Atlético-PR empata com Vitória na Arena da Baixada, mas continua próximo ao G-4

Time paranaense sofre empate no segundo tempo e desperdiça oportunidade de se aproximar ainda mais dos quatro melhores colocados; Leão consegue gol que deixa a equipe mais longe do Z-4

Atlético-PR empata com Vitória na Arena da Baixada, mas continua próximo ao G-4
(Foto: Gustavo Oliveira/Site Oficial do Atlético Paranaense)
Atlético-PR
1 1
Vitória
Atlético-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani e Pablo (Giovanny, min. 72); Nikão (Yago, min. 76), Walter (Macos Guilherme, min. 63) e André Lima. Técnico: Paulo Autuori
Vitória: Caíque; Diego Renan, Ramon, Victor Ramos e Euller; Willian Farias, Marcelo (Tiago Real, min. 69) e Nickson (Serginho, intervalo); Dagoberto (Vander, min. 66), Marinho e Kieza. Técnico: Vagner Mancini
Placar: 1-0, min. 44, Pablo. 1-1, min. 70, Diego Renan.
ÁRBITRO: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ). Cartões amarelos: Victor Ramos (min. 5), Hernani (min. 10), Marinho (min.47), Léo (min. 57), Weverton (min. 69), Kieza (min. 90)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena da Baixada, em Curitiba

Neste domingo (17), Atlético-PR e Vitória empataram na Arena da Baixada, em jogo válido pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, em 1 a 1. Os gols da partida foram marcados por Pablo e Diego Renan.

O resultado deixou o Furacão em 5º lugar, com 24 pontos. Dois atrás do Santos, que é o primeiro time do G4. Já pelo lado baiano, o empate deixou a equipe em 12º colocado, com 19 pontos.

Furacão joga melhor e sai na frente 

Embalado pela vitória fora de casa contra o Cruzeiro e com o apoio da torcida, o Atlético iniciou o jogo em cima da equipe visitante para abir o placar. Pablo recebeu passe de Walter, mas pegou mal na bola e mandou para fora. Um minuto depois, o time mandante quase marca. Walter achou Sidcley com espaço, lateral bateu sem muita força e a zaga afastou o perigo.

O Vitória deu o troco logo em seguida. Marinho pegou a bola depois de uma furada de Dagoberto e chutou colocado. A bola passou muito perto do gol de Weverton. Pouco tempo depois, André Lima recebeu bom passe, chutou, porém a bola saiu fraca e Caíque defendeu sem problemas.

Buscando fazer o gol para acalmar mais o jogo, o Atlético-PR chegou com perigo com Nikão. O atacante cobrou falta com força e obrigou Caíque a fazer uma bela defesa. Com tanta pressão do adversário, a equipe baiana ficou um pouco confusa e protagonizou uma cena curiosa. Ramon recuou para o goleiro em falta cobrada na zaga, mas tocou com muita força na bola. Caíque correu, se esforçou todo e conseguiu tirar em cima da linha.

No final da primeira etapa, o CAP controlou as ações do jogo e não deixou o Vitória jogar. O zagueiro Ramon bobeou novamente e perdeu no corpo para André Lima. A bola sobrou para Pablo, que chutou, mas Caíque fez outra grande defesa. Pouco tempo depois, finalmente o time da casa abriu o placar. Diego Renan recuou mal para Caíque, Pablo chegou antes na bola, deu um lençol no goleiro, e bateu para o gol.

Leão melhora, equilibra a partida e chega ao empate

Vagner Mancini colocou Serginho no lugar de Nickson, no intervalo, e o Vitória melhorou. Logo no início do segundo tempo, Marcelo arriscou de longe e Weverton defendeu. Minutos após esse lance, os baianos assustaram novamente. Dagoberto cobrou escanteio fechado e quase fez um gol olímpico. A resposta do Atlético não demorou muito. Pablo recebeu de André Lima, avançou em velocidade, mas chutou mal e a bola foi para fora.

Mesmo precisando do gol, o Vitória apostou nos contra-ataques e na velocidade de seu ataque. Em uma dessa jogadas, Dagoberto recebeu, cortou um adversário e bateu. Weverton, ligado no lance, fez boa defesa. Porém a equipe visitante de tanto insistir na velocidade, acabou premiada. Kieza recebeu lançamento, driblou Weverton e foi derrubado, pênalti. Diego Renan bateu e empatou a partida. 

O Leão embalou após o gol e quase conseguiu a virada. Diego Renan tocou para Serginho, que chutou com força e a bola bateu na trave. Necessitando vencer para não se distanciar do G4, o Atlético buscou mais força ofensiva com as entradas de Giovanny e Yago, nas vagas de Pablo e Nikão, respectivamente. Em pouco tempo em campo, Giovanny recebeu passe na entrada da área, arrumou e bateu, mas Caíque mandou a bola para fora.

A segunda etapa ficou bastante equilibrada, com oportunidades para os dois lados. Em mais uma jogada rápida pelos lados do campo, Marinho avançou, tabelou com Kieza, mas foi travado na hora de chute e a zaga afastou o perigo. O CAP respondeu dois minutos depois. Giovanny, que entrou bem no jogo, cortou a marcação e chutou, porém a bola foi para fora. Tanto o Furacão, quanto o Vitória, criaram mais chances no final do confronto, mas sem perigo real de gol e a partida acabou mesmo empatada.