Botafogo derrota Atlético-MG com gol no fim e se consolida no G-6

Glorioso abre 2 a 0, sofre o empate, e no fim da partida faz o gol da vitória com Dudu Cearense. partida foi marcada por gol polêmico

Botafogo derrota Atlético-MG com gol no fim e se consolida no G-6
Foto: Vitor Silva / SS Press / Botafogo
Botafogo
3 2
Atlético-MG
Botafogo: Sidão; Alemão, Emerson Silva, Emerson e Victro Luiz; Airton (Dudu Cearense), Bruno Silva, Rodrigo Lindoso e Camilo; Neílton e Rodrigo Pimpão (Sassá)
Atlético-MG: Victor; Carlos César, Leonardo Silva, Erazo e Fabio Santos; Rafael Carioca (Leadnro Donizete), Júnior Urso, Otero e Robinho; Clayton (Lucas Pratto) e Fred
Placar: 1-0, min. 4, Bruno Silva. 2-0, min. 34, Rodrigo Pimpão. 2-1, min. 50, Fred. 2-2, min. 69, Leonardo Silva. 3-2, min. 90, Dudu Cearense.
ÁRBITRO: Wagner Reway (MT)). CARTÕES AMARELOS: Rafael Carioca (MIN. 22), Fred (MIN. 26) e , Bruno Silva (MIN. 64).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 31° RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO, REALIZADO NA Arena Botafogo, no Rio de Janeiro (RJ)

Botafogo e Atlético-MG entraram em campo neste domingo (16), na Arena Botafogo, com objetivos diferentes. A equipe carioca vinha em busca da quarta vitória seguida para se consolidar de vez no G-6 da competição, enquanto que os mineiros buscavam a vitória para seguir na cola dos líderes do campeonato.

O jogo foi marcado por polêmicas, emoções e tudo mais que um grande jogo tem direito. O Botafogo saiu vitorioso de campo após vencer o Galo por 3 a 2, com um gol de cabeça de Dudu Cearense, já nos acréscimos da partida.

Com o resultado, a equipe carioca chegou aos 50 pontos e se consolidou na quinta colocação. Já o Atlético-MG segue com 56 pontos em terceiro lugar, e fica a oito pontos do líder Palmeiras.

Primeiro tempo marcado por polêmicas

O jogo já começou movimentado. Aos quatro minutos, Bruno Silva recebeu cruzamento de Camilo na área, ajeitou a bola e bateu rasteiro, sem chances para Victor, abrindo o placar para o Glorioso. Logo após o lance os jogadores do Atlético-MG reclamaram muito do lance, pelo jogador do Botafogo ter ajeitado a bola com o braço antes de marcar o gol. O Juiz validou o lance e o jogo seguiu.

Aos 8 o Galo chegou com perigo pela primeira vez. Otero passou pela marcação na esquerda e cruzou na área para Fred, mas a zaga botafoguense fez o corte antes da bola chegar no artilheiro. Logo depois foi a vez de Camilo arriscar de fora da área, para Victor seguro no meio do gol fazer a defesa.

O Atlético-MG busca o ataque com Otero e Clayton, que procuravam Fred na área. Já o Botafogo tinha em Camilo a armação de suas jogadas na primeira etapa. Aos 17 minutos mais uma polêmica. Após tabela entre  Clayton, Robinho e Fred, o atacante do Galo consegue finalizar, mas a bola acaba batendo na mão do zagueiro botafoguense. Mais uma vez jogadores do clube mineiro reclamaram na partida.

Robinho e  Victor Luis travaram um duelo interessante pela direita no primeiro tempo. O botafoguense levou a melhor sobre o rei das pedaladas em todos os lances. Aos 34 minutos o Botafogo ampliou. Neílton sai em disparada pela direita, e escora para Alemão, que cruza com perfeição para Rodrigo Pimpão chegar batendo de primeira e ampliando o placar para o clube carioca.

Aos 43, Pimpão quase fez mais um, arriscando de fora e exigindo grande defesa de Victor. O jogo seguiu igual até o apito do juiz encerrando o primeiro tempo aos 50 minutos.

Reação mineira na segunda etapa

No segundo tempo, o Atlético-MG voltou com Lucas Pratto e Leandro Donizete, nos lugares de Clayton e Rafael Carioca. Aos 5 minutos a reação atleticana começou. Fred toca para Robinho, que devolve para o atacante na cara do gol, que tem a calma para ajeitar e bater, para diminuir o placar. Esse foi o 16° gol de Fred contra o Botafogo na carreira.

O gol animou o Galo, que quase empatou em seguida. Otero fez linda jogada, driblando Dudu Cearense e dando caneta em  Victor Luis, encerrando a jogada com um chute que explodiu na trave e saiu, assustando o goleiro Sidão.

A pressão atleticana seguiu intensa na partida, com Robinho e Otero se movimento muito no ataque. Aos 17, Sassá, que acabava de entrar na partida, recebe na cara de Victor e coloca para dentro, mas o banderinha anota impedimento do atacante botafoguense.

Aos 24 minutos, a pressão atleticana surtiu efeito. Otero cruzou na medida na área para Leonardo Silva, que sobe mais que todo mundo e cabeceia no chão no canto de Sidão para empatar a partida no Rio de Janeiro.

Depois do gol atleticano, o jogo ficou aberto. Otero seguia infernizando a zaga botafoguense, que só conseguia parar o venezuelano com falta. O Atlético-MG era mais presente no ataque, e parecia mais perto do gol que o clube carioca.

O jogo mais uma vez, surpreendente, teve números finais aos 46 minutos do segundo tempo. Após cobrança de escanteio fechada de Camilo, Dudu Cearense subiu na primeira trave para desviar tirando Victor da jogada, e decretando a vitória botafoguense.