Copinha VAVEL: as grandes revelações do Atlético-PR na história da Copa São Paulo

VAVEL Brasil listou os principais jogadores que fizeram parte da história do Furacão na Copinha

Copinha VAVEL: as grandes revelações do Atlético-PR na história da Copa São Paulo
Campeão do mundo, Kléberson foi o principal destaque em 2000 (Foto: Bob Thomas / Getty Images)

Apesar de nunca ter conquistado nenhum título de Copa São Paulo de Futebol Júnior, o Atlético-PR sempre foi marcado por revelar excelentes jogadores para o futebol brasileiro, muitos dos quais serviram ao time profissional do Furacão. Neste especial, a VAVEL Brasil lista quais foram os principais atletas que se destacaram pela equipe paranaense na competição de base mais importante do país.

Kléberson: o campeão do mundo

Kléberson (E), levantando a taça da Copa do Mundo em 2002 (Foto: Bob Thomas / Getty Images)
Kléberson (E), levantando a taça da Copa do Mundo em 2002 (Foto: Bob Thomas / Getty Images)

Em 2000, o Atlético-PR conseguiu passar pela primeira fase da Copa São Paulo sem sustos. Um dos motivos para isso era ter um então atacante, que no futuro, iria virar um grande meio campista. Se trata de Kléberson, que na época, com 20 anos, fez um jogo espetacular contra o Fluminense, marcando dois gols, um deles, do meio do campo, encobrindo o goleiro e decretando a vitória do Furacão.

Já em 2001, no profissional do Atlético-PR, o volante conseguiu se destacar na campanha que levou o time ao título brasileiro, sendo premiado também com a Bola de Prata, eleito pela revista placar. As boas atuações o fizeram ser convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira, que estava em preparação para a Copa do Mundo em 2002.

Chegando na Copa do Mundo, Kléberson não conseguiu ser titular nos primeiros jogos, mas com o tempo, Felipão, na época técnico da Seleção Canarinho, viu sua utilidade e passou a escalar o volante como titular, tornando ele um dos principais jogadores do elenco que conquistou o Mundial em terras asiáticas. É importante salientar a grande atuação de Kléberson na final, contra a imponente Alemanha.

Patrick: expectativa frustrada

Artilheiro em 2009, Patrick não conseguiu vingar (Foto: Eduardo Castellari / XV de Piracicaba)
Artilheiro em 2009, Patrick não conseguiu vingar (Foto: Eduardo Castellari / XV de Piracicaba)

O time vice-campeão da Copa São Paulo em 2009, encantou a todos e deu esperança ao torcedor do Furacão de que os atletas que atuaram pela competição pudessem dar grandes alegrias quando fossem para o profissional, mas não foi o que aconteceu com a absoluta maioria deles. Entre eles, está Patrick, que foi o artilheiro do time no torneio, mas que, mesmo atuando em muitos jogos, só conseguiu marcar três gols com a camisa do Atlético-PR.

Em busca de novos ares, ele acabou desembarcando em Portugal, onde também pouco fez pelo Portimonense. Hoje no Vila Nova, o atacante já passou por Bragantino, América-RN, Corinthians-AL, Paulista, Metropolitano, Londrina, XV de Piracicaba e Remo.

Matheus Rossetto: o futuro

Rossetto não se intimidou em disputar a Libertadores (Foto: Gabriel Rossi / LatinContent / Getty Images)
Rossetto não se intimidou em disputar a Libertadores (Foto: Gabriel Rossi / LatinContent / Getty Images)

Com apenas 18 anos, o volante Matheus Rossetto já era um dos principais destaques do time que disputou a Copa São Paulo em 2012, sendo eliminado pelo São Paulo, na segunda fase da competição, após ter feito uma primeira fase excelente. Durante a competição, mesmo sem marcar gols, o jogador impressionou por sua boa qualidade de passe, além da tranquilidade mesmo em jogos mais difíceis.

Subindo para o profissional com grande expectativa, o jogador não conseguiu espaço, sendo emprestado, inclusive, em 2016, para a Ferroviária-SP. Após o fim do Campeonato Paulista, ele retornou ao Furacão e amargou novamente o banco de reservas. Com a chegada de Paulo Autuori, ele ganhou novas chances e rapidamente garantiu sua titularidade. Em 2017, ele cresceu ainda mais e foi pretendido por clubes europeus, como a Inter de Milão.