Otero espera manter bom desempenho do ano passado e alfineta Rogério Micale

Com poucas oportunidades no início de 2017, meia teve sua chance e brilhou no fim da temporada com golaços em bola parada

Otero espera manter bom desempenho do ano passado e alfineta Rogério Micale
Venezuelo espera repetir as boas atuações em 2018 e preencher a lacuna deixada após a saída de medalhões (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Com um time cheio de medalhões na temporada passada, o Atlético-MG deixou muito a desejar na temporada passada. No entanto, os golaços de Rômulo Otero conquistaram a torcida alvinegra. Nesta sexta-feira (19), o venezuelano comemorou, em coletiva aos jornalistas, a oportunidade de atuar em sua posição de origem.

"Sempre joguei pela esquerda. Ano passado tinha Robinho, não vou tirar Robinho da esquerda. Agora chegou Róger Guedes, que joga bem pela direita. Volto para a esquerda, para cortar para dentro, chutar. Foi o que o treinador falou comigo. Espero que dê certo", disse o jogador.

Com a saída de referências como Fred, Robinho e Marcos Rocha, a responsabilidade para a criação de grandes jogadas recaí sobre o jovem jogador de 25 anos, que no ano passado decidiu várias partidas em jogadas de bola parada. Entretanto, Otero parece não se incomodar com o fardo.

"Eu acho que estou preparado para assumir a responsabilidade [de resolver jogos] junto com jogadores que chegaram e com outros experientes do grupo. Desejo o melhor para os jogadores que saíram do Galo", disse.

Um 2017 cheio de reviravoltas

Hoje, o venezuelano é tido como uma das estrelas da equipe, mas nem sempre foi assim. O atleta não teve muitas oportunidades durante a "Era Micale", e aproveitou para alfinetar o treinador.

"Com Micale, eu entrava nos jogos faltando 15, 20 minutos, fazia gol, entrava bem, mas seguia no banco. Não sei o que aconteceu. Treinava do mesmo jeito que treino agora. Era escolha do treinador", criticou.

Foi com Oswaldo de Oliveira que o atleta ganhou espaço e reconquistou a confiança. Dos oito gols de Otero no Brasileirão, quatro foram em cobranças de falta. No total, seis foram de fora da área. Uma marca impressionante, que torna o venezuelano do Galo o melhor chutador do futebol brasileiro.

"Sempre estive tranquilo, esperando minha oportunidade. Quando o jogador tem oportunidade, confiança, pode fazer muita coisa. Graças a Deus consegui fazer na reta final da temporada passada”, explicou o atleta, que revelou a fórmula para manter o bom futebol em 2018:  

"Mantendo a mesma humildade que tive ano passado, quando terminei muito bem. (...) Preciso desse comportamento em campo e fora dele. Treinar, treinar, foco no treino", garantiu o venezuelano. 

Jogo contra Democrata-GV

O venezuelano deixou nas mãos de Oswaldo de Oliveira a decisão de jogar ou não no próximo compromisso do Galo no Campeonato Mineiro“O treinador que escolhe, nós fizemos uma boa pré-temporada. Se é para jogar, vou dar a vida igual o ano passado, mas se é para ficar no banco, estarei preparado para dar o meu melhor”, despistou o meia.

A equipe fará sua estreia diante dos torcedores, no estádio Independência, contra o Democrata-GV, às 17hr. Apesar do mistério, acredita-se que o Atlético entrará em campo com: (4-2-3-1) Victor; Samuel Xavier, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Arouca e Elias; Róger Guedes, Cazares e Otero; Ricardo Oliveira.