Silas comemora vitória e aumento da confiança do elenco do Avaí: "Estão crescendo"

Para o treinador, ponto negativo do triunfo por 2 a 0 sobre o Sampaio Corrêa foi a lesão de joelho de Vinícius Pacheco, que pode ficar um longo tempo fora

Silas comemora vitória e aumento da confiança do elenco do Avaí: "Estão crescendo"
Técnico acredita que vitória dará 'gás para o trabalho' (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC)

Diante de seu torcedor, o Avaí venceu por 2 a 0 Sampaio Corrêa na segunda rodada da Série B. Com gols de William e Tatá, o Leão conseguiu o resultado que o técnico Silas desejava para dar tranquilidade e confiança para a sequência do trabalho.

"Temos que parabenizar o Sampaio também. Falei que era um momento difícil de pontuação, não de jogo. Eles tiveram duas chances de empatar. Nós estreamos três atletas: o João Paulo, o Lucas Coelho, reestreamos o Rafinha, além do Romarinho aqui em casa, ele jogou contra o Bahia. A gente vai pagar um preço por essa falta de entrosamento, mas a vitória dá gás e confiança para o trabalho. O Tauã fez uma partida excepcional, mas tem uma resistência por parte de alguns, mas ele foi lá e deu o passe para o William. A gente vai construindo o trabalho. A vitória dá uma posição na tabela que queremos ficar até a engrenagem funcionar de vez", afirmou.

Apesar da felicidade da vitória, Silas lamentou a lesão no joelho do meia Vinícius Pacheco, que foi substituído no fim do primeiro tempo. " O que é a lesão eu não posso precisar, talvez depois os médicos falam melhor, eu não sei dizer clinicamente. O que sei é parece que a gente perdeu o Pacheco por um tempo. Ele tinha encaixado no time perfeitamente, ele tá feliz. Vamos pedir para Deus que nessa noite possa acontecer um milagre e não ser tão grave como pensamos que é", disse.

Sobre o atacante Tatá, contestado pela torcida por um gol perdido durante o jogo, mas que marcou um golaço nos acréscimos que sacramentou a vitória avaiana, Silas destacou a qualidade do atleta a necessidade de adaptação.

"É a qualidade do jogador. Quando iniciamos um trabalho ou quando se perde um jogador, aparece o craque. O Tatá jogou no México, foi ídolo lá, não é um jogador qualquer que trouxemos, a gente já sabia. Estamos fazendo um trabalho de fortalecimento com ele, era para ser titular, mas o Tauã está voando. De repente, com essa situação do Pacheco, jogamos com os dois", explicou.

Na próxima terça-feira (24), o Avaí joga fora de casa contra o Luverdense, às 21h30. Silas ressaltou a qualidade do próximo rival, que não perdeu nas rodadas iniciais da competição. "É um time forte. O Paulo, o meu irmão, ficou lá depois do nosso jogo contra o Bahia. Ele foi para Bragança assistir ao jogo do Bragantino contra o Luverdense, que ganhou por 1 a 0. Um time forte, um time que aposta na velocidade, se fortalece. É um jogo difícil", analisou.