Guto Ferreira avalia como justo o empate do Bahia contra o Joinville

Meia Renato Cajá lamenta os dois pontos perdidos e promete "matar" o Vasco na Fonte Nova

Guto Ferreira avalia como justo o empate do Bahia contra o Joinville
Guto Ferreira classificou o empate como justo e pediu apoio da torcida contra o Vasco (Foto: Divulgação / E.C. Bahia)

O Bahia volta para casa com um ponto na bagagem e terá a viagem para Salvador para o técnico Guto Ferreira e o meia Renato Cajá conversarem melhor sobre o empate de 1 a 1 contra o Joinville, nesta terça-feira (30), em Santa Catarina. O treinador classificou o resultado como justo. Já o meia, lamentou os pontos perdidos. Com o empate diante do Joinville, o tricolor baiano caiu da sexta colocação para a sétima. O time soma 32 pontos e está a cinco do grupo de acesso à Série A.

"Costumo dizer que o futebol não é merecimento, é competência. Tivemos competência de fazer um gol, e eles tiveram também. Então, pela competência, foi um empate justo. Foi um jogo de muita luta", analisou Guto Ferreira, apelidado de Gordiola.

Cajá não viu o resultado da mesma maneira que o treinador. No entanto, ele prometeu a vitória no próximo compromisso do Esquadrão de Aço, que será contra o Vasco, líder da Série B do Brasileirão, na Arena Fonte Nova, no próximo sábado (3), às 16h30.

"O time não foi a mesma equipe. Infelizmente, a gente não soube controlar a partida no segundo tempo, sofreu um pouco. Mas vamos consertar. Temos um jogo importante em casa no sábado, precisamos matar o Vasco e conquistar os três pontos. Não tem o que fazer. Queríamos a vitória aqui para chegar mais próximo (do G-4). Em casa, temos que fazer a nossa parte", afirmou o camisa 10 do tricolor baiano.

A opinião do meia foi partilhada pelo lateral-direito Eduardo.

"A gente começou melhor, fizemos o gol. Mas perdemos o controle do jogo. A equipe suportou bem. Tem que ter mais calma. Quando estiver na frente, não pode relaxar. A gente relaxou no final e sofreu o gol. É um empate com sabor de derrota. Poderíamos ter saído com resultado positivo", disse.

Na entrevista coletiva, Guto Ferreira também explicou o gol sofrido pelo Bahia.

"Começamos bem a partida, demos uma relaxada depois, tomamos o gol numa infelicidade, num erro que... O lance naquela zona do campo teria que ser simplificado. Foi o lateral-direito, Everton Silva, que ganhou a jogada. Ele deu carrinho, acabou ganhando a jogada. Se põe a bola para fora ali, o time posiciona. E Bruno Ribeiro achou o Jael sozinho no segundo pau. Se você vir o jogo com um todo, tivemos boas chances. O time do Joinville teve boas chances, o Muriel trabalhou bem".

De olho na missão de recolocar o Esquadrão na divisão de elite do futebol brasileiro, Guto disse que a equipe está viva na guerra.

"Se a gente não perder fora de casa e vencer em casa, vamos chegar aonde queremos. Não é assim, em três, quatro rodadas, estamos no G-4. A gente estava numa distância considerável. Hoje estamos mais próximos. O importante é que a equipe está competitiva. Não se entrega, luta muito. Não temos uma equipe perfeita, mas temos uma equipe que quer muito. E querer muito tem nos ajudado a somar. Dentro dos quatro últimos jogos, somamos oito pontos, o que nos dá esperança. Se seguirmos assim, podemos alcançar o objetivo no final", avaliou.

Para a partida contra o Vasco, o treinador não poderá contar com o lateral-direito Eduardo e o atacante Alano, ambos suspensos por terem recebido o terceiro cartão amarelo.

"Nós temos que ter grupo. Nós temos que ter jogadores que possam entrar e darem à equipe uma qualidade boa para proporcionar situações boas que possam fazer com que a gente faça uma grande partida contra o Vasco e possa vencê-los. A gente sabe do poderio e da qualidade do Vasco, só que não adianta a gente ficar chorando não", disse.

O comandante, mais uma vez, convocou a torcida do Bahia para o difícil duelo contra o Vasco.

"A gente tem que nos prepararmos da melhor maneira possível, contar com o apoio do torcedor. Contar com o apoio do torcedor é praxe, porque direito de pedir isso eu ainda não tenho. Espero ter o quanto antes. A gente chegar no G-4 e poder dizer "Olha, chegamos até aqui e agora vamos juntos". Mas pelo que percebi no jogo passado não está precisando. O torcedor está sentindo que o grupo está dando resposta, que está podendo orgulhar o torcedor da garra, da competitividade, da luta e está vindo junto. No jogo do Vasco a gente espera que isso aconteça, pois vamos enfrentar só a melhor equipe da competição", pediu.