Guto Ferreira elogia atuação do Bahia em decisão: "Bela partida nos dois tempos"

Técnico do Esquadrão de Aço destacou tática de usar três volantes, além da criação de jogadas pelo lado do campo

Guto Ferreira elogia atuação do Bahia em decisão: "Bela partida nos dois tempos"
Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação

No primeiro jogo da final da Copa do Nordeste 2017, Sport e Bahia ficaram no empate em 1 a 1 na Ilha do Retiro. Com o resultado, o Esquadrão de Aço ganha o tricampeonato regional com um empate sem gols. Os baianos ficaram na bronca com a arbitragem, mas, em entrevista coletiva após o jogo, o técnico Guto Ferreira não se concentrou nos homens do apito e preferiu elogiar os jogadores que entraram em campo e garantiram a vantagem inicial.

"O time teve muita disciplina e foi muito inteligente. Soubemos ocupar e explorar os espaços que nos deram. Criamos muito mais situações que o Sport. O Bahia fez uma bela partida nos dois tempos e, se tivesse um vencedor, seria o Bahia", explicou.

Guto Ferreira precisou fazer uma modificação no time titular. Com a expulsão do meia Régis na segunda semifinal, o treinador escalou três volantes. Diferente do esperado, o time teve uma postura ofensiva e conquistou um excelente resultado. O técnico comentou o fato e celebrou a volta de Régis, Armero e Edson para o segundo e decisivo confronto diante do Sport.

"Eu não mudei nada. Juninho jogou de meia. Ele não tem a característica de Régis, mas ocupou o espaço que Régis ocupa. O detalhe é que Régis tem uma chegada mais forte, mas Juninho chegou e fez gol. Quando entrou na área, fez gol. A nossa grande preocupação é ter peças que num campeonato tão desgastante, a gente possa mexer sem perder padrão. Temos em vários setores condições de fazer isso. Matheus Reis fez duas partidas tranquilas. Temos Armero e talvez seja o setor mais tranquilo. Tivemos problema com Jackson e Lucas vem jogando bem. Ainda temos Edson e Rodrigo. Na lateral direita só temos Eduardo e temos que improvisar Éder. Os volantes temos quatro que tem alternado e sustentam o padrão da equipe. Régis nós temos um só. Hoje descobrimos que para essa partida fluiu. Em jogos fora de casa consegue, mas dentro tem que ter um padrão mais ofensivo e se prejudica pela condição de ter que agredir mais", explicou.

Na conclusão da entrevista coletiva, o comandante tricolor destacou a função dos atacantes no jogo, além da importância de ter bons jogadores que atuam pelos lados e que fazem o jogo fluir.

"Maikon Leite está se soltando devagarinho e esperamos que Diego possa retomar momentos que já teve bons. E Gustavo também vai crescendo. Na medida que a equipe vai conquistando resultados, vai firmando nível de confiança e os jogadores estão crescendo junto. A gente espera que possa crescer nesse aspecto. Direção está trabalhando e buscando peças para engrossar o caldo. Que a gente possa ter essa equipe intensa não só na marcação, mas também na agressividade. Quando se tem isso, tende-se a ter resultados expressivos. No modelo de trabalho nisso, nós temos necessariamente que ter extremos. Tem poucos extremos jogando no futebol brasileiro, que marcam o que os extremos do Bahia marcam e criam e chegam como eles chegam. Esse tipo de situação é muito importante", concluiu.

O segundo jogo entre as equipes acontece às 21h45 da próxima quarta-feira (24), na Arena Fonte Nova, em Salvador/BA. Antes, o Bahia entra em campo às 11 horas do domingo (21), quando encara o Vasco da Gama no Estádio de São Januário, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro da Série A 2017.


Share on Facebook