No retorno de Marquinhos, Avaí e Bahia esperam deixar para trás turno decepcionante

Após 10 meses se recuperando de cirurgia no joelho, ídolo avaiano estará no banco de reservas em partida que pode definir futuro das equipes na Série B

No retorno de Marquinhos, Avaí e Bahia esperam deixar para trás turno decepcionante
Tricolor venceu Leão na abertura do campeonato (Foto: Divulgação/EC Bahia)
Avaí
Bahia
Avaí: Renan; Alemão, Fábio Sanches, André Santos, Capa; Luan, Jajá, Renato, Diego Jardel; Rômulo, William. Técnico: Silas
Bahia: Muriel; Eduardo, Tiago, Jackson, Moisés; Luiz Antônio, Juninho, Renato Cajá; Edigar Junio, Allano, Hernane. Técnico: Guto Ferreira
ÁRBITRO: Francisco de Paula dos Santos Silva Neto, auxilaido por Jose Eduardo Calza e Alexandre A Pruinelli Kleiniche, todos do RS
INCIDENCIAS: 20ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC; a partida começa às 19h30

Próximos na tabela, mas longe da parte de cima da tabela Avaí Bahia abrem o segundo turno da Série B tentando embalar para sonhar com o acesso. O Leão terá o retorno do capitão Marquinhos, que começará no banco, enquanto o Tricolor tem possibilidade de estreia do atacante Victor Rangel, que conhece bem o adversário deste sábado (20).

No primeiro turno, o Bahia venceu na Fonte Nova por 2 a 1, com dois gols de Zé Roberto e com Vinícius Pacheco descontando para os catarinenses. Na história, a vantagem também é dos baianos, com 10 vitórias em 18 jogos. O Avaí venceu quatro vezes e houveram ainda quatro empates.

Aliviado com retorno de Marquinhos, Avaí quer manter boa campanha em casa

Antes da parada para os Jogos Olímpicos, o Avaí mais uma vez perdeu fora de casa. A pesada derrota por 3 a 0 para o Brasil de Pelotas deixou o Leão apenas no 15º lugar, com 23 pontos, três acima do Z-4 e 10 atrás do G-4. Ao menos, a campanha em casa alimenta esperanças para a partida de abertura do segundo turno. Em nove jogos, foram seis vitórias, dois empates e apenas uma derrota - 1 a 0 para o Joinville.

O técnico Silas continua com problemas para escalar a equipe. Suspensos, o zagueiro Gabriel e o volante Judson estão fora. Além disso, o lateral João Paulo, os meio-campistas Renan e Lucas de Sá estão se recuperando de lesão. Dos contratados durante a Olimpíada, o zagueiro Betão está disponível, enquanto o volante Luiz Gustavo ainda não foi relacionado.

Mas a grande notícia para o clube é o retorno do ídolo Marquinhos, meia que fez uma cirurgia no joelho em novembro do ano passado e volta a ficar a disposição, começando no banco contra o Bahia. Segundo maior artilheiro da história da Ressacada, o capitão se emocionou e chorou ao falar do retorno aos gramados.

"É difícil. O momento está chegando, esse choro é mais de querer que esse jogo chegue logo. Poder estar em campo, rever meus amigos que torcem por mim, que já me disseram que virão ao jogo e a vontade de poder jogar, de fazer o melhor e dar alegria para essa nação que tanto me apoiou e que já me mandaram vários vídeos motivacionais. Como falei estou mais ansioso do que todo mundo", afirmou.

Capitão chorou em entrevista ao falar do retorno aos gramados (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC)
Capitão chorou em entrevista ao falar do retorno aos gramados (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC)

Com 'conta difícil' pelo acesso, Bahia quer reagir

Segundo maior investimento da Série B, o Bahia passa por momentos de muita pressão. Mesmo após a troca de Doriva por Guto Ferreira, o time não consegue embalar e fechou o primeiro turno na 10ª colocação, com 25 pontos, oito atrás do G-4. Na última terça-feira (16), cumpriu seu jogo da 19ª rodada e ficou no empate em casa em 1 a 1 com o Atlético-GO, 3º colocado.

Para a viagem à Florianópolis, o Bahia terá o retorno do zagueiro Jackson, que substitui o contundido Éder. O volante Feijão, suspenso, está fora, e será substituído por Juninho. Além disso, o atacante Victor Rangel, que chegou do América-MG pode estrear. O centro-avante foi artilheiro do Campeonato Catarinense 2015 pelo Guarani de Palhoça, com 11 gols, dois contra o Avaí.

O zagueiro Jackson admitiu a dificuldade que o Bahia terá para buscar o acesso e também ressaltou a força do adversário jogando em sua casa.

"É uma conta difícil. De 19 jogos, temos que ganhar entre 13 e 14. Ainda há esperança e, enquanto houver esperança, vamos brigar até o final. Esse é o nosso objetivo. Espero alcançar no fim do ano e comemorar. Tivemos algumas informações do Avaí. É um time diferente daquele primeiro jogo da estreia do Brasileiro. É um time que está bem encaixadinho, em jogando em casa é muito forte. Vamos para Florianópolis com o objetivo de fazer um bom jogo e buscar os três pontos", disse.

Jackson reforçou que Bahia vai batalhar pelo acesso apesar da situação complicada (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)
Jackson reforçou que Bahia vai batalhar pelo acesso apesar da situação complicada (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)