Atlético-PR domina segundo tempo, vence Cruzeiro e dorme no G-4

Pablo e André Lima (2) marcaram os gols do Furacão, que viu o Cruzeiro superior na primeira etapa

Atlético-PR domina segundo tempo, vence Cruzeiro e dorme no G-4
Foto: Gustavo Oliveira/Atlético-PR
Cruzeiro
0 3
Atlético-PR
Cruzeiro: Fábio; Lucas, Bruno Viana, Bruno Rodrigo, Edimar Henrique, Ariel Cabral, Arrascaeta, Robinho Rafael Sobis e Willian.
Atlético-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Wanderson, Sidcley Otávio, Hernani, Vinícius Nikão, Pablo e Walter.
Placar: 0-1, min. 64, Pablo; 0-2, min. 67, André Lima; 0-3, min. 79, André Lima.
ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS), auxiliado por José Eduardo Calza (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS). Cartões amarelos: Arrascaeta (CRU), Weverton, Wanderson, Vinícius e Marcão (CAP).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, disputada na segunda (11), às 20h, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte-MG, para um público de 32 mil torcedores.

Conquistando um placar mais que necessário para as suas pretensões na rodada, o Atlético-PR derrotou o Cruzeiro por 3 a 0, no Mineirão, em Belo Horizonte-MG, pela 14º rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Furacão entra o no G-4, somando 23 pontos, e torce por um tropeço do Santos diante do líder Palmeiras, nesta terça (12) - jogo que fecha a rodada - para continuar no grupo dos quatro melhores da competição. Já o Cruzeiro se mantém na 15º colocação, com 15 pontos, mesma pontuação do Figueirense, primeiro da zona de rebaixamento.

O jogo marcava o encontro do pior mandante com um dos piores visitantes do campeonato. Se o Cruzeiro só tinha vencido uma partida em seus domínios, o Atlético-PR também só tinha conquistado um triunfo longe do Paraná. Mas foi o Furacão quem mudou a estatística a seu favor, com dois gols de André Lima e um de Pablo. Este que foi o autor do único gol do rubro-negro no duelo das duas equipes pela Copa da Primeira Liga, em março, no Mineirão, onde a equipe celeste venceu por 2 a 1.

O duelo contou com a estreia do atacante Rafael Sóbis, um dos principais reforços da equipe de Paulo Bento para a temporada, e do lateral-esquerdo Edimar, desbancando Bryan em sua primeira oportunidade. Apesar da derrota, os dois jogadores não tiveram atuações tão ruins no jogo, mostrando personalidade. A estreia era das duas novas caras do Cruzeiro, mas um velho jogador do histórico dos confrontos, que sempre tem ótimas atuações em Minas, foi quem roubou as atenções para si: o goleiro rubro-negro Weverton fez grandes defesas nos momentos em que o Cruzeiro criava chances muito mais perigosas.

No estádio, um espectador ilustre dava continuidade à tática usada para assistir ao máximo de jogos possível. Tite, treinador da seleção brasileira, tem migrado pelos estádios brasileiros, assistindo a diversas partidas do Brasileirão. Se nesta segunda foi a vez do confronto entre a Raposa e o Furacão, é o clássico entre Palmeiras e Santos, fechando a rodada, na Arena Palmeiras, o próximo jogo realizado perante os olhos do comandante da amarelinha. No intervalo da partida, Tite ainda concedeu uma entrevista à imprensa.

Com as equipes fazendo sua estreia nesse novo horário de jogos da CBF, implantado nesta temporada em caráter experimental, e diante de um público de 32 mil pessoas, o Atlético-PR conquistou uma grande vitória, no jogo apitado pelo árbitro Anderson Daronco, auxiliado por José Eduardo Calza e Elio Nepomuceno de Andrade Junior, sendo o trio do estado do Rio Grande do Sul.

Cruzeiro domina o primeiro tempo mas não consegue abrir o placar

As equipes começaram o jogo bastante animadas, mas era o Cruzeiro quem se mostrava mais ativo em seu poder ofensivo. Na primeira chance da partida, o meia Vinícius recebeu a bola na área, foi desarmado e, na sequência, Hernani cometeu uma falta de ataque. Já sinalizada a infração a favor dos mandantes do jogo, Walter chutou para o gol, mas o lance não foi validado. No minuto seguinte, Sidcley fez um corte mal sucedido, que foi aproveitado por Arrascaeta. O meia fez um belo passe infiltrado na zaga atleticana para Willian, que chutou para o gol, mas a bola passou cruzando a pequena área.

Arrascaeta, que ao lado de Fábio forma a dupla atuante em todos os jogos da equipe celeste, no Brasileirão, sob comando de Paulo Bento, conseguia ter boa movimentação no ataque da equipe. Aos 15 minutos, o lateral cruzeirense Lucas, que vinha fazendo uma de suas melhores partidas desde que chegou em terras mineiras, avançou bem pela direita e cruzou na cabeça do estreante Rafael Sóbis, mas Weverton conseguiu defender com tranquilidade. No lance seguinte, os cruzeirenses reclamaram com o árbitro Anderson Daronco, pedindo a expulsão do goleiro rubro-negro.

Isso porque depois de uma falha na marcação do Furacão, Weverton saiu da área para dividir a bola com Willian, que tentava aproveitar a chance. Voltando para o gol, já era o meia Arrascaeta quem pegava a sobra para finalizar, quando a bola bateu na mão de Weverton, que estava fora da grande área. O arqueiro rubro-negro levou cartão amarelo no lance, gerando reclamações. Aos 30min, os donos da casa já tinha finalizado 10 vezes, enquanto os visitantes não tinham chegado em nenhum momento com real perigo ao gol de Fábio, com exceção no lance do gol anulado de Walter, mas tudo já tinha sido parado.

O Furacão tentava se fechar bem, mas o Cruzeiro dinamizava suas opções ofensivas com Willian chegando com muita vontade nas jogadas e Sóbis com boa presença de área, apoiados por Arrascaeta, que se movimentava bem. Aos 36 min, Robinho finalizou com muita força de fora da área, mas Weverton espalmou. No rebote, Sóbis arriscou e novamente o goleiro rubro-negro fez uma grande defesa. No último lance da etapa inicial, Sidcley ajeitou a bola para Vinícius, que tentou acertar o ângulo de Fábio, mas acabou finalizando para fora.

Atlético-PR resolve atacar, é eficaz e mata a partida

O Cruzeiro dominou a partida, no primeiro tempo, mas o Atlético-PR voltou mais ligado para a etapa final. Logo aos 3min, em cobrança de escanteio, a zaga celeste fez o corte para trás, deixando a bola no domínio de Walter já na entrada da pequena área, que finalizou para fora e perdeu uma grande chance. Tentando abrir o placar, a equipe celeste exigiu mais uma grande defesa de Weverton. Lucas cruzou no meio da área, e Sóbis finalizou, mas a bola explodiu no goleiro rubro-negro.

Se até o momento, era o Cruzeiro quem esbanjava ataques, o Furacão foi incisivo aos 19 min. Weverton cobrou tiro de meta, e a bola foi parar na zaga do Cruzeiro. Bruno Rodrigo fez o corte de forma errada, dando um passe para Pablo, que só teve o trabalho de empurrar para o gol. E o Furacão nao desistiu. Três minutos depois, o jogo teve seu panorama totalmente alterado. Nikão recebeu um longo passe pela direita e tocou para André Lima que, sem nenhuma marcação e já quase na pequena área, chutou para o fundo das redes, ampliando o placar. O jogo que o Cruzeiro se propunha fazer não surtiu efeito e, mesmo jogando bem até o lance do primeiro gol, foram os paranaenses que alteraram o cenário da partida a seu favor.

Aos 31min, Weverton brilhou de novo. Arrascaeta fez um passe para Riascos, mas a bola cruzou a área rubro-negra e caiu nos pés de Allano, que estava livre e finalizou, mas explodiu no goleiro paranaense. Depois disso, todo o controle que os donos da casa tinham da partida não garantia mais bons ataques e nem jogadas de perigo. Mesmo tendo mais que o dobro de finalizações do Furacão na partida, o Cruzeiro não aproveitou as inúmeras chances, vendo o Atlético-PR sendo categórico nas falhas da zaga cruzeirense.

Aos 34min, a equipe paranaense marcou mais um gol e fechou a conta. Marcos Guilherme conseguiu fazer o cruzamento, pela direita, já no limite do campo, encontrando André Lima na área, que no meio dos dois zagueiros cruzeirenses cabeceou para o gol, deixando Fábio sem nada conseguir fazer. A zaga celeste voltou a falhar, e os visitantes não desperdiçaram a chance de sair de Minas com uma vitória mais que necessária para deixar a equipe, pelo menos, dormir no G-4, grupo dos quatro melhores da competição.