Avaí busca permanência no G-4 e acabar com esperanças de acesso do Vila Nova

Após vitória emblemática contra o rival Goiás, Tigrão quer buscar os três pontos diante do Leão em casa; catarinenses buscam se firmar no G-4

Avaí busca permanência no G-4 e acabar com esperanças de acesso do Vila Nova
Leão venceu no primeiro turno em Floripa (Foto: Divulgação/Avaí FC)
Vila Nova
Avaí
Vila Nova: Saulo; Guilherme Teixeira, Gustavo Geladeira, Reginaldo e Maguinho; Fagner, Geovane, Victor Bolt e Wellington Simião, Joãozinho e Moisés. Técnico: Guilherme Alves
Avaí: Renan; Luiz Gustavo, Fábio Sanches, Betão e Capa; Luan, Judson, Renato e Diego Jardel; Rômulo e William. Técnico: Claudinei Oliveira
ÁRBITRO: Rodrigo Nunes de Sá (RJ) apita a partida, auxiliado por Gabriel Conti Viana (RJ) e Wendel de Paiva Gouveia (RJ)
INCIDENCIAS: 32ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2016, no estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO); a partida começa às 19h15 (horário de Brasília)

Buscando embalar no campeonato, o Vila Nova recebe o Avaí no estádio Serra Dourada, nessa terça-feira (18), ás 19h15. Depois de uma vitória no clássico contra o Goiás, a equipe de Guilherme Alves vai bastante empolgada para a partida contra os catarinenses, pois as chances do clube colorado de ainda brigar pelo acesso aumentaram. Com um jogo a menos e com chances do clube conseguir uma sequência de vitórias, o objetivo de buscar uma vaga na Série A ainda não foi descartado pelos jogadores.

Do outro lado, o Avaí vem com o objetivo de vencer a partida e se firmar no G-4 da Série B por mais uma rodada. A equipe de Claudinei Oliveira também vem de vitória jogando em casa, diante do Tupi por 1 a 0 e espera repetir a atuação do primeiro turno contra o Vila Nova, quando o Leão derrotou os colorados por 3 a 1 jogando na Ressacada.

Empolgado, Vila Nova espera casa cheia no Serra Dourada

A expectativa de público para o jogo desta terça-feira aumentou depois da vitória importante sobre o Goiás. Para se ter uma ideia, os colorados não venciam os esmeraldinos há mais de 4 anos, e em competições nacionais, o tabu durava 37 anos. Mesmo com vários desfalques, o time colorado surpreendeu e venceu por 2 a 1. Ainda saboreando o gostinho da vitória, Guilherme Alves destacou a garra do time e disse que foi o triunfo mais importante de sua carreira.

“Este jogo foi especial. Vocês sabem da minha relação com os atletas. É uma relação de pai para filho. Pai bate, mas não deixa ninguém bater. A semana foi difícil. Foi dito muito que o jogo já estava resolvido, só faltava definir o placar. Foi a maior vitória da carreira. Minha e do Rauli (auxiliar)”, disse o técnico em entrevista.

Guilherme Alves poderá contar com mais jogadores para a partida contra o Avaí, porém, deve manter alguns jogadores que atuaram no clássico de sábado, entre eles, o zagueiro Gustavo Geladeira e o atacante Joãozinho, que marcou um dos gols da vitória. Victor Bolt, Vinicius Simon, Fagner, Geovane e Wellington Simião, estão disponíveis novamente após cumprirem suspensão.

Para se manter no G-4, Avaí busca vitória em Goiânia

A última partida do Avaí em Goiânia não foi das melhores apresentações. A equipe de Claudinei Oliveira foi derrotada por 3 a 0 contra o Atlético Goianiense, no estádio Olímpico, quebrando a sequência de vitórias que o time tinha aplicado no início do segundo turno. Jogando em um estádio diferente dessa vez, o Leão terá que buscar surpreender e parar o bom momento do Vila Nova.

Para o confronto, Claudinei terá quatro desfalques. O meia Marquinhos foi suspenso e não poderá ir para o jogo. Além dele, o zagueiro Alemão e o atacante Vitor terão que passar por exames e terão que ser substituídos por Luiz Gustavo e William, este que não balanças as redes desde a quarta rodada. João Filipe será poupado e é outro que não irá para a partida. Judson herdará sua vaga.

“Eu não tenho muito o hábito de ficar falando de ausência dos atletas, prefiro dar moral a quem está entrando. Esperamos que os jogadores entrem e façam uma grande partida, os desfalques são inevitáveis, então não adianta ficar lamentando. A estrutura tática não muda, os atletas estão acostumados a jogar e vão fazer bem isso”, disse Claudinei.