Botafogo vence e quebra sequência invicta do Sport

Sassá esbanjou talento, aproveitou a irregularidade do gramado e péssimo dia do goleiro Magrão

Botafogo vence e quebra sequência invicta do Sport
Foto: Reprodução/Botafogo
Botafogo
3 0
Sport
Botafogo: SIDÃO; LUIS RICARDO, EMERSON, RENAN FONSECA E DIOGO BARBOSA; AIRTON (DIERSON, MIN 64), RODRIGO LINDOSO, FERNANDES (LEANDRINHO, MIN 74) E CAMILO; NEILSON E SASSÁ (RODRIGO PIMPÃO, MIN 85). TÉCNICO: JAIR VENTURA.
Sport: MAGRÃO; SAMUEL XAVIER, MATHUES FERRAZ, RONALDO ALVES E RENÊ (TÚLIO DE MELO, MIN 80); RITHELY, PAULO ROBERTO, EVERTON FELIPE (LENIS, MIN 55), GABRIEL XAVIER E ROGÉRIO; EDMÍLSON (LUÍS CARLOS RUIZ, MIN 56). TÉCNICO: OSWALDO DE OLIVEIRA.
Placar: 1-0, SASSÁ, MIN 46; 2-0, SASSÁ, MIN 51; 3-0, CAMILO, MIN 91
ÁRBITRO: JEAN PIERRE GONÇALVES LIMA (RS), AUXILIADO POR LEIRSON PENG MARTINS (RS) E MAURICIO COELHO SILVA PENNA (RS). CARTÕES AMARELOS: DIERSON (BOTAFOGO); PAULO ROBERTO E SAMUEL XAVIER (SPORT).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 21ª RODADA DA SÉRIE A DO CAMPEONATO BRASILEIRO, DISPUTADA NO MÁRIO HELÊNIO, EM JUIZ DE FORA, MINAS GERAIS. PÚBLICO: 4.771. RENDA: R$ 64.540,00.

Em noite de final olímpica, os torcedores que preferiram prestigiar o Botafogo em Juiz de Fora não viram Neymar, mas viram Sassá! Na vitória do Fogão por 3 a 0, o atacante marcou duas vezes e Camilo ainda ampliou no fim. O Botafogo fez grande partida, diferente do que se via e aproveitou as falhas do Sport.

A vitória foi importante não só pelos três pontos, mas ajudou o time a se afastar ainda mais da zona da degola e deu confiança no novo técnico e sobretudo no time, que até então jamais havia vencido dois jogos seguidos e não manteve regularidade no campeonato. Em compensação, a derrota custou para o Sport, que vinha embalado e não perdia há seis jogos.

Com o resultado, o rubro-negro caiu para 12ª colocação, uma acima do Botafogo e ambos com 26 pontos. No domingo (28), o Leão recebe o Inter na Ilha do Retiro, e o time de General Severiano viaja ao Paraná e enfrenta o Atlético-PR, na segunda-feira (29). 

Primeira etapa marcada por pressão alvinegra

Em menos de dez minutos teve falta, contra-ataque, chapéu e até bola no travessão vindo dos pés de Rogério, na entrada da área, um dos poucos lances de perigo em cima do clube carioca.

Aos 18 minutos, Neilton foi derrubado na entrada da área e ganhou uma falta, Camilo arriscou forte, bateu colocado, mas foi por cima do gol e assustou a torcida rubro-negra. Logo em seguida, foi a vez do Sport, em falta perigosa, Gabriel Xavier bateu longe e não deu trabalho para Sidão.

Quem também contou com a ajuda do travessão foi o time carioca, Neilton já havia feito uma boa jogada para Sassá aos 28 minutos, mas o perigo veio mesmo aos 31. Neilton passou pela defesa adversária e chutou, a bola desviou em Renê e foi direto no travessão, Camilo ainda tentou aproveitar o rebote, mas foi travado.

Quando o primeiro tempo já caminhava para o fim, Sassá aproveitou a falha na troca de passes entre Paulo Roberto e Ronaldo Alves. O atacante interceptou e finalizou mal na frente de Magrão, mas contou com um desnível no gramado que enganou o arqueiro e abriu o placar.

Abalado, Sport não consegue concluir bem

O visitante claramente mudou o estilo de jogo após o gol sofrido, logo aos seis minutos Emerson cobrou falta venenosa nas mãos do goleiro, que espalmou, Sassá muito bem posicionado tentou duas vezes e após novo rebote, conseguiu estufar as redes. Desta forma, passou a ocupar a vice-artilharia do campeonato.

Jair Ventura foi inteligente e recuou bem o time, sem deixar de aproveitar os contra-ataques. O Sport partiu para o ataque, mas não se deu muito bem com a defesa do Botafogo. Aos 16 minutos, em falha bizonha de Renan Fonseca, Lenis recebeu e chutou, mas Sidão estava atento e salvou com o peito. Pouco depois, em outra falha do zagueiro, a bola ficou com o rubro-negro que quase diminuiu em cabeçada de Gabriel Xavier.

Botafogo ainda tentou com Luis Ricardo e Leandrinho, mas esbarrou na defesa. No fim do jogo, aos 46, em um dos contra-ataques, Pimpão aproveitou a desorganização da defesa do Leão e arriscou de longe, mas definitivamente não era o dia de Magrão, que espalmou e a bola sobrou para Camilo selar a vitória.

Com um jogo a menos, Fogão já pode parar de ter pesadelos com a parte debaixo da tabela e passar a sonha com a parte de cima.