Técnico interino do Atlético-MG,  Larghi pede paciência e Gallo dá novo prazo para contratar técnico

Treinador exaltou as oportunidades criadas pelo elenco alvinegro em derrota para a Caldense; Gallo promete novidades sobre o novo técnico para o domingo (11)

Técnico interino do Atlético-MG,  Larghi pede paciência e Gallo dá novo prazo para contratar técnico
Treinador assumiu o comando após Oswaldo de Oliveira ser demitido (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

O Atlético-MG sofreu sua segunda derrota no Campeonato Mineiro em duelo contra a Caldense, na Arena Independência. Foi o primeiro jogo sem Oswaldo de Oliveira, demitido na sexta-feira (09). Remanescente da comissão técnica do ex-treinador, o auxiliar técnico Thiago Larghi esteve no comando do clube alvinegro na derrota por 2 a 1.

Com apenas um treino antes da partida, o treinador interino promoveu cinco alterações em relação ao time que empatou com o Atlético-AC, pela Copa do Brasil. Carlos César, Felipe Santana, Iago Maidana, Adilson e Cazares foram titulares. Samuel Xavier, Gabriel e Róger Guedes ficaram no banco de reservas. Leonardo Silva e Arouca sequer foram relacionados.

Em entrevista coletiva, Thiago Larghi enumerou as razões que o motivaram a mudança do time titular. "As mudanças no time foram por ordem física e ordem técnica. A gente quis dar oportunidade a jogadores que ainda não tinham jogado", disse.

O comandante interino destacou, ainda, as oportunidades criadas pelo Galo que acabaram não se concluindo em gols.

"O que a gente percebeu foi um domínio completo [do Atlético], mas são situações de jogo, mas a gente entende que nossa defesa falhou em uma situação casual. É futebol. Tivemos várias oportunidades, mas não conseguimos marcar o gol", explica.

Patinando no estadual, o Atlético vive uma crise dentro e fora de campo. Porém, para Thiago, o momento requer paciência para que os jogadores possam deslanchar na temporada.

“Eles estão se empenhando, estão trabalhando e estão em processo de evolução. Realmente o time não está se encontrando da forma que a gente gostaria, mas o trabalho deles é inegável. Eles buscam se aprimorar. A gente acha que é questão de tempo e encaixe. É como as coisas acontecem no futebol. É com trabalho, paciência, alimentação e tudo que sucede uma boa preparação”, pondera.

Novo treinador

O diretor de futebol Alexandre Gallo também deu as caras na coletiva e demonstrou toda a sua insatisfação com a derrota.

"Nos sentimos indignados com uma derrota dessa, ‘p...’, a palavra é essa. Estamos aqui para dizer que essa indignação existe e esperávamos que estivéssemos num nível melhor que esse depois de 40 dias, com a pré-temporada que fizemos", disse.

O dirigente segue em busca de um substituto para Oswaldo de Oliveira. E, em entrevista, o dirigente deu um novo prazo para acalmar os ânimos dos torcedores.

“A gente espera que talvez amanhã a gente tenha algum tipo de novidade. Já recebi muitas opções de treinadores para que possam vir para cá. Mas, com responsabilidade, numa conversa diária com o Sérgio [Sette Câmara, presidente do Atlético], nós vamos equacionar isso aí o mais rápido possível”, tranquiliza.

Gallo disse, ainda, o qual é o perfil de treinador ideal para assumir o cargo no time mineiro.

“Nós precisamos, o mais rápido possível, trazer um comandante que realmente nos dê um rumo. Principalmente pela característica de time que a gente tem. Tem que ser um time intenso, de marcação na frente, com mais força, com mais pegada, com determinação, que é a cara que o time pede. Contratamos esses jogadores para isso. Essa intensidade ainda não aconteceu”, analisou.

Os nomes de Cuca e Abel Braga surgiram como especulação, mas neste sábado (10), de acordo com informações do Globo Esporte, o ex-técnico campeão da Libertadores estaria chateado com os boatos de que teria recusado proposta ao clube alvinegro e, por isso, descartou retornar à Cidade do Galo no momento.