Implacável na Arena da Baixada, Atlético-PR recebe Cruzeiro pelo Campeonato Brasileiro

Rubro-Negro paranaense é o melhor mandante desta edição da competição e enfrenta a Raposa, que precisa vencer para excluir as chances de rebaixamento

Implacável na Arena da Baixada, Atlético-PR recebe Cruzeiro pelo Campeonato Brasileiro
Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Atlético-PR
Cruzeiro
Atlético-PR: WEVERTON; LÉO, PAULO ANDRÉ, THIAGO HELENO E RENAN LODI; OTÁVIO E MATHEUS ROSSETTO; HERNANI, LUCHO GONZÁLEZ E LUCAS FERNANDES; PABLO (ANDRÉ LIMA). TÉCNICO: PAULO AUTUORI.
Cruzeiro: RAFAEL; EZEQUIEL, MANOEL, BRUNO RODRIGO E BRYAN; ARIEL CABRAL, DENILSON E BRUNO RAMIRES; ALISSON, ARRASCAETA E RAMÓN ÁBILA (WILLIAN). TÉCNICO: MANO MENEZES.
ÁRBITRO: MARCELO APARECIDO DE SOUZA (SP), AUXILIADO POR MÁRCIA BEZERRA LOPES CAETANO (SP) E ALEX ANG RIBEIRO (SP).
INCIDENCIAS: JOGO VÁLIDO PELA 33ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE 2016, A SER REALIZADO NESTE SÁBADO (29), ÀS 16H30, NA ARENA DA BAIXADA, EM CURITIBA/PR.

A Arena da Baixada será palco de mais um confronto tradicional do futebol brasileiro. O Atlético-PR recebe o Cruzeiro, neste sábado (29), às 16h30, em jogo válido pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2016. Forte atuando em casa, o Furacão busca mais uma vitória para acirrar a disputa por uma vaga na Copa Libertadores. Já a Raposa divide as atenções com a Copa do Brasil, mas um bom resultado é fundamental para se consolidar fora da briga contra o rebaixamento.

Com 48 pontos, a equipe paranaense ocupa a sétima posição na tabela de classificação e está um ponto atrás do Corinthians, último clube do G-6, grupo dos classificados para a Copa Libertadores. O Cruzeiro, por sua vez, está na 13ª posição, com 41 pontos. O clube tem chances pequenas de ser rebaixado, mas ainda não se garantiu. Uma vitória é essencial para tranquilizar o grupo para o duelo decisivo de quarta-feira (2), diante do Grêmio, pela semifinal da Copa do Brasil.

Na última rodada, ambas as equipes tiveram compromissos fora de casa, porém com resultados diferentes. A Raposa visitou o Vitória, adversário direto na briga contra o rebaixamento, no Barradão, e venceu por 1 a 0. O Furacão não teve a mesma sorte e foi derrotado pelo América-MG, até então lanterna da competição, também por 1 a 0, em jogo realizado na Arena Independência, em Belo Horizonte.

O confronto desta tarde será o terceiro entre as duas equipes nesta temporada. O primeiro deles foi na última rodada da fase de grupos da Primeira Liga. Jogando com time misto, por atuar cumprindo tabela, o Cruzeiro derrotou o Atlético-PR, por 2 a 1, no Mineirão. Também foi no Gigante da Pampulha o segundo confronto da temporada, dessa vez pelo Campeonato Brasileiro. Quem se deu bem foi o time paranaense, que goleou a Raposa, por 3 a 0.

Bom retrospecto em casa é amuleto do Atlético-PR na busca por vaga na Libertadores

Para o jogo de logo mais, o Furacão tem consigo um aliado forte, a Arena da Baixada. Atuando sob seus domínios, o esquadrão paranaense possui alto rendimento nesta edição do Campeonato Brasileiro. Dos 16 jogos disputados até o momento, a equipe soma 13 vitórias, dois empates e apenas uma derrota, sofrida para o líder Palmeiras, na 20ª rodada da competição.

Para escalar o time que vai a campo, o técnico Paulo Autuori conta com o retorno do atacante Pablo, que foi vetado do jogo diante do América-MG, por causa de dores no músculo adutor da coxa. O dono da camisa 92 já anotou sete gols nesta edição da competição, um deles exatamente contra o Cruzeiro, no jogo válido pelo primeiro turno. Além disso, ele foi o autor do único gol atleticano, na derrota por 2 a 1, pela Primeira Liga.

O atacante ressaltou a força da equipe mineira, mas assegurou que espera manter sua marca contra a Raposa. “Fiz gols no Cruzeiro quando estava no Figueirense e agora nos dois jogos deste ano. Mas é um time muito forte e respeito muito a equipe deles. Espero jogar e fazer gol novamente. Se eu puder estar em campo, vou trabalhar para manter essa média de gols contra o Cruzeiro”, disse.

Pablo lamentou o fato de não ter atuado na última rodada, devido ao problema muscular. “Fiquei triste de não ter jogado a última partida, mas tive a sorte de não ser nada grave”, destacou. Ele ainda comentou sobre a ascensão da Raposa na competição, mas ressaltou o bom desempenho do Furacão em casa. “Será um jogo muito difícil contra o Cruzeiro. É uma equipe com jogadores de qualidade e que deu uma arrancada nesta parte final do campeonato. Mas o nosso retrospecto em casa é bom e precisamos desta vitória para voltar ao G-6”, analisou.

Mesmo brigando na parte de cima da tabela, o técnico Paulo Autuori não poupou seus comandados das críticas para exemplificar o nível competitivo do Campeonato Brasileiro. “Falando sobre a nossa situação, para não citar os outros. Em um campeonato com um nível competitivo bom, uma equipe que, mesmo fazendo os pontos em casa, mas deixando de pontuar fora, jamais estaria numa disputa para terminar o campeonato na parte de cima da tabela”, disse.

“O próximo jogo é muito difícil e tem que ter foco total, muita atenção, e todos muito concentrados para de novo fazer um bom jogo. Tem que ser como fizemos com o Coritiba. Nível competitivo de médio pra bom. Tem que ser daquilo pra mais os nossos jogos”, ponderou o treinador ao comentar sobre o confronto diante da equipe celeste.

Desfalcado, Cruzeiro busca vitória para espantar fantasma do Z-4

O clube celeste vai ao sul do país para o momento mais decisivo da temporada. Os comandados de Mano Menezes vão ter que suar a camisa para chegar em Belo Horizonte com o sorriso no rosto. Além do confronto decisivo deste sábado, que pode definir qual será o tom de disputa nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro enfrenta o Grêmio no meio da semana pela Copa do Brasil e somente uma vitória acima dos 2 gols de diferença interessa aos mineiros.

Para o primeiro dos desafios, quem comandará a Raposa, mais uma vez, será o auxiliar técnico Sidnei Lobo, uma vez que Mano Menezes foi suspenso pelo STJD e só volta à beira de campo, pelo Campeonato Brasileiro, no duelo diante do Fluminense. A equipe tem alguns desfalques para o jogo de logo mais. Léo e Robinho estão suspensos, devido a uma expulsão e ao terceiro cartão amarelo, respectivamente. Henrique foi vetado por causa de dores musculares.

No último treino antes de embarcar para Curitiba, Rafael Sóbis foi poupado, deixando indícios de um time misto para o confronto. Para suprir a ausência do capitão Henrique, Denílson deve assumir sua função no meio de campo, assim como foi no jogo da última quarta-feira, contra a Grêmio. A boa notícia é a volta do volante Lucas Romero, que cumpriu suspensão diante do Vitória.

O lateral-direito Bryan destacou a dificuldade de jogar na Arena da Baixada, mas acredita no potencial da equipe para conquistar a vitória. “Mais um jogo difícil. É saber jogar e lidar com a pressão da torcida deles. Tentar suportar isso e fazer uma ótima partida lá. Sabemos que não podemos voltar com derrota. São bons os jogos assim. O time deles tem muita qualidade, o nosso também. É chegar lá, fazer um ótimo jogo e tentar conseguir a vitória”, disse.

Diferente do Mineirão, e da maioria dos gramados dos estádios da primeira divisão, a casa do Atlético-PR conta com grama sintética. Bryan frisa que é importante analisar essas condições antes do início da partida para que os jogadores se familiarizem com o campo. “É buscar a adaptação logo no aquecimento, ver o jeito que a bola rola. Acho que não será um fator que possa atrapalhar. A concentração precisa ser desde o começo do jogo”, afirmou.

O lateral-esquerdo Ezequiel esteve na inauguração do gramado da Arena quando atuava pelo Criciúma, em jogo válido pela Primeira Liga. Ele alerta para os possíveis problemas. "Participei da inauguração do gramado sintético na Arena. O jogo fica mais rápido, mas nem dá pra perceber que é sintético. Temos que nos adaptar o mais rapidamente possível. Mesmo sem molhar o campo, a bola fica rápida. Mas isso, nos primeiros minutos, a gente logo se adapta e depois tudo fica normal”, comentou.

Ele ainda falou a respeito da importância de um placar positivo no atual momento da equipe. “Temos condições de vencer o Atlético-PR lá, mas sabemos que eles são fortes em casa. Precisamos vencer para ter tranquilidade no Brasileiro. Uma vitória é sempre importante, faz retomar a confiança e jogar mais tranquilo”, finalizou.