Silas lamenta erros defensivos contra Náutico e projeta nova sequência positiva

Leão da Ilha foi presa fácil para o Timbu na Arena Pernambuco, e perdeu a primeira após seis jogos invicto

Silas lamenta erros defensivos contra Náutico e projeta nova sequência positiva
Foto: Léo Lemos/Comunicação Náutico

Após seis jogos de invencibilidade e distância da zona do rebaixamento, o Avaí perdeu, nesta sexta-feira (22), para o Náutico, em partida válida pela 17° rodada do Campeonato Brasileiro Série B, por 3 a 1. Na Arena Pernambuco, o Leão começou perdendo logo no primeiro minuto de jogo, quando um gol relâmpago havia alertado Silas da noite ruim. 

Com o resultado, o sinal de cuidado para a zona do rebaixamento se reacendeu. Agora, o Avaí tem 20 pontos e está a três do primeiro time na zona de rebaixamento, Bragantino, que tem 17. Na próxima rodada, o Leão da Ilha recebe o Londrina, na terça-feira (26), às 21h30, buscando nova sequência de pontos. 

LEIA MAIS: Náutico bate Avaí com tranquilidade e volta a vencer após três rodadas na Série B

Com a derrota decretada, Silas compareceu à sala de imprensa para conceder entrevista coletiva aos jornalista. O técnico celeste falou sobre a má partida de seu time, analisou o jogo e decretou ações para as próximas rodadas, nas quais serão de grande importância para o time catarinense, a fim de fugir do Z-4. 

Sobre o gol relâmpago que deixou o Náutico na frente do placar, ele disse: "Primeiramente eu acho que o gol saiu muito cedo. Talvez isso tenha acontecido por conta do excesso de confiança que entramos em campo. O gramado era bom, o estádio estava vazio, e se não ganhássemos hoje, a coisa ia ficar complicada. Depois a expulsão, foi ai que complicou a nossa questão", afirmou.

Timbu acabou com sequência de seis jogos de invencibilidade dos catarinenses (Foto: Léo Lemos/Náutico)
Timbu acabou com sequência de seis jogos de invencibilidade dos catarinenses (Foto: Léo Lemos/Náutico)

Como visitante, o Avaí tem um dos piores desempenhos da competição. Portanto, Silas analisou o jogo e a dificuldade do time catarinense de somar pontos fora: "No momento do jogo que tivemos mais posse de bola, veio a expulsão e no terceiro gol acabou o jogo. Depois coloquei no 4-4-1 para não tomar goleada, isso não era interessante para nós. Infelizmente acontece, mas a gente tem que levantar a cabeça, porque o próximo jogo é na nossa casa. Perdi Romulo e Renato, mas voltam Tatá, Célio e talvez o André, que ganhou uns dias a mais para descansar porque sentiu uma fisgada na quarta à tarde", disse.

Por fim, o técnico explicou os motivos das substituições no intervalo, na qual não deram a resposta ideal, apesar do gol no fim. "Romarinho e Toshi para dar velocidade, por que não Lucas Coelho naquele momento?  Eu fui conversando com o Lucas, porque Jajá estava mal, não sei o que houve. Ele até queria voltar, mas eu disse que não. E ainda tinha o cartão, então para não mexer muito, eu recuei o (Diego) Jardel. O terceiro gol complicou tudo.", concluiu.