Bahia derrota CRB com apoio da torcida e assume vice-liderança provisória

Esquadrão joga melhor durante toda a partida, supera regatianos por 3 a 0 no Pituaçu e mantém invencibilidade em casa

Bahia derrota CRB com apoio da torcida e assume vice-liderança provisória
Feijão abriu o caminho para a vitória tricolor (Foto: Divulgação/EC Bahia)
Bahia
3 0
CRB
Bahia: Marcelo Lomba; Tinga, Jackson, Lucas Fonseca e João Paulo; Feijão, Danilo Pires (Régis, intervalo), Juninho e Renato Cajá; Hernane e Luisinho (Edigar Junio, intervalo [Moisés, min. 61]). Técnico: Doriva
CRB: Juliano; Marcos, Adalberto, Flávio Boaventura e Diego; Olívio, Matheus, Elton Lira e Gérson Magrão (Somália, min. 7 [Luidy, min. 62]); Rodolfo (Dakson, min. 73) e Neto Baiano. Técnico: Mazola
Placar: 1-0, min 52, Feijão. 2-0, min. 82, Hernane. 3-0, min. 87, Régis
ÁRBITRO: Sebastião Rufino Filho (PE). Cartões amarelos: Juliano (min. 30), Somália (min. 43), Elton Lira (min. 57), Juninho (min. 80), Renato Cajá (min. 81) e Dakson (min. 83). Vermelhos: Elton Lira (min. 78) e Neto Baiano (min. 90)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 8ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada no estádio de Pituaçu, em Salvador, na Bahia. Público: 11.947 presentes. Renda: R$ 173.174,00

Em jogo direto por uma vaga no G-4, Bahia CRB se enfrentaram na noite desta sexta-feira (10), no estádio de Pituaçu, pela abertura da 8ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. Contando com o apoio da torcida, o Esquadrão de Aço venceu os regatianos por 3 a 0, com gols de Feijão, Hernane e Régis.

Com o resultado de vitória, os tricolores sobem provisoriamente para a vice-liderança, com 17 pontos ganhos. Já os alvirrubros permanecem por enquanto na 7ª colocação, somando 12 pontos.

Os times voltam a campo, pela 9ª rodada da Segundona, na próxima terça-feira (14). Os baianos vão até o interior catarinense para duelar diante do Criciúma em confronto pelo grupo classificatório à elite, às 19h15, no Heriberto Hülse, já os alagoanos irão receber o Bragantino, às 21h30, dentro do Rei Pelé, em Maceió.

Bahia pressiona e CRB segura os ímpetos ofensivos

O jogo começou bastante agitada e, fazendo valer o mando de campo, o Bahia foi quem levou perigo primeiro, antes mesmo dos primeiros cinco minutos. Juninho levantou bola em cobrança de falta no meio da pequena área e Danilo Pires surgiu livre para desviar em direção ao gol, porém mandou muito próximo à trave.

Apesar de mais acanhado, o CRB foi forçado a fazer uma mudança no meio-campo por conta de lesão, perdendo força no setor de armação. O meia Gérson Magrão, que saiu se queixando de dores na coxa, foi substituído por Somália, dando prioridade à marcação e a saída nos contra-ataques em velocidade.

Mesmo com a mudança inesperada pelo lado regatiano, o Esquadrão seguiu na pressão e teve nova boa chance de abrir o placar diante da torcida através da força ofensiva de Danilo Pires. O meio-campista ficou livre na intermediária e arrematou com força, mas Juliano fez boa intervenção.

Mantendo a pressão para sair em vantagem dentro de seus domínios e apostando nos chutes à longa distância, os tricolores demonstraram que poderiam assustar dessa maneira. Depois de uma desatenção de Matheus Galdezani, Juninho também arriscou de fora da área, sendo bloqueado pelo camisa 1 regatiano.

Vivendo uma noite inspirada no estádio de Pituaçu, o goleiro do Galo da Pajuçara saiu bem de sua meta para impedir uma nova investida do time anfitrião. João Paulo, que fez boa jogada pelo lado esquerdo, cruzou na medida para Danilo Pires cabecear com estilo. O arqueiro dos alagoanos, entretanto, se esticou todo e afastou com a ponta dos dedos, segurando o empate sem gols no intervalo.

Bahia consegue furar defesa rival e vence

Para a etapa final, Doriva resolveu deixar o Bahia mais ofensivo, com duas mexidas no setor. Luisinho, que pouco criou, e Danilo Pires, um dos que mais se fez presente, deram espaço a Edigar Junio Régis, respectivamente. Mesmo com as alterações, o time da Boa Terra não conseguiu passar pelo bloqueio do da Terra dos Marechais, além da insistência.

Fazendo valer o ditado popular "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura", o Esquadrão de Aço mostrou a força de sua fiel torcida e abriu o placar em um lance confuso. Depois de uma falha na zaga do CRB, Renato Cajá levantou na pequena área e o goleador Hernane virou garçom, ao servir Feijão. De bicicleta e ao dividir com Olívio, o volante resvalou para o fundo do gol.

Apesar da vantagem ser mínima no marcador, o tricolor demonstrou vontade para ampliar e sacramentar mais uma vitória, porém não foi eficaz o suficiente ao armar. Já os alvirrubros, que não estavam bem na transição, ficaram melhores dispostos no ataque. O cabeça de área Somália, cansado por ter entrado ainda no primeiro tempo, saiu para a entrada de Luidy, poupado por conta de desgaste.

A criatividade vista nos primeiros 45 minutos, pela equipe mandante, caiu na segunda metade do duelo. Apesar do incentivo do público em Pituaçu, os jogadores não conseguiram se motivar e pouco criaram. O que já estava difícil aos visitantes na partida, pareceu que iria piorar com a expulsão de Elton Lira. Apenas pareceu, pois Neto Baiano foi lançado em profunidade e encheu o pé, mas Lomba interveio.

Logo na sequência, o goleiro Juliano fez grande defesa para salvar o chute de Régis após troca de passes com Hernane. Mas, dois minutos depois, Régis serviu Hernane, que apareceu nas costas da defesa e encobriu o goleiro para fazer 2 a 0.

Aos 42, o golpe final do Bahia. Após chute de Renato Cajá, Régis completou no rebote para marcar seu primeiro gol com a camisa tricolor. Já nos acréscimos, Neto Baiano recebeu vermelho direto após agressão em um adversário e foi o segundo expulso do CRB, que viu a torcida local comemorar nova vitória na Série B.