Atlético-PR e Chapecoense pecam na finalização e deixam vaga em aberto para jogo de volta

Em jogo de dois tempos distintos, equipes empatam sem gols na Arena da Baixada, fazendo com que definição da classificação às oitavas fique no interior catarinense

Atlético-PR e Chapecoense pecam na finalização e deixam vaga em aberto para jogo de volta
Foto: Gustavo Oliveira/Atlético-PR
Atlético-PR
0 0
Chapecoense
Atlético-PR: Weverton; Léo, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Hernani, Vinícius (Giovanny, min. 79) e Juninho (Nikão, min. 55 [André Lima, min. 66]); Walter e Pablo. Técnico: Paulo Autuori
Chapecoense: Danilo; Gimenez, Rafael Lima, Willian Thiego e Sérgio Manoel; Josimar, Gil e Matheus Biteco e Lucas Gomes (Ananias, min. 76); Martinuccio (Hyoran, min. 53) e Bruno Rangel (Kempes, min. 77). Técnico: Caio Júnior
ÁRBITRO: Graziani Maciel Rocha (RJ). Cartões amarelos: Léo (min. 81)
INCIDENCIAS: Partida de ida pela terceira fase da Copa do Brasil 2016, disputada na Arena da Baixada, em Curitiba, no Paraná

A noite desta quinta-feira (21) fechou os jogos de ida da terceira fase da Copa do Brasil 2016. Em jogo movimentado na Arena da Baixada, em Curitiba, Atlético-PR Chapecoense até tentaram, mas pecaram na finalização e empataram sem gols, deixando em aberto a vaga nas oitavas de final da competição nacional.

O resultado foi mais favorável aos rubro-negros, ainda que tivessem feito o primeiro duelo dentro de seus domínios, pois um novo empate e com gols os garantem. Já os alviverdes necessitam apenas da vitória em casa, uma vez que o revés os tira a classificação inédita na 4ª fase do torneio.

As equipes se reenfrentam no interior de Santa Catarina, por vaga nas oitavas, às 19h30 da próxima quarta-feira (27). Já pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, entretanto, os times jogam às 16h do domingo (24). Enquanto os paranaenses jogam novamente em casa, quando duelam diante do Fluminense, os catarinenses vão receber o Botafogo, na Arena Condá, em Chapecó.

Furacão cria mais, mas não fura bloqueio da Chape

Vivendo bom momento no Brasileirão, Atlético-PR e Chapecoense se enfrentaram pela Copa do Brasil mostrando que estavam dispostos a dar sequência na competição, ainda que a Copa Sul-Americana fosse um atrativo a ambos. O jogo começou muito equilibrado e com raros os lances ofensivos, fazendo o público presente ficar desanimado na Arena da Baixada.

Mesmo fora de seus domínios, a Chape demonstrou vontade e criou a primeira boa oportunidade na etapa inicial. Depois de bate-rebate na entrada da pequena área, a bola sobrou com Martinuccio, que tentou tocar por cima de Weverton, mas o camisa 1 atleticano estava atento ao lance e afastou o perigo com o pé.

Sentindo a energia vinda dos torcedores e motivado pelo fator casa, o Furacão resolveu partir ao ataque em busca do primeiro gol no jogo. No primeiro momento que teve no setor, Juninho brigou e tocou para Walter que, mesmo sem ângulo, resolveu arriscar em direção ao gol, porém mandou muito alto.

Na reta final, entretanto, os rubro-negros levaram mais perigo à meta alviverde. Hernani saiu com liberdade na intermediária e arrematou com muita força, no entanto Danilo espalmou e cortou antes de Pablo chegar. No minuto seguinte, Vinícius foi quem finalizou à distância e o arqueiro do Verdão interveio, todavia quase se complicou sozinho e cedeu o tento aos paranaenses, entretanto se recuperou e impediu o placar de ser inaugurado.

Verdão melhora de produção, porém placar fica zerado

Para a etapa final, tanto Paulo Autuori como Caio Júnior optaram por manter os atletas que iniciaram o confronto, se mostrando satisfeitos com a atuação apresentada. O ritmo ofensivo, inclusive, permaneceu o mesmo do fim do primeiro tempo, com os donos da casa tendo mais liberdade para atacar e assustar. Assim, Sidcley arrematou próximo à trave esquerda.

A movimentação ofensiva dos anfitriões fez com que o treinador dos catarinenses resolvesse dar novo gás ao ataque, quando decidiu pelo jovem Hyoran na vaga de Martinuccio. A mudança fez a Chape ficar mais disposta no setor ofensivo, ainda que criasse pouco e sem levar muito perigo. No primeiro lance em que participou, contudo, o meia cruzou na pequena área em direção a Josimar, porém Weverton saiu bem e afastou.

Ficando mais à vontade para atacar, o Verdão não se intimidou e foi à zona ofensiva. Depois de bom cruzamento na pequena área, Bruno Rangel subiu para cabecear e mandou muito perto, com a bola indo pela linha de fundo. Em seguida, foi a vez de Lucas Gomes disparar em velocidade e sair sozinho, mas chutou fraco e para defesa segura do camisa 1.

Nos minutos finais, o duelo ficou aberto aos dois lados, com chances para ambos. Ainda assim, os times pecaram muito nas finalizações e não conseguiram ter criatividade para tirar o zero do placar, fazendo com que a volta ficasse incerta. No último lampejo, a sobra ficou com Hyoran, todavia o armador bateu por cima da meta.