Oeste e Avaí não saem do zero e empatam pela sexta vez em seis encontros na história

Time paulista teve posse de bola e domínio durante grande parte do jogo, Leão perdeu boas chances e equipes conquistaram ponto que não altera muito a situação na tabela

Oeste e Avaí não saem do zero e empatam pela sexta vez em seis encontros na história
Foto: Gabriela Montesano/Oeste Audax
Oeste
0 0
Avaí
Oeste: Felipe Alves; Felipe Rodrigues, Bruno Silva (Mike, intervalo), Betinho (Wellingon, min. 41/2ºt); Léo Artur, André Castro, Pedro Carmona, Rodolfo; Crysan, Marcus Vinícius (Wesley, min. 30/2ºt), Marquinho. Técnico: Fernando Diniz
Avaí: Renan; Alemão, Fábio Sanches, Betão, Capa; Luan, Judson, João Filipe (Vitor, min. 11/2ºt), Renato (João Paulo, min. 17/2ºt), Diego Jardel; Rômulo (Tatá, min. 33/2ºt). Técnico: Claudinei Oliveira
ÁRBITRO: Bruno Arleu de Araujo, auxiliado por Dibert Pedrosa Moisés e Thiago Henrique Neto Correa Farinha, todos do RJ. Amarelos: Felipe Rodrigues, Léo Artur, Pedro Carmona (OES)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 35ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, na Arena Barueri, SP. Público total: 1.116 pessoas

Não pode-se dizer que o empate entre Oeste e Avaí foi surpreendente. Apesar da distância na tabela, o retrospecto mostrava que a igualdade era o resultado mais provável, já que os cinco encontros anteriores, todos pela Série B, haviam terminado empatado. Dessa vez, na Arena Barueri, o jogo terminou 0 a 0.

Com 37 pontos, o Oeste, que chega a 16 empates na competição, vai terminar a rodada fora da zona de rebaixamento, mas pode ficar a apenas um ponto do Joinville. Já o Avaí sobe momentaneamente para a vice-liderança, com 59 pontos, mas pode cair até o 4º lugar dependendo dos resultados da rodada.

Na próxima rodada, os dois times entram em campo no domingo (12), às 17h30 (horário de Brasília). O Oeste visita o Brasil de Pelotas, enquanto o Avaí recebe o Náutico em confronto direto pelo acesso à Série A.

Oeste domina, mas cria poucas chances no primeiro tempo

A primeira etapa na Arena Barueri foi de domínio territorial e de muita posse de bola do Oeste, mas de poucas chances. Apesar dos 67% de tempo de posse, o Rubrão acertou apenas uma de suas 11 finalizações na direção da meta avaiana. Com uma postura defensiva, o Avaí apostou em contra-ataques e criou pouco, apesar de também ter sofrido poucos riscos. 

Aos 14, Betinho cruzou do lado esquerdo e Felipe Rodrigues apareceu nas costas da defesa, mas tocou de cabeça por cima do gol. A principal chance dos 45 iniciais foi do Leão, aos 16. Após cruzamento de Capa à meia altura, Rômulo desviou de peixinho, mas Felipe Alves fez grande defesa para salvar o Oeste.

Com uma posse de bola inócua por muito tempo, o Oeste continuou rondando a área do Avaí, mas com pouco poder de infiltração. Aos 32, Marquinho avançou pela esquerda, chegou à linha de fundo e cruzou para trás. A bola passou por todo mundo, Renato cortou mal e André Castro bateu da entrada da área, mas mandou por cima. Cinco minutos depois, em cobrança ensaiada de escanteio, Léo Artur recebeu na entrada da área e arriscou chute rasteiro, acertando a rede pelo lado de fora. Assim, a primeira etapa em São Paulo foi para o intervalo com poucas emoções e de nenhum gol.

Equipes perdem chances e encontro termina novamente empatado

O começo do segundo tempo parecia promissor para o Oeste, que conseguiu finalmente fazer o goleiro rival trabalhar. Aos 6, Marquinho recebeu pela esquerda na linha de fundo e cruzou para Mike, que bateu de primeira, mas em cima do goleiro Renan. Dois minutos depois, Léo Artur recebeu na entrada da área, bateu colocado e a bola desviou em Betão, mas o goleiro do Avaí, bem posicionado, segurou.

As alterações de Claudinei Oliveira, com as entradas de Vitor e João Paulo nos lugares de João Filipe e Renato, diminuiram a pressão sobre o time avaiano que, na bola aérea, levou perigo. Aos 20, João Paulo cruzou da esquerda e Rômulo apareceu na cara do goleiro, mas pegou fraco na finalização e a bola passou longe do gol. Dois minutos depois, na cobrança de escanteio de Pedro Carmona, Betinho subiu livre no meio da área e tocou de cabeça, com muito perigo à esquerda do gol.

Aos 26, em cobrança de falta lateral de João Paulo, Vitor apareceu livre na segunda trave, mas não finalizou como pretendia e mandou a grande chance do Avaí na rede pelo lado de fora. O jogo se arrastou com o mesmo panorama da maioria do jogo, com o Oeste rondando a área avaiana, mas sem grandes chances. O Rubrão terminou o jogo com com 66% de posse de bola, 25 a 8 em finalizações (6 a 3 em certas) e 690 a 188 em passes certos, mas poucas chances de gol, mesmo com a postura ofensiva de Fernando Diniz na escalação e alterações.

No fim, o Avaí ainda pareceu mais perto do gol. Aos 43, João Paulo bateu escanteio para a área, Alemão tocou na segunda trave para o meio e Vitor tentou alcançar, mas a zaga do Oeste afastou. Já nos acréscimos, em contra-ataque puxado pelo meio, que o time catarinense tanto procurou no jogo, Diego Jardel recebeu de Vitor, invadiu a área e tocou por cobertura, mas Felipe Alves fez defesa de cabeça. Assim, pela sexta vez em seis encontros, o jogo entre Oeste e Avaí terminou empatado.