das quartas-de-final, 8 milhões para os semifinalistas, 20 milhões para o vice-campeão e 50 para o campeão.