Brasil de Pelotas e Bahia se enfrentam buscando voltar a vencer na Série B

Gaúchos e baianos não vencem na competição há três rodadas e tentam voltar a ficar na parte de cima da tabela de classificação

Brasil de Pelotas e Bahia se enfrentam buscando voltar a vencer na Série B
(Foto: Carlos Insaurriaga/GE Brasil)
Brasil de Pelotas
Bahia
Brasil de Pelotas: Eduardo Martini; Weldinho, Leandro Camilo, Teco e Marlon; Leandro Leite e Washington; Felipe Garcia, Diogo Oliveira e Ramon; Marcos Paraná. Técnico: Rogério Zimmermann.
Bahia: Marcelo Lomba; Hayner, Lucas Fonseca, Éder e Moisés; Feijão, Danilo Pires e Juninho; Renato Cajá, Thiago Ribeiro e Zé Roberto. Técnico: Aroldo Moreira (interino).
ÁRBITRO: Igor Junio Benevenuto (MG), auxiliado por Breno Rodrigues (MG) e Andre Luiz Severo (PR).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 11º rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, a ser disputada no estádio Centenário, em Caxias do Sul.

É o final da sequência de enfrentamentos contra equipes do Nordeste do país. A partir das 21h30 desta sexta-feira (24), o Brasil de Pelotas encara o Bahia pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O palco do duelo é o estádio Centenário, em Caxias do Sul, já que o Xavante ainda não concluiu as obras para que o Bento Freitas atinja a capacidade de 10 mil torcedores, exigência da CBF.

Com 16 pontos, o Rubro-Negro ocupa o décimo lugar na tabela de classificação. O mais recente compromisso do time do técnico Rogério Zimmermann se deu na última terça, no empate sem gols com o Náutico. O Tricolor, por sua vez, é o atual sétimo colocado, com 17 pontos somados. Os baianos perderam a oportunidade de ingressar no G-4 na última rodada, quando foram superados pelo Tupi por 2 a 1 em Juiz de Fora.

Wender se soma a Cirilo na lista de desfalques

Adepto da repetição do onze inicial, o técnico Rogério Zimmermann optou pelo rodízio na segunda divisão nacional em função do curto espaço de tempo entre as partidas. A única peça que o treinador ainda não preservou – além de Eduardo Martini – é o zagueiro Leandro Camilo, presente em todos os minutos dos compromissos rubro-negros até aqui. Diante desse contexto, a ida do defensor ao banco de reservas não pode ser descartada.

Certo mesmo é a ausência de Wender. Substituído no segundo tempo do jogo contra o Náutico, o lateral-direito fraturou o pé e será submetido a uma cirurgia. Sendo assim, o jogador fica 90 dias parado. Cirilo, que ainda se recupera de lesão muscular sofrida na sexta rodada do certame, completa a pequena lista de desfalques. Weldinho e Teco, respectivamente, devem ser os substitutos.

A seu favor, o Xavante conta com um retrospecto favorável quando atua na condição de mandante. Afinal, dos 16 pontos somados pelo vermelho e preto na Série B, 13 foram conquistados no estádio Bento Freitas, onde a equipe ainda não foi derrotada na competição. Em 2016, os únicos reveses do Brasil como mandante se deram contra o Grêmio, na estreia do Campeonato Gaúcho (justamente no estádio Centenário), e contra o Juventude, na oitava rodada do estadual.

Com Guto Ferreira recém confirmado, Bahia chega comandado por interino

Apontado por muitos como postulante ao acesso, o Bahia vive um momento de turbulência. O Tricolor vem de três derrotas consecutivas. A segunda delas, diante do Londrina, na Fonte Nova, culminou com a demissão do técnico Doriva. Na manhã desta sexta, o presidente da Chapecoense assegurou a ida de Guto Ferreira ao clube baiano. Hoje, no entanto, Aroldo Moreira segue dirigindo a equipe à beira do gramado.

Para o jogo de logo mais, o interino não conta com Hernane Brocador e Jackson, que receberam o terceiro cartão amarelo no revés para o Tupi. A tendência é que o zagueiro seja substituído por Lucas Fonseca, enquanto Luisinho e Zé Roberto disputam a vaga de Brocador. Lesionados, Tinga, Edigar Junio, Mario, Gustavo e Yuri também são desfalques.

Em cinco jogos longe de seus domínios, o Esquadrão de Aço soma uma vitória, um empate e três derrotas. No período, a equipe foi vazada em 11 oportunidades.