Leandro Oliveira marca no início do segundo tempo e Bragantino vence Avaí pelo placar mínimo

Time da casa venceu com gol no início do segundo tempo e precisa de um empate em Florianópolis para seguir na Copa do Brasil

Leandro Oliveira marca no início do segundo tempo e Bragantino vence Avaí pelo placar mínimo
Braga jogará pelo empate na Ressacada (Foto: Rafael Moreira/CA Bragantino)
Bragantino
1 0
Avaí
Bragantino: Felipe; Alemão, Douglas Silva, Éder Lima, Bruno Pacheco; Sitta, Serginho, Erick (Júnior Timbó, min. 35/2ºt), Leandro Oliveira (Jobinho, min. 15/2ºt); Élder Santana (Renato Sorriso, min. 26/2ºt), Zambi. Técnico: Léo Condé
Avaí: Renan; Renato, André Santos, Gabriel, Vitor Costa; Braga, Renanzinho (Lucas de Sá, min. 23/2ºt), Tauã; Lucas Fernandes, Iury (Rômulo, min. 13/2ºt), William (Diego Jardel, min, 28/2ºt). Técnico: Silas
Placar: 1-0, min. 2/2ºt, Leandro Oliveira
ÁRBITRO: Rodolpho Toski Marques, auxiliado por Ivan Carlos Bohn e Diego Grubba Schitkovski, todos do PR. Amarelos: Élder Santana, Felipe, Erick, Douglas Silva, Zambi (BRA); Vitor Costa, Renanzinho, André Santos (AVA)
INCIDENCIAS: Jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil 2016, no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, SP. Público: 4.517 torcedores; Renda: R$ 23.355,00

Jogando diante de seu torcedor, o Bragantino manteve o bom retrospecto em casa e bateu o Avaí por 1 a 0 na partida de ida da segunda fase da Copa do Brasil. O gol foi marcado por Leandro Oliveira, logo no início da segunda etapa.

A partida de volta, na Ressacada, acontece na próxima terça-feira (10), na Ressacada, às 21h30. Para reverter o resultado da ida, o Avaí precisa de uma vitória por dois gols de diferença. O Bragantino joga pelo empate ou por uma derrota por um gol de diferença, desde que marque pelo menos um gol. O 1 a 0 para o Leão da Ilha leva a decisão para os pênaltis.

Goleiro Renan salva o Avaí e garante igualdade

O Bragantino dominou grande parte do primeiro tempo. Com muita posse de bola - 61% no total - e domínio territorial, os paulistas ocupavam o campo de ataque e dificultavam a troca de passes e a saída de bola do Avaí. A primeira chance surgiu aos 5, quando Edson Sitta recebeu cruzamento da direita e, travado, finalizou de bico, mas mandou à direita do gol.

A partir daí, o Avaí foi salvo pelo seu goleiro. Aos 21, aepois de uma longa sequência de passes no ataque, Zambi recebeu de Leandro Oliveira e bateu forte, mas Renan fez grande defesa para evitar o primeiro do jogo. Quatro minutos depois, após bola alçada na área e corte da defesa do Avaí, Alemão bateu colocado de pé esquerdo e obrigou outra grande defesa de Renan. Aos 31, em cobrança de falta frontal, Alemão mandou no ângulo, mas Renan se esticou e fez nova intervenção para evitar o gol dos mandantes.

Nos minutos finais do primeiro tempo, o Avaí conseguiu achar uma saída, principalmente com a velocidade de Tauã, mas o time catarinense não conseguiu finalizar as jogadas - teve apenas uma finalização, contra 10 do Bragantino. No fim, o time catarinense saiu no lucro com um empate sem gols para o intervalo.

Massa Bruta consegue gol rápido e administra vantagem

O gol que o Bragantino tanto lutou no primeiro tempo, saiu logo no começo do segundo. Em contra-ataque puxado por Zambi com menos de dois minutos, Leandro Oliveira deu belo drible na entrada da área, bateu de pé esquerdo e a bola ainda explodiu na trave antes de morrer nas redes de Renan.

A partir daí, o Avaí passou a ter mais posse de bola - terminou com 43% na soma dos dois tempos -, mas teve muita dificuldade para finalizar. No número de chances, o Bragantino foi muito superior: 14 a cinco, e o time catarinense só teve três chutes certos, mas nada muito perigoso. Já na velocidade, o Braga assustava. Em contra-atauqe puxado pela direita, Alemão tocou para Zambi, que deixou Élder Santana livre de frente para o gol, mas mandou por cima de forma inacreditável.

O técnico Silas, do Avaí, fez alterações tentando ocupar mais o meio campo do time e aumentar o poder de criação, mas o máximo que conseguiu foi melhorar a bola parada com a entrada de Lucas de Sá. Foi com ele a única vez que o Leão fez o goleiro rival trabalhar com certa dificuldade. Já aosm 45, Lucas de Sá bateu falta fechada pela esquerda e Felipe caiu no canto para espalmar. No fim, o Bragantino conseguiu limitar o trabalho dos catarinenses e garantiu vantagem mínima para o jogo em Floripa.