Avaí empata com Figueirense após ficar três vezes atrás do marcador

Figueira ficou à frente do marcador três vezes, mas cedeu empate no clássico de Floripa contra o Leão já nos minutos finais

Avaí empata com Figueirense após ficar três vezes atrás do marcador
Foto: Frederico Tadeu / Avaí FC
Avaí
3 3
Figueirense
Avaí: Mauricio Kozlinski; Tiago Cometá, Fagner Alemão, Betão e João Paulo; Judson, André Moritz e Marquinhos; Maurinho (Getúlio), Rafinha (Lourenço) e Romulo (Martinuccio). Técnico: Claudinei Oliveira.
Figueirense: Denis; Samuel Santos, Nogueira, Henrique Trevisan e Guilherme Lazaroni (João Lucas); Zé Antônio, Betinho, Felipe Amorim e João Paulo (Pereira); Maikon Leite (Gustavo Fernandes) e André Luis. Técnico: Milton Cruz.
Placar: 0-1, min. 10, João Paulo; 1-1, min. 45, Maurinho; 1-2, min. 76, Gustavo Ferrareis; 2-2, min. 79, Fagner Alemão; 2-3, min. 84, Nogueira; 3-3, min. 90, Marquinhos;
ÁRBITRO: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por Alex dos Santos e Johnny Barros de Araújo.

Avaí e Figueirense entraram em campo na tarde deste domingo (28), no estádio da Ressacada, visando o topo da tabela. Enquanto o time da casa buscava entrar na zona de classificação do Campeonato Catarinense. Os visitantes tinham em jogo a liderança da competição. Em um jogo preso no meio de campo, o Figueira esteve à frente do placar três vezes, mas acabou cedendo o empate para o Leão. João Paulo, Gustavo Ferrareis e Nogueira marcaram para o alvinegro. Maurinho, Fagner Alemão e Marquinhos deixaram tudo igual para a equipe avaiana.

Com o empate o Avaí subiu para a 3ª colocação, agora com sete pontos. Já o Figueirense perdeu a liderança para a Chapecoense, que também venceu na rodada. O Figueira está na segunda colocação com os mesmos 10 pontos da Chape, mas fica atrás por causa do saldo de gols. O próximo compromisso do Avaí pelo campeonato estadual é na quarta-feira (31), quando recebe o Concórdia às 20h30. O Figueira volta campo somente dia 7 de fevereiro pelo estadual, para encarar o Inter de Lages, fora de casa.

Avaí busca empate no final do primeiro tempo

O primeiro chute a gol da partida foi do Avaí, aos cinco minutos. Rômulo conseguiu girar em cima do marcador e finalizou, mas Dênis estava atento e fez a defesa. O jogo era muito disputado no meio de campo, com o time da casa levando uma superioridade. O Figueirense encontrava algumas dificuldades em avançar para o campo de ataque.

Porém, quando chegou conseguiu abrir o placar. Betão errou na saída de bola sobrou com João Paulo, que buscou Felipe Amorim, mas Judson acabou acertando o meia ao tentar cortar. O árbitro marcou pênalti. João Paulo foi para a cobrança e converteu. Mauricio Kozlinski acertou o canto, mas não alcançou a bola.

Clássico é clássico. Aos 15 minutos Felipe Amorim acabou atingindo André Moritz e se formou uma pequena confusão no gramado. Dois minutos depois o árbitro da partida deu cartão amarelo para Zé Antônio. O Avaí era melhor até sofrer o gol. Depois disso a equipe ficou nervosa e quem ditava o ritmo da partida era o Figueira. Mesmo assim o jogo continuava preso no meio de campo.

O Avaí voltou a levar perigo somente aos 30 minutos. João Paulo mandou a bola na cabeça de Rômulo. O atacante estava de costas para o lance e mesmo assim conseguiu cabecear com perigo. A bola passou junto a trave de Dênis. Lazaroni chutou de muito longe e o goleiro Kozlinski precisou defender em dois tempos aos 37 minutos. A resposta do Avaí veio no lance seguinte, aos 38. Em uma jogada muito parecida, Marquinhos chutou de longe e Dênis também precisou defender em dois tempos.

O empate do Avaí saiu nos 45 minutos do primeiro tempo. Rômulo dividiu com a defesa dentro da grande área e pediu pênalti, o árbitro nada marcou. Na sequência a bola sobrou com Maurinho, que tocou na saída de Dênis para deixar tudo igual.

Figueirense passa à frente, mas cede empate duas vezes

As duas equipes voltaram para o segundo tempo decididas a vencer, mas chegavam ao ataque com muita cautela. A primeira chance foi do Leão, aos cinco minutos. Após Dênis dar rebote no chute de Judson, a bola chegou em André Moritz, que bateu com força, mas mandou por cima. A chance do Figueirense foi aos 15, com João Paulo. O meia arriscou com a perna esquerda e mandou para fora.

No mesmo estilo do primeiro tempo. Poucas chances e jogo preso no meio de campo. A partida só foi ficar animada após os 31 minutos. Betão voltou a falhar na defesa. Desta vez o zagueiro recuou mal para o goleiro e Gustavo Ferrareis ganhou na velocidade e tocou na saída do arqueiro para virar o jogo. Sem muito tempo para se recuperar, o Avaí foi para o ataque e três minutos mais tarde voltou a empatar. Marquinhos cobrou escanteio pelo lado direito e Fagner Alemão mandou de cabeça para o fundo das redes.

O Figueirense voltou à frente do placar aos 39 minutos, também na bola parada. João Paulo cobrou falta para a área e a defesa Avaí bateu roupa. Nogueira apenas empurrou para o fundo das redes e saiu para comemorar. Quando tudo se encaminhava para uma vitória do Figueira, a bola foi lançada para Getúlio, que invadiu a área e foi derrubado por Dênis. O árbitro marcou a penalidade. A cobrança ficou por conta de Marquinhos, que bateu categoria e conseguiu deslocar o goleiro para deixar tudo igual na Ressacada.