Guto Ferreira exalta dedicação do time do Bahia: "Foram no limite"

Para o treinador, motivação foi fundamental para os atletas que sofreram com o desgaste físico mas ainda assim conquistaram mais uma vitória

Guto Ferreira exalta dedicação do time do Bahia: "Foram no limite"
Técnico Guto Ferreira abraça atacante Zé Roberto, autor do segundo gol. Foto: Jéssica Santana/Divulgação/Esporte Clube Bahia

Na estreia do técnico Guto Ferreira, o Bahia voltou a vencer pela Série B do Campeonato Brasileiro 2016. A vítima da noite desta terça-feira (28) foi a equipe do Oeste, derrotada por 2 a 0 na Fonte Nova, com gols de Hernane e Zé Roberto, e com direito a uma defesa de pênalti do goleiro Marcelo Lomba. Guto ao final da partida elogiou estes atletas e os demais não só pelos gols, pelas defesas e pelo resultado, mas pelo empenho em campo apesar da baixa condição física.

"Dentro da proposta para essa partida, só tenho que parabenizar os jogadores. Meu mérito é mínimo. O mérito 110% é dos jogadores, os que estiveram em campo e os que ajudaram fora dele. O Bahia teve hoje muitos desfalques. O Lomba jogou no sacrifício, o Hernane também. Os atletas foram no limite. Então, o limite do Bahia é esse? Não. Se o jogador achar que não é, com certeza será maior. É dessa maneira que a gente precisa trabalhar e disputar cada jogo como um jogo a se vencer", afirmou o treinador.

Segundo Guto, sua única participação no desempenho da equipe foi motivacional. "O nosso trabalho foi em um espaço muito pequeno para propor qualquer coisa muito diferente. Eu falava antes que seria um dos adversários mais difíceis para uma estreia. É muito difícil tirar a bola deles. O que tentamos resgatar hoje foi a confiança. Independente do que acontecer, cada um tem seu valor e só existiria uma maneira de o Bahia vencer hoje: estar todo mundo fechado, unido", disse.

Guto completou analisando a partida. "O Bahia entrou com uma proposta de pressionar, conseguiu fazer uma pressão intensa nos primeiros 20, 25 minutos. Conseguiu fazer o gol. No segundo tempo, tínhamos o placar ao nosso favor. Perdemos o Cajá, que era uma peça importante de articulação. A proposta de articulação vai ficando mais complicada porque você passa a ter jogadores que não são da função. Mas foi o que conversamos, cada um tinha que estar focado, se entregar até o fim. Eles fizeram isso, e a resposta está aí", comentou.

Hernane, autor do primeiro gol tricolor, aproveitou para pedir que o torcedor chegue junto da equipe nesse momento de ascenção. "Eles têm que apoiar. Eles cobraram hoje, mas estão no direito, eram quatro derrotas seguidas. Mas, a partir do momento que eles pagam o ingresso, têm que apoiar. O Bahia, com essa torcida, só tem a crescer. Sem ela, a gente não sobe", desabafou o Brocador.