Novo técnico do Atlético-PR, Fabiano Soares fala sobre técnicos brasileiros: “Paramos no tempo”

Após a demissão do técnico Eduardo Baptista, o Furacão apresentou Fabiano Soares, de 51 anos, como seu novo treinador

Novo técnico do Atlético-PR, Fabiano Soares fala sobre técnicos brasileiros: “Paramos no tempo”
Fabiano Soares ainda quando comandava o Estoril, em Portugal (Foto: Gualter Fatia/Getty Images)

Brasileiro naturalizado espanhol, Fabiano Soares foi anunciado nesta terça-feira (11) como novo técnico do Atlético-PR. Depois de Eduardo Baptista e Paulo Autuori serem demitidos após a última rodada do Campeonato Brasileiro, o Furacão apresentou o desconhecido técnico Fabiano que surpreendeu bastante pela falta de expressão no futebol brasileiro.

Fabiano Soares é naturalizado espanhol e jogou por muitos anos na Espanha, que por sinal também foi onde começou a ser técnico. O último clube comandado por Fabiano foi o Estoril, de Portugal, aonde o treinador começou como auxiliar até se tornar técnico, em 2015/16.

O novo treinador do Atlético tem grande destaque por ter licenciatura da Uefa e da RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol) nos níveis 1 “B”, 2 “A” e 3 "PRO”. Inclusive, Fabiano Soares foi colega de Pep Guardiola, um dos principais técnicos do mundo e referência como treinador.

Em entrevista para a Folha de São Paulo, o novo técnico do Furacão chegou disparando sobre a falta de cursos de reciclagem para treinadores no Brasil, sendo este um dos motivos para os clubes europeus não apostarem em técnicos brasileiros.

“O pessoal em Portugal reclama de que no Brasil há treinadores bons, mas não há cursos de reciclagem. Eles têm medo de apostar nesses treinadores porque a maneira de treinar no Brasil é diferente da que temos aqui, e pode ser complicado”, disse Fabiano.

Porém, apesar das críticas, o treinador não culpa os técnicos brasileiros pela falta de oportunidade, mas sim a direção da CBF que não leva gente especializada para melhorar o nível dos técnicos no país.

“Os treinadores brasileiros estão perdendo oportunidades por falta de reciclagem, mas não por culpa deles. Por culpa da direção da CBF, que não faz um convênio com a Fifa, com a Uefa, para levar gente especializada para cursos e melhorar o nível dos nossos treinadores”, comentou.

Fabiano também criticou o futebol brasileiro por parar no tempo e, muito disto, se deve aos dirigentes que comandam os clubes sem nenhum preparo ou estudo adequado para os devidos cargos.

“No Brasil há mais dirigentes torcedores do que dirigentes com novas ideias. Paramos no tempo. Está igual há 20 anos. Não se faz uma reciclagem de direção para entrar gente nova e competente no Brasil, para ter cursos de treinadores e de reciclagem para que os treinadores não parem no tempo. Muito disto é culpa da CBF”, disparou Fabiano.

Para concluir a sua entrevista, o novo técnico do Atlético ainda garantiu que na Europa se fala muito sobre a falta de recursos no Brasil. Além do mais, o técnico também destacou que na Europa a cada três anos é preciso fazer cursos ou não se treina mais.

“Aqui em Portugal, ou na Espanha, quando vou fazer cursos, sempre se fala que no Brasil não tem cursos, estrutura, que os dirigentes que estão lá não dão importância. O futebol mudou muito e é preciso essa reciclagem. Aqui na Europa, a cada três anos precisamos fazer cursos de reciclagem senão não podemos treinar mais. E no Brasil nem cursos tem”, disse o técnico.

O trabalho de Fabiano Soares no Atlético Paranaense será o primeiro como técnico no Brasil. Até chegar ao Atlético, o treinador já tinha passado por clubes espanhóis como Compostela, Bragantiños e Estradense, para depois chegar no Estoril, seu último clube antes do Furacão.

Fabiano Soares assume o comando do Atlético-PR com o clube estando na 14ª colocação do Campeonato Brasileiro Série A 2017. Até agora são 12 rodadas disputadas e apenas quatro vitórias, somando 15 pontos conquistados.

A primeira partida de Fabiano como técnico do Atlético será nesta quarta-feira (12), às 21h45, aonde o Furacão recebe em casa o Cruzeiro, na Arena da Baixada, em Curitiba.


Share on Facebook