Presidente do Atlético-PR critica convocação de assembleia: "Estão tentando antecipar eleições"

Assembleia geral de sócios foi amplamente criticada em coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (29)

Presidente do Atlético-PR critica convocação de assembleia: "Estão tentando antecipar eleições"
Emed defendeu decisões tomadas pela diretoria (Foto: Miguel Locatelli / Site Oficial Atlético-PR)

Em meio a inúmeras polêmicas que vem rodando o lado político do Atlético-PR, Luiz Sallim Emed, presidente do Atlético-PR convocou, através de seu site oficial, coletiva para essa quarta-feira (29), onde falou de vários assuntos, junto com o presidente do conselho deliberativo, Mario Celso Petraglia e o diretor-jurídico Rodrigo Monteiro.

O principal assunto tratado foi a assembleia geral de sócios, que havia sido convocada pela chapa que perdeu a última eleição. Segundo essa chapa, a assembleia seria importante para discutir algumas decisões que a atual diretoria do Furacão vem tomando, como por exemplo, ceder a Arena da Baixada para o jogo entre Paraná e Internacional. O pedido foi indeferido por Petraglia.

"Me incomoda muito o momento que estamos vivendo, com diversas críticas sobre o nosso plano de sócio. Para nos tornarmos o maior clube do mundo, precisamos quebrar paradigmas e, que, para isso, é preciso tomar atitudes antipáticas", afirmou o ex-presidente.

"Meu entendimento é que estão tentando antecipar as eleições de 2019. O nosso interesse é aquilo que entendemos que seja o melhor para o Atlético-PR. Se fosse uma decisão oportunista, vaidosa, poderíamos estar aqui reduzindo preços. O interesse coletivo tem que ser maior do que o individual e as pessoas confundem esse interesse individual", disse Emed.

Dentro das quatro linhas, o torcedor tem questionado os resultados e a gestão do futebol. Tudo porque o time foi eliminado na Libertadores, Copa do Brasil e fez uma má campanha dentro de casa no Campeonato Brasileiro. Petraglia reconheceu o ano ruim e espera que 2018 seja melhor.

"Esse ano, diferente dos outros, foi o ano em que mais investimos em futebol porque está sobrando um pouco mais caixa para que a gente possa investir em 2018, e assim para outro, 2019 ainda melhor. Realmente se for fazer uma avaliação do nosso futebol não foi legal, não foi bom, esperávamos muito mais, e a torcida também", afirmou.