Ricardo Gomes lamenta chances perdidas, mas pede paciência com o Botafogo

Alvinegro carioca teve dificuldades de marcar gols e não passou do zero contra o Figueirense

Ricardo Gomes lamenta chances perdidas, mas pede paciência com o Botafogo
Foto: Divulgação/Botafogo

O gol, momento da maior alegria do futebol, está em falta para o time alvinegro. O jogo desta quarta-feira (22) com o Figueirense terminou em um empate sem gols. Oportunidades de o time botafoguense abrir o placar não faltaram, mas a bola não entrava, assim o Alvinegro figura como o pior ataque da competição.

Foram realizados dez jogos no Campeonato Brasileiro da Série A, e o Botafogo marcou apenas oito gols. Com apenas nove pontos na competição, o torcedor alvinegro já ligou o sinal de alerta, e o técnico Ricardo Gomes acredita que as oportunidades perdidas são o maior problema da equipe. Contudo, o comandante pediu paciência ao torcedor após o empate em 0 a 0 contra o Figueirense, nesta quarta-feira (22), pela décima rodada da competição nacional. 

“No primeiro tempo dominamos, mas com o Figueirense perigoso nos contra-ataques. No segundo tempo não teve nada, tivemos o domínio total. Faltou a bola entrar, é a falha. Tem que ter muita paciência e muito trabalho para sair dessa fase, a bola começar a entrar e, consequentemente, esse time com mais confiança jogará ainda melhor”, afirmou o treinador Ricardo Gomes.

O elenco alvinegro corroborou a análise do técnico. “Infelizmente não conseguimos concluir as nossas chances de gols. Tem que treinar, trabalhar mais isso para na próxima vez matar o jogo e não estar perdendo esses pontos dentro de casa”, disse o atacante Neilton. O time tentou, batalhou o jogo todo. Só faltou a bola entrar. Tem que aprimorar isso nos treinamentos”, afirmou Ribamar.

Ainda pedindo paciência, Ricardo Gomes valorizou a presença da torcida no empate desta quarta-feira. O duelo aconteceu na cidade mineira de Juiz de Fora.  “Isso é importante, esse apoio da torcida. É importante em qualquer situação, mas na nossa, com jogadores jovens, é ainda mais”.