Volante do Avaí, Renanzinho morre aos 20 anos em decorrência de tumor no cérebro

Afastado dos gramados desde 2016 por conta do tratamento, jogador foi destaque no Brasileiro 2015 e atuou em 32 partidas com a camisa do Leão, marcando um gol

Volante do Avaí, Renanzinho morre aos 20 anos em decorrência de tumor no cérebro
Renan teve tumor descoberto há dois anos (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Avaí informou nesta quinta-feira (21), o falecimento do volante Renan, 20 anos, em decorrência de complicações no tratamento de um tumor no cérebro. O jogador lutava contra a doença há dois anos e acabou não resistindo ao tratamento.

Natural de Rondônia, Renan foi descoberto por conta de uma parceria do Avaí no estado do Norte e estreou no Campeonato Catarinense 2015. Após a chegada do técnico Gilson Kleina assumiu a titularidade da equipe aos 17 anos. No Brasileirão daquele ano, Renan chegou a ser suspenso por 45 dias em decorrência de doping, mas o clube conseguiu reverter a situação.

Após o fim da temporada daquele ano, o volante foi afastado dos gramados. O Avaí não informou inicialmente o exato motivo, que foi divulgado algum tempo depois: um tumor no cérebro. Renan voltou a atuar em duas partidas da Copa do Brasil em 2016 contra o Bragantino, mas teve que deixar novamente os gramados para o tratamento da doença.

O Avaí sempre tratou o assunto com muita cautela e divulgou poucas atualizações sobre o estado de Renan durante os últimos meses, até a informação de seu falecimento ser confirmada. O irmão de Renan, Luanzinho, 17 anos, também é atleta do clube e participou de 19 partidas do Brasileiro 2017, e é também convocado para as seleções de base do Brasil.