Bahia sufoca Fluminense, arranca empate e deixa zona de rebaixamento

Tricolor baiano completa seu sétimo jogo seguido sem vitória, enquanto o Flu perde a chance de entrar no G-6

Bahia sufoca Fluminense, arranca empate e deixa zona de rebaixamento
Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C.
Bahia
1 1
Fluminense
Bahia : Jean, Eduardo, Lucas Fonseca, Tiago e Armero (Gustavo Ferrareis); Renê Júnior e Matheus Sales; Zé Rafael, Régis e Mendoza; Vinícius (Rodrigão). Técnico: Jorginho.
Fluminense : Júlio César, Lucas, Henrique, Reginaldo e Mascarenhas (Maranhão); Orejuela, Marlon Freitas e Gustavo Scarpa; Marquinhos Calazans, Wellington Silva (Marcos Junior) e Henrique Dourado (Pedro). Técnico: Abel Braga.
Placar: Wellington Silva (FLU), aos 12 minutos do primeiro tempo, João Paulo (BA), aos 38 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017.

Não foi desta vez que o Bahia quebrou seu jejum de vitórias no Brasileirão. Neste domingo (9), o Tricolor baiano ficou apenas no empate com o Fluminense, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O atacante Wellington Silva marcou para os visitantes, enquanto o meia João Paulo empatou. O resultado, apesar de ruim, tirou o Bahia da zona de rebaixamento – agora é o 16º com 12 pontos. Já o Flu perdeu a chance de entrar no G-6 – é o sétimo com 17.

Há um mês o Bahia não sabe o que é vencer no Campeonato Brasileiro. Desde a vitória diante do Cruzeiro, na 5ª rodada, foram três empates e quatro derrotas, ou seja, conquistou apenas três dos 21 pontos disputados. Já o Fluminense completou seu quarto empate nos últimos cinco jogos.

Na próxima rodada, o Bahia viaja até São Paulo para encarar a Ponte Preta, nesta quarta-feira (12), às 19h30. No mesmo dia, mas às 21h, o Fluminense faz o clássico com o Botafogo.

Bahia sufoca, mas Flu sai em vantagem

Jogando em casa, o Bahia aproveitou a presença da sua torcida para pressionar o Fluminense. Logo no começo, Renê Júnior arriscou de fora e assustou o goleiro Júlio César. Nos primeiros dez minutos, o time baiano obteve 70% de posse de bola, entretanto, em sua primeira bobeada, o Flu marcou. Após erro na saída de bola, Lucas cruzou, Dourado finalizou de letra e Wellington Silva desviou para o gol. 

Atrás no placar, o Bahia continuou na pressão sobre o Fluminense, mas dessa vez, de forma desordenada. Mais fechado, o Tricolor carioca, por sua vez, tentava se aproveitar dos contra-ataques com os velocistas Calazans e Wellington Silva. Aos 23, quase o camisa 30 marcou em chute cruzado. No Bahia, muitas bolas eram alçadas para a área, mas como Jorginho optou por escalou o meia Vinícius improvisado como centroavante, a equipe pouco soube aproveitar, além das muitas dificuldades em segurar a bola no campo de ataque.

Ainda assim, aos 26, o time da casa teve a sua melhor chance do primeiro tempo. Vinícius cruzou e Mendoza, livre na pequena área, cabeceou para fora. E o sufoco baiano não parou. Aos 40 e 41 minutos, o Bahia fez o arqueiro do Flu trabalhar por duas vezes. Uma em chute Régis e a segunda de Renê Júnior, ambas em finalizações de fora da área. Apesar da pressão, o Tricolor baiano saiu em desvantagem na primeira etapa.

Bahia insistente x Flu acuado

Na volta para o segundo tempo, o técnico Jorginho mudou o esquema do Bahia e sacou o meia Vinícius para a entrada do atacante Rodrigão. O panorama do jogo seguiu o mesmo da primeira etapa, com o Bahia sufocando o Fluminense. Aos dez, Régis soltou a bomba de direita e assustou o Júlio César. A chegada dos visitantes, fato raro, aconteceu minutos depois. Scarpa tocou para Wellington Silva e o camisa 11, impedido, finalizou na trave.

Acompanhado da impaciência dos torcedores, o Bahia seguiu pressionando em busca do empate, mas sempre esbarrava na boa defesa postada do Flu. A posse de bola dos baianos sintetizava bem o real panorama do jogo – foram 70% x 30% na maior parte do tempo. Entretanto, as finalizações eram escassas.

De tanto pressionar, o Bahia, enfim, conseguiu o tão esperado empate. Aos 38 minutos, João Paulo, que havia acabado de entrar, recebeu de Régis e soltou a bomba de fora da área. Confiante após o gol, o time mandante continuou em cima do Fluminense, que seguia acuado e sem ter a posse de bola. E assim permaneceu até o fim do jogo, quando os tricolores terminaram em igualdade na Fonte Nova.

Esporte Clube Bahia